Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Oráculo Por aquele cara de Delfos Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail bruno.vaiano@abril.com.br.

Precisa ter diploma para ganhar um prêmio Nobel?

Não. Mas não é fácil: mais de 90% dos laureados em ciências têm pelo menos três títulos em suas áreas.

Por Maria Clara Rossini Atualizado em 9 jan 2020, 11h11 - Publicado em 8 jan 2020, 12h31

Não. Em 2014, a ativista Malala Yousafzai foi a pessoa mais nova a receber o Nobel da Paz, com apenas 17 anos de idade. Ela foi reconhecida por lutar pelo direito das mulheres de estudar. Na época, é claro, ela não tinha diploma universitário.

Na verdade, nem precisa ser gente. O Nobel da Paz também permite que o prêmio seja concedido a organizações, agências e campanhas. ONU, Médicos Sem Fronteiras, União Européia e Cruz Vermelha foram alguns dos órgãos que já receberam o prêmio.
 
Mas se você está falando dos nobéis de ciência, como física, química e medicina, aí já é outra história. O diploma continua não sendo obrigatório, mas é bem mais difícil ser laureado sem ter construído uma carreira acadêmica na área.

  •  
    O italiano Guglielmo Marconi venceu o Nobel de Física em 1909 sem ter se formado. Mas isso não significa que ele não tenha um histórico excelente: ele é o inventor do rádio. Foi educado em casa e até chegou a fazer pesquisas com um dos professores da Universidade de Bolonha, mas nunca se matriculou formalmente no ensino superior. Apesar disso, hoje ele dá nome à Universidade Guglielmo Marconi, localizada em Roma.
     
    É claro que ele é exceção. Todos os laureados em química, medicina e economia possuem pelo menos um título acadêmico, enquanto mais de 90% possuem um terceiro título.

    Fonte: Gildo Magalhães, diretor do Centro Interunidade História da Ciência da USP

    Continua após a publicidade
    Publicidade