Clique e Assine por apenas 8,90/mês
Ciência Maluca Por Blog As pesquisas mais importantes para você compreender a sua vida - e as mais inusitadas para você entender todo o resto. Por Tiago Jokura

Tédio pode matar

Por Thiago Perin - Atualizado em 21 dez 2016, 10h01 - Publicado em 18 Maio 2011, 09h00

Da próxima vez em que você pensar em dizer que está “morrendo de tédio”… Bem, vale saber que você está mesmo. Literalmente.

Pesquisadores ingleses dizem que esse tédio todo pode estar, de fato, te roubando alguns anos preciosos de vida. A possível explicação é que quando as pessoas ficam muito, mas muito entediadas mesmo, tendem a cair em hábitos pouco saudáveis, como o cigarro e a bebida – companheiros que diminuem a expectativa de vida.

Para comprovar esse efeito, eles resgataram as fichas de 7524 pessoas entrevistadas entre 1985 e 1988 sobre o tamanho do tédio que costumavam sentir. Depois, foram atrás de descobrir quais delas tinham morrido (e de quê tinham morrido) de lá para cá.

Continua após a publicidade

Eis as estatísticas do estudo: os voluntários que se disseram entediados com frequência nas entrevistas dos anos 80 eram 37% mais propensos a já terem batido as botas em 2010.

Tem mais: segundo os pesquisadores, quem vive em “altos níveis de tédio” (veja bem, não de estresse, como a gente sempre vê por aí, e sim de tédio) tem duas vezes mais chances de ter problemas cardíacos ou morrer de derrame do que o pessoal satisfeito com a vida.

Ou seja: vamos mexer o bumbum aí, minha gente. Nada de sofá.

Leia também:
Quem é infeliz na infância vive mais
Ser altruísta faz os outros não gostarem de você
TV a cabo deixa as pessoas infelizes

Publicidade