Assine SUPER por R$2,00/semana
Imagem Blog

Oráculo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por aquele cara de Delfos
Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail maria.costa@abril.com.br.
Continua após publicidade

Qual parte da Via Láctea nós enxergamos daqui?

Como descrever um lugar se você está dentro dele?

Por Maria Clara Rossini, Alexandre Carvalho
19 ago 2022, 08h44

A Via Láctea tem essencialmente duas partes: uma estrutura redonda e densa no meio, chamada “bojo”, e um disco achatado em volta do bojo. Esse disco é subdivido em braços. (Imagine um ventilador de teto. As pás são os braços, a lâmpada no meio é o bojo). 

O Sistema Solar mora em um desses braços, mais ou menos na metade da distância entre o centro e a extremidade. Quando você olha para o céu, quase todas as estrelas ao seu redor são nossas vizinhas aqui. Estão dentro do Braço de Órion, conosco. 

Ou seja: você está na Via Láctea. Somos todos moradores dela. Enxergar a Terra ou o Sol ou Saturno já é enxergar um pedaço da galáxia. 

Imagem da Via Lácta com uma seta apontando para onde estamos.
(Nasa/JPL-Caltech/R. Hurt (SSC-Caltech)/Reprodução)

A questão é outra: você já deve ter visto moradores de bairros distantes (especialmente os mais velhos) dizerem “vou à cidade” no sentido de que vão ao centro da cidade – mesmo que eles já estejam na cidade.

De maneira parecida, acabamos usando o termo “Via Láctea” para se referir ao centro da Via Láctea – o bojo brilhante. Como se o braço periférico onde o Sistema Solar se localiza não fosse parte da galáxia. 

Continua após a publicidade

Se você olhar na direção do centro da Via Láctea, sem poluição nem iluminação artificial por perto, é possível ver o bojo mais brilhante no meio de uma faixa esbranquiçada de estrelas (o fato de parecer uma faixa explica o nome de “via”, e a cor, a referência ao leite).

Essa faixa esbranquiçada, claro, são os braços da galáxia vistos de lado, porque estamos dentro de um deles. É como ver um CD de cima (você vê um círculo) versus ver um CD de lado (você vê só um risco, porque o CD é achatado).  

Quanto mais próximo da Linha do Equador você estiver, mais dá para visualizar. Para quem vive no Hemisfério Sul, o centro da Via Láctea está bem acima das nossas cabeças. Já para quem mora no Hemisfério Norte, o centro da galáxia aparece baixo no céu.

Por fim, uma curiosidade: nós giramos em torno do Sol – e o Sol, por sua vez, gira em torno do núcleo da galáxia, juntos das nossas estrelas vizinhas que habitam o Braço de Órion.

Continua após a publicidade

Nós levamos 230 milhões de anos para completar uma volta completa. Da última vez em que a Terra esteve do outro lado da Via Láctea, há 115 milhões de anos, não havia nem Homo sapiens por aqui (só demos as caras há cerca de 300 mil anos).

Compartilhe essa matéria via:

Pergunta de @luiz_h_ortiz, via Instagram

Fonte: Ramachrisna Teixeira, professor do Instituto de Astronomia da USP

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.