Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Alinhamento entre Júpiter e Saturno acontece nesta segunda-feira

O evento, conhecido como “Grande Conjunção", será visível no mundo inteiro. A última vez em que os planetas apareceram tão próximos foi no século 13.

Por Carolina Fioratti Atualizado em 21 dez 2020, 13h26 - Publicado em 15 dez 2020, 16h22

A chegada do verão no hemisfério sul será acompanhada por um evento astronômico raro. No final da tarde desta segunda-feira, 21 de dezembro, os planetas Júpiter e Saturno estarão praticamente grudados no céu, formando o que os cientistas chamam de “Grande Conjunção”. 

O fenômeno ocorre a cada 19,85 anos. Ele marca o tempo em que Júpiter, que leva 11,86 anos para orbitar o Sol, e Saturno, que demora 29,4 anos para cumprir o mesmo percurso, encontram-se finalmente alinhados.

Mas não se engane: os planetas não estarão no mesmo plano – se esse fosse o caso, Júpiter bloquearia a visão de Saturno, dado seu tamanho colossal. Apesar de parecerem extremamente próximos, ambos estão em pontos diferentes do céu, e a centenas de milhões de quilômetros de distância um do outro.

O evento aconteceu pela última vez em maio de 2000, mas ninguém viu: a posição dos planetas no céu não estava favorável para a visualização. A última vez em que os astros apresentaram um alinhamento tão próximo e visível quanto o dos próximos dias foi na Idade Média, mais precisamente em 4 de março de 1226.

A aproximação tem início nesta quarta-feira (16) e vai até o Natal (25). O ápice do fenômeno, porém, deve acontecer no dia 21. Se você começar a observar o céu amanhã – e as condições climáticas forem favoráveis –, provavelmente notará os pontos brilhantes ficando cada vez mais próximos.

Na segunda-feira (21), a distância esperada entre os dois planetas será equivalente a um quinto do diâmetro da lua cheia. É bem pouco, se comparado aos 646 mil quilômetros que costumam separá-los. Se a medida em diâmetros lunares parecer muito abstrata, pense que você consegue cobrir o satélite apenas com o polegar, e que a distância entre os planetas, da nossa visão aqui da Terra, será equivalente à pontinha do dedo. 

  • Quem parar frente à janela não precisará nem forçar muito o pescoço. A Grande Conjunção estará formada num ponto mais baixo do céu, ao oeste, com Júpiter à esquerda e Saturno à direita. Como é de praxe para eventos astronômicos, o ideal é estar em um local sem prédios e com pouca luminosidade artificial. Além disso, será necessário contar com a boa vontade da mãe natureza para garantir um céu livre de nuvens.

    Um par de binóculos também poderá ajudar a distinguir os planetas, que por estarem muito próximos, poderão ser avistados apenas como uma grande estrela. Outra opção é acompanhar o evento online, que estará sendo transmitido ao vivo por observatórios do mundo todo.

    Quem quiser assistir ao fenômeno com nitidez maior precisará esperar até 15 de março de 2080. Nessa data, os planetas ficarão bem pertinhos e brilhantes novamente, porém em um ponto mais alto do céu. Depois disso, só em 2400. 

    Continua após a publicidade
    Publicidade