Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Como agem os repelentes de insetos?

Por meio do odor que o en-gana, o inseto reconhece algo tóxico ou um predador, um inimigo natural capaz de ameaça-lo.

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h48 - Publicado em 31 out 2003, 22h00

Perigo. Essa é a mensagem que os mos-quitos recebem quando sentem o cheiro de um repelente impregnado na pele de uma pessoa. Por meio do odor que o en-gana, o inseto reconhece algo tóxico ou um predador, um inimigo natural capaz de ameaça-lo. Para conseguir esse efeito, as fabricantes de repelentes utilizam ex-tratos vegetais e produtos químicos na composição dos cremes. São substâncias atóxicas para o homem. “Esses produtos podem fazer mal aos mosquitos, embora não os matem. Eles podem sentir difi-culdade para voar, por exemplo”, diz Odair Correa Bueno, pesquisador do Centro de Estudos de Insetos Sociais do Instituto de Biociências da Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus de Rio Claro. Segundo Bueno, a composição da fórmula desses produtos procura repelir a maioria das espécies, o que nem sempre é possível – por isso, podem fa-lhar em alguns casos.

Outra forma de afastar os insetos sem utilizar cremes só os repelentes que usam ondas sonoras inaudíveis aos seres humanos, mas que importunam os mosquitos-fêmea. Explica-se: depois do cruzamento, a fêmea, que pica as pessoas em busca de sangue para a maturação dos seus ovos, não se aproxima mais do macho. Para perceber a presença dele – e fugir -, ela fica atenta ao som que ele produz. A indústria de repelentes conseguiu reproduzir esse som.

 

Publicidade