Assine SUPER por R$2,00/semana
Imagem Blog

Oráculo

Por aquele cara de Delfos
Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail maria.costa@abril.com.br.
Continua após publicidade

Quem inventou os óculos?

É uma história comprida – que envolve assírios, Nero, um frei e o oculista do rei Jorge II.

Por Bruno Vaiano Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 8 ago 2019, 15h09 - Publicado em 20 mar 2019, 16h11

Lentes (mais precisamente, lupas) são uma invenção antiga: nas ruínas da cidade assíria de Nínive, às margens do rio Tigre – onde hoje está a periferia de Mossul, no Iraque –, foram encontradas pedras translúcidas e arredondadas que eram usadas para ampliar textos em 609 a.C.

Em 54 d.C., o historiador Plínio relatou que Nero governava Roma com auxílio de lentes de esmeralda, sustentadas por um anel no dedão. A ideia de apoiar as lentes no nariz, em vez de segurá-las com as mãos, só veio muito depois – obra de artesãos anônimos dos arredores da cidade de Pisa, na Itália, por volta de 1290.

Sabemos disso graças ao registro um sermão proferido em 1306 por um clérigo popstar da época, o frei Giordano do castelo de Rivalto: “Ainda não faz 20 anos que se descobriu a arte de fazer óculos, que tornam a visão melhor, uma das melhores artes e mais necessárias do mundo”, disse Giordano aos fiéis.

Os eruditos da época, em geral associados à Igreja Católica, se tornaram fãs do acessório. É de se imaginar a falta que faziam óculos para pessoas mais velhas, que liam manuscritos em ambientes escuros com auxílio de velas. 

Continua após a publicidade

Os óculos dessa época, porém, não possuíam hastes como as das armações atuais – a primeira menção a elas só viria 500 anos depois, em um catálogo de 1730 fornecido pelo oculista Edward Scarlett a Jorge II, rei da Inglaterra.

As hastes de Scarlett, curtinhas, serviam para apoiar os óculos nas têmporas, e não nas orelhas. Óculos do jeitinho que a gente conhece, em que o apoio nas orelhas é mais importante que o do nariz, só se tornaram comuns no final século 19.

Fonte: Renaissance Vision from Spectacles to Telescopes, Vincent Ilardi (link); A Short History of Spectacles, G. T. Willoughby Cashell, FRCS (link).

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.