GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Genitália – Os centímetros mais polêmicos do mundo

As comparações do pênis com outras partes do corpo são tão populares quanto infundadas. Veja as pesquisas que desmistificam e esclarecem o mito que causa dúvida nos homens e especulações nas mulheres

O segredo está no pé…
Quanto maior o pé, maior o pênis, segundo o estudo canadense de 1993 de Kerry Siminoski e Jerald Bain. Eles compararam o número de sapato, a altura e o comprimento do pênis esticado de 63 homens. Conclusão? As duas medidas estavam relacionadas à do órgão. O estudo deu em prêmio Ig Nobel de Estatística em 1998. Mas nada de comemorar, pezudos e altões. Em 2002, o British Journal of Urology publicou outro estudo, com 104 homens, derrubando a correlação entre medidas.

Na mão…
Outra técnica popular de avaliação do dote é calcular a distância da ponta do dedo médio até onde ele encostar na palma da mão. Mito. Mas uma pesquisa coreana mostrou outra fonte da verdade: quanto mais curto for o dedo indicador em comparação ao anelar, maior o pênis. Essa razão entre medidas estaria relacionada ao nível de exposição à testosterona ainda no útero.

Ou no popozão?
A tribo nigeriana Igbo acredita que, quanto menor for a traseira, maior será a dianteira. Para provar, pesquisadores da Universidade Nnamdi Azikiwe mediram o pênis esticado, o quadril e o índice de massa corporal (IMC) de 115 homens. O IMC foi irrelevante, mas a relação do pênis com a bunda ficou provada – só que ao contrário. Popozudos são mais bem dotados. Nada como um pacote completo.

Neuras masculinas

Um estudo britânico de 2007 analisou mais de 50 pesquisas internacionais sobre o tamanho do pênis conduzidas desde 1942 e concluiu que os homens se preocupam mais do que deveriam:

• 90% das mulheres preferem um pênis grosso a um pênis longo.

• Tamanho importa mais para o homem do que para a mulher.

• A “síndrome do pênis pequeno” (obsessão pelo tamanho) é mais comum em quem tem pênis de tamanho normal do que micropênis (menores que 7 cm quando eretos).

• 85% das mulheres se dizem contentes com o tamanho do pênis do companheiro, enquanto 55% dos homens estão satisfeitos com seu dote.

• O pênis não diminui conforme o homem envelhece.

Quanto maior o dote, pior a economia

O tamanho do seu pênis importa para a economia do país, mostrou em 2011 uma pesquisa da Universidade de Helsinque, Finlândia. Isso vale mais do que o regime político. O estudo relacionou o crescimento do PIB de 76 países com o tamanho do órgão masculino e descobriu que, quanto maior for a média peniana, menor será o crescimento econômico. Se os franceses com sua média de 16,1 centímetros tivessem órgãos masculinos iguais aos 13,9 centímetros britânicos, o PIB do país da baguete teria se expandido 15% mais entre 1960 e 1985. A culpa seria da autoestima – afinal, um povo menos dotado seria mais trabalhador para compensar o sexo com uma boa fortuna.