Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Jovens dos EUA aumentam produção de energia solar com espinafre

Por Débora Spitzcovsky Atualizado em 21 dez 2016, 10h17 - Publicado em 6 set 2012, 10h00

Uma equipe de jovens cientistas da Universidade Vanderbilt, nos EUA, descobriu um jeito um tanto quanto inusitado de “turbinar” a produção de eletricidade proveniente do Sol: utilizar a proteína da fotossíntese do espinafre para confeccionar as células fotovoltaicas que constituem os painéis solares. Será que eles andam assistindo muito ao Popeye?

De acordo com o estudo dos pesquisadores – divulgado nesta semana no jornal científico Advanced Materials –, combinar a enzima do espinafre com o silício – um dos materiais usados na fabricação das placas fotovoltaicas – resulta em células solares 2,5 vezes mais potentes, que, consequentemente, produzem mais eletricidade.

Os jovens até tentaram misturar a enzima do espinafre com outros metais, mas a “química” da verdura parece ser mesmo com o silício. Segundo os cientistas, a combinação dos dois gerou uma corrente elétrica quase mil vez maior do que a resultante da mistura com outros metais.

A descoberta já rendeu até prêmios aos pesquisadores da Universidade Vanderbilt, que agora querem construir uma “placa solar de espinafre” funcional, que possa ser adotada em construções sustentáveis. Boa sorte para eles!

Fotos: Divulgação

Leia também:
Menino de 13 anos revoluciona método de captação de energia solar

Continua após a publicidade
Publicidade