Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Vídeo mostra tartaruga-gigante caçando filhote de pássaro nas Ilhas Seychelles

Pesquisadores já sabiam que algumas tartarugas poderiam consumir alimentos de origem não vegetal, mas essa foi a primeira vez que o comportamento predador foi registrado.

Por Carolina Fioratti 24 ago 2021, 15h57

Nem mesmo os programas televisivos de vida selvagem foram capazes de registrar uma cena como essa: uma tartaruga-gigante-de-aldabra (Aldabrachelys gigantea) persegue um filhote de pássaro que, incapaz de voar, vê-se encurralado pelo réptil. No momento em que a ave não tem mais para onde fugir, a tartaruga abocanha seu crânio – golpe fatal para o filhote, que agora virou almoço. 

O registro foi feito em uma floresta na Ilha Fregate, no arquipélago de Seychelles, local em que as tartarugas da espécie citada são endêmicas. A caça levou, no total, sete minutos, mas o vídeo gravado por Anna Zora, gerente adjunta de conservação e sustentabilidade da ilha, mostra apenas os momentos finais da emboscada. Veja:

Apesar de as tartarugas serem conhecidas como animais herbívoros, alguns pesquisadores já avistaram esses répteis consumindo ossos de pássaros, restos de caranguejos, cascas de caramujo, entre outros alimentos proteicos. Mas os cientistas imaginavam que as tartarugas comiam apenas o que estava à disposição no ambiente, e não que fossem capazes de caçar. O vídeo é a primeira evidência registrada do comportamento predador destes répteis.

O episódio foi descrito por Anna Zora e Justin Gerlach, pesquisador da Universidade de Cambridge (Reino Unido), na revista Current Biology. Os cientistas não sabem dizer com que frequência as caçadas ocorrem, mas os indícios sugerem que o comportamento é mais comum do que eles imaginavam – pelo menos, entre as tartarugas da Ilha Fregate. De acordo com os pesquisadores, a abordagem utilizada pelo animal do vídeo sugere que ele tem experiência em caçadas e que seus movimentos eram premeditados. 

Para se alimentar com folhas e frutos, as tartarugas estendem a língua e puxam o alimento para a boca. No vídeo, o réptil está com as mandíbulas abertas, língua retraída e olhos fechados, comportamento que as tartarugas adotam quando agem agressivamente. O filhote pertencia à espécie andorinha-do-mar-preta-menor (Anous tenuirostris), e parece ter caído do ninho. Quando isso ocorre, o instinto dessas aves faz com que eles evitem o solo a qualquer custo, e por isso o pássaro parece ter se mantido sobre o tronco de árvore mesmo com a ameaça do predador.

James Gibbs, herpetologista da Universidade Estadual de Nova York não envolvido no estudo, sugeriu ao The New York Times uma explicação para a caça da tartaruga. Em sistemas insulares, a oferta de cálcio, mineral essencial para a construção de cascas de ovos, costuma ser baixa. A tartaruga pode ter comido o pássaro para se alimentar do cálcio dos ossos dele – e, com isso, conseguir colocar ovos. 

Continua após a publicidade

Publicidade