GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Agora você pode escolher o nome de uma das luas de Júpiter

Acredite, não precisa ser um Galileu para isso – só manjar um pouquinho de mitologia grega. Saiba como fazer.

Europa, Ganímedes, Io e Calisto. Esses são os nomes das chamadas “Luas de Galileu”, os primeiros satélites naturais de Júpiter descobertos pelos cientistas. Galileu encontrou os quatro em 1610, e, hoje, em 2019, o gigante gasoso já chegou a impressionante marca de 79 corpos conhecidos ao redor de sua órbita.

Algo curioso é que a imponência do maior planeta do nosso sistema solar é respeitada no nome de suas luas: como “servas de Júpiter” (ou Zeus, para os gregos), elas foram nomeadas em homenagem a personagens da mitologia grega e romana que já tiveram alguma relação com ele.

Dá para usar os satélites de Galileu como exemplo: Europa é o nome da mãe do lendário Minos de Creta, que era amante de Zeus; já Ganimedes foi um jovem pastor pelo qual Zeus se apaixonou. A lista de amantes e filhos do deus é longa, por isso a condição imposta para a nomenclatura não é tão limitadora quanto parece.

Em julho do ano passado, cientistas aumentaram de novo a lista ao anunciar a descoberta de 12 novas luas de Júpiter. Já pensou em dar nome a um satélite natural? Pois essa é sua chance: os pesquisadores estão pedindo a nossa ajuda para essa empreitada.

Animou? Já tem sugestões? Mas, calma lá que o espaço não é bagunça. Para começar, só poderemos opinar no nome de cinco das 12 luas recém-anunciadas. E esses nomes precisam seguir regras, atender a certas restrições para serem aprovados pela União Astronômica Internacional – que supervisiona todas as nomenclaturas de objetos no espaço. 

A primeira regra você já sabe: tem que ser um nome de um ser mitológico que se relacione com Zeus para manter o padrão adotado até hoje. Mas o processo ainda fica um pouco mais complexo. Os nomes das luas no sistema joviano (que consideram os planetas gasosos, formados principalmente por hidrogênio, hélio e metano, localizados depois de Marte) também são estruturados com base na direção em que eles orbitam o seu gigante gasoso – se seu movimento de translação acompanha ou não sua órbita.

Pela convenção padrão, as luas que orbitam Júpiter na mesma direção em que o planeta gira possuem nomes terminados em “a” ou “o”. Já aqueles que viajam na direção oposta requerem nomes terminados em “e”. Mas as regras acirraram um pouco no concurso atual: as duas das novas luas ascendentes só podem ter nomes terminados em “a” – e, claro, as três retrógradas em “e”.

Outras regras dizem que o nome deve ter no máximo 16 caracteres, sendo preferencialmente uma palavra; não pode ser ofensivo em nenhum idioma ou cultura; não pode ser muito semelhantes aos nomes já existentes, incluindo asteroides e luas de quaisquer planetas; além de ser estritamente proibido nomes de natureza puramente comercial. Ufa.

Você pode conferir mais detalhes e exemplos sobre alguns possíveis nomes no vídeo abaixo: 

Depois de tudo isso, é só colocar a mão na massa. Envie a sugestão de nome para @JupiterLunacy e diga por que o escolheu usando no máximo 280 caracteres – ou através de um pequeno vídeo, se gostar das câmeras. Não esqueça de incluir a hashtag #NameJupitersMoons no tweet.

O concurso começou dia 21 de fevereiro e termina em 15 de abril deste ano. E aí, se sente preparado para arriscar?