Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Dá para crescer depois de adulto?

Quase nada. Depois da adolescência, só com muita dor e reza brava.

Por Reinaldo José Lopes Atualizado em 8 nov 2019, 14h16 - Publicado em 24 jun 2010, 22h00

Se você é verticalmente prejudicado, não se iluda: depois que a fase natural de crescimento passa, é difícil conseguir resultados significativos, e o único tratamento que funciona é complicado.

Durante a puberdade, somos afetados de duas formas pelos hormônios sexuais. Primeiro, eles estimulam a liberação do hormônio do crescimento. É o que gera o famoso estirão. Mais tarde, porém, eles provocam a calcificação das cartilagens de crescimento entre os ossos. Enquanto houver cartilagem, há esperanças.

Depois… “Uma vez fechadas, há pouco crescimento adicional”, diz a endocrinologista Leila Pedroso de Paul. “Atingimos 97% da nossa altura final aos 13 anos de idade óssea para meninas e aos 16 para meninos.” É a vida.

Osso duro de roer
O método Ilizarov é o único que funciona depois de adulto – e é também muito parecido com tortura

1. Armadura
O procedimento demora até um ano. Primeiro, são colocados anéis de metal ao redor da perna, que são fixados cirurgicamente ao osso por pinos. Os anéis são ajustáveis e se afastam por roscas.

2. Quebra tudo
Com a ajuda de uma serra cirúrgica, a parte exterior e mais dura do osso é quebrada e separada. Agora já é possível ajustar a distância entre os pedaços do osso com a ajuda dos anéis.

3. Estirão
Aos poucos, o paciente afasta a fratura, num ritmo de 1 milímetro ao dia. O osso fica mais comprido à medida que cicatriza. O ganho de altura pode ser de até 5 centímetros – já a dor é imensurável.

Continua após a publicidade
Publicidade