Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Por que as pessoas amam filmes de terror?

O segredo está na endorfina liberada depois que o medo passa

Por Ingrid Luisa
31 out 2018, 18h20

Filme de terror é aquilo: ou você ama ou você odeia — e foge. Quem gosta de filme de horror lota salas de cinema e torna filmes de orçamentos modestos grandes fenômenos de bilheteria — como o recente A Freira, que arrecadou US$ 177 milhões em apenas duas semanas, partindo de um custo de apenas US$ 10 milhões. Mas, por que tanta gente gosta de filmes de horror? O que realmente se passa no cérebro de pessoas que amam o medo?

Um estudo de pesquisadores da Universidade de Pittsburgh tenta explicar isso. De acordo com ele, depois de uma experiência assustadora e voluntária (como ir ao cinema ver um filme de terror), as pessoas melhoram seu humor e ficam mais relaxadas.

“É muito semelhante, pelo menos em um nível fisiológico e neurológico, à experiência de um atleta de corrida profissional. Durante o momento de horror, você está realmente forçando o seu sistema nervoso autônomo a ficar ligado”, explica a coautora do estudo, Margee Kerr. Quando a situação assustadora acaba, o alívio faz uma grande quantidade de endorfina ser liberada no cérebro, o que causa o bem-estar — e o gosto das pessoas pelo horror momentâneo.

Para constatar isso, Kerr e seus colegas foram direto a uma fonte assustadora: o ScareHouse, local que oferece uma experiência de “casa mal assombrada”, localizado em Pittsburgh. Kerr escolheu o lugar pois percebeu que seria o ambiente perfeito para estudar o medo e as pessoas que optaram por suportá-lo.

Os pesquisadores recrutaram para o estudo pessoas que já haviam comprado ingressos para a ScareHouse, pois era importante estudar pessoas que voluntariamente se submetem a atividades aterrorizantes — por motivos sociais ou de entretenimento. No total, 262 voluntários preencheram questionários sobre o seu humor antes e depois da experiência.

Depois da experiência, cerca de metade das pessoas relataram estar de melhor humor, e não houve diferenças significativas entre os sexos. A maioria dos voluntários afirmou se sentir feliz depois de passar pela casa assombrada, enquanto algumas relataram cansaço e ansiedade. “Após o fim da experiência, as pessoas se sentem bem. É como a ideia de compensar a dor: você se sente melhor quando a dor é removida ”, explica Kerr. Na verdade, o que as pessoas amam não é o medo, mas sim o prazer que ele traz depois de passar.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.