Clique e assine a partir de 8,90/mês

Dez semanas na vida de um filhote de cachorro

Um cãozinho recém-nascido cresce muito rápido. Descubra como evoluem o corpo e o comportamento do filhote nos primeiros 70 dias de sua vida.

Por Da Redação - Atualizado em 24 jan 2018, 15h24 - Publicado em 20 abr 2012, 22h00

1ª semana
O filhote passa 90% do tempo dormindo. O resto, mamando na mãe, que ele reconhece pelo faro. Olhos e ouvidos estão fechados, e o sistema nervoso, inacabado. A mãe ajuda o cãozinho a defecar, lambendo seu corpo na região da barriga e ao redor do ânus. O peso médio ao nascer é entre 180 e 800 gramas – depende da raça.

2ª semana
O cãozinho começa a desenvolver seus sentidos: surgem tato, olfato e paladar. Dependendo da raça, ele já pode ter o dobro do peso que tinha ao nascer. Como ainda não é capaz de controlar a temperatura do corpo, passa a maior parte do tempo grudado na mãe e nos irmãos. Ao final desta semana, ele já estará de olhos abertos.

3ª semana
É hora da diversão: alerta e ativo, ele já anda, brinca com seus irmãos e late muito. Reconhece a luz e a escuridão, percebe movimentos e se assusta com sons altos. Nascem os dentes e ele já pode provar ração amolecida em água. Começa o período de socialização, ideal para se acostumar com a presença de outros animais – inclusive humanos.

4ª semana
Agora todos os seus sentidos estão completos. Ele brinca de luta com seus irmãos, pula, deita e rola pela casa inteira. Sua força física cresce e a coordenação motora melhora. Enxerga e ouve perfeitamente e também já faz xixi e cocô sozinho. Instintos de caça aparecem. Essa é uma boa hora para brincar de buscar a bolinha.

5ª semana
Cada vez mais independente, ele mama menos e come ração várias vezes por dia. Mas a companhia da mãe ainda é importante: é ela que vai ensiná-lo a se portar como um cão, apartando brigas entre os filhotes e impondo disciplina. Chega a hora das primeiras vacinas, da visita ao veterinário e do primeiro banho.

Continua após a publicidade

6ª semana
Seus músculos crescem, o corpo fica mais esguio e características próprias da raça já estão bem evidentes. As emoções também afloram: ele mostra medo, chora de dor e late quando está empolgado ou quer atenção. Nessa fase, aprende tudo rápido. Alimenta-se sozinho e sabe a diferença entre os lugares de brincar, dormir e fazer necessidades.

7ª semana
Ele já tem quase todas as habilidades de um adulto. Pode até ser capaz de atender quando chamado pelo nome. Para desenvolver ainda mais sua coordenação, é hora de encarar desafios, como pular de um lugar para outro e atravessar um túnel. E de conhecer atividades que farão parte de sua vida, como passear de carro e até nadar.

8ª semana
Ele está maior e mais forte, mas, curiosamente, mais medroso também. Assusta-se com a própria sombra. Tudo passageiro: é só uma fase, que acompanha a descoberta de que existem amigos e inimigos no mundo. O seu sistema imunológico também sofre mudanças e nessa fase o cão fica mais vulnerável a infecções.

9ª semana
Apesar de um pouco mais redondo e desengonçado, ele já se parece bastante com um adulto, e começa a se comportar mais como um. Mas ainda tem muito o que crescer e aprender. Essa é, aliás, uma boa fase para isso: ele agora tem uma ótima memória. É capaz de saber exatamente o que é permitido e o que ele não deve fazer.

10ª semana
Ele está pronto para ser adotado. Já deve ter tomado a segunda dose de vermífugos e vacinas, e é forte e crescido o suficiente. Em raças de grande porte, pode pesar até 15 vezes mais do que quando nasceu. Mas conserva toda a energia de um filhote. Agora, ele também está receptivo e carinhoso. No clima ideal para conhecer seu novo e melhor amigo humano.

Continua após a publicidade
Publicidade