Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Bactéria do solo pode ajudar no combate à ansiedade

A Mycobacterium vaccae impediu que ratos desenvolvessem ansiedade mesmo em situações de estresse - e, agora, cientistas querem transformá-la em vacina

Por Felipe Sali
7 jun 2018, 17h36
  • Seguir materia Seguindo materia
  • Quase 10% da população brasileira sofre de ansiedade, uma das maiores taxas do mundo. O transtorno é complexo e pode se manifestar de muitas de formas diferentes. Agora, os pesquisadores da Universidade do Colorado estão tentando desenvolver uma vacina para blindar pacientes de pelo menos uma das suas causas. Tudo graças a uma espécie de bactéria do solo.

    Publicidade

    O estudo publicado no periódico Brains, Behavior and Immunity, relata teste bem sucedidos em que a bactéria, chamada Mycobacterium vaccae, foi injetada em ratos. Oito dias após o tratamento, as cobaias apresentaram níveis mais altos de uma proteína antiinflamatória chamada interleucina-4 na região do cérebro. Essa proteína é associada ao controle do humor, ansiedade e medo.

    Publicidade

    Depois desse período, os ratos eram expostos a situações de estresse. Como resposta, eles apresentavam níveis mais baixos que o normal de HMGB1, outra proteína, que é induzida pelo estresse e responsável por sensibilizar o cérebro à inflamação. Em outras palavras: os ratos tinham aumento de uma proteína “calmante” e a redução de uma proteína “estressante”. Eram, em resumo, ratos menos ansiosos.

    Continua após a publicidade

    A lógica por trás do estudo é simples. Já é consenso entre os pesquisadores da área que diferentes tipos de inflamação no cérebro têm impacto direto sobre a nossa saúde mental – podendo gerar, como consequência, ansiedade e depressão.

    Publicidade

    A grande vantagem da Mycobacterium vaccae é que a bactéria estimula o cérebro a desenvolver proteínas anti-inflamatórias, que trazem de volta o equilíbrio ao órgão e criam uma barreira contra esses efeitos. Agora, o desafio é replicar o resultado em humanos.

    A má notícia é que, como dissemos no início do texto, a ansiedade (assim como o cérebro humano) é complexa. Neuroinflamação é apenas um dos gatilhos do transtorno e evitar isso, apesar de diminuir as chances, não será capaz de garantir sozinho o seu equilíbrio emocional. Mas sabemos que toda ajuda é bem vinda.

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade

    Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

    Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

    A ciência está mudando. O tempo todo.

    Acompanhe por SUPER.

    MELHOR
    OFERTA

    Digital Completo
    Digital Completo

    Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

    a partir de R$ 2,00/semana*

    ou

    Impressa + Digital
    Impressa + Digital

    Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

    a partir de R$ 12,90/mês

    *Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
    *Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

    PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
    Fechar

    Não vá embora sem ler essa matéria!
    Assista um anúncio e leia grátis
    CLIQUE AQUI.