GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

5 evidências de que viajar para o passado (ainda) é impossível

Hoje é um dia histórico para a comunidade nerd. Há 30 anos, Marty McFly e o Doutor Brown programavam o DeLorean pela primeira vez para voltar 30 anos no tempo e ir parar em 1955. Além disso, em 1989, quando o DeLorean faz sua segunda viagem temporal – desta vez, para o futuro – é para esta data, 21/10/2015, que a nave espaço-temporal é programada. Assim nasceu o “Back to the Future Day”. Nossos carros ainda são bem diferentes do que os produtores do filme imaginaram que seriam, as propagandas nos cinemas ainda não disparam hologramas que ameaçam te comer, e ainda aguardamos ansiosamente os Hover Boards que nos levarão para todos os lugares sem enfrentar trânsito. Além disso, nunca conseguimos viajar no tempo de verdade. E talvez nunca consigamos – pelo menos para o passado*. A ciência explica os porquês, e a gente decifra tudo aqui. Vem com a gente!

5. Hipótese da censura cósmica fraca

Uma das formas já imaginadas de viajar no tempo é entrando em um buraco negro e sendo sugado por sua singularidade (que, segundo o mega físico Stephen Hawking, é a força motriz da supergravidade dos buracos negros e “chupa” toda e qualquer coisa para dentro, tornando impossível que qualquer coisa – até a luz – saia dele). O que essa hipótese não considera, porém, é que é absolutamente impossível que algum objeto resista à singularidade de um buraco negro. A força da singularidade é tão grande, que destrói a matéria. Assim, até que uma singularidade seja encontrada fora de um buraco negro, esse método de viagem para o passado é impossível. 

4. Conjectura da proteção cronológica

Na matemática física, existe um conceito chamado de “closed timelike curve” (CTC – ou uma curva temporal fechada), que se define como um caminho fechado (tipo um círculo) de qualquer objeto que viaje pela dimensão espaço-temporal. Isso significa dizer que um objeto que sai do aqui e do agora viajará pelo tempo até retornar para o aqui e agora. A conjectura de que estamos falando, elaborada por ninguém menos que o próprio Stephen Hawking, prevê que a CTC não exista (já que nenhuma teoria matemática ainda foi capaz de provar isso) e que, portanto, não é possível voltar para o passado e vir para o presente de novo. Se alguém, um dia, conseguir provar a existência da CTC, essa teoria de Hawking cai por terra. 

3. Turistas do futuro

Esta é bem óbvia e também foi apontada por Stephen Hawking, e é defendida por uma série de outras megamentes da física. Basicamente, o que ele questiona é: se é possível viajar no tempo, onde estão todos os turistas do século XLI (41, se você faltou à aula de algarismos romanos no ensino básico) que não vieram ainda nos fazer uma visita? Será que o início do século XXI é assim tão chato, que eles não têm nenhum interesse em vir ver o que estava rolando por aqui? “É claro que eles não vão sair contando para todo mundo que são viajantes do tempo”, você pode pensar. Mas os nerds já pensaram nisso também. Mundo afora, há reuniões periódicas com o objetivo de provar a viagem no tempo. São datas conhecidas para a comunidade que se interessa pelo assunto. Assim, o que os participantes esperam é que, lá no futuro, os viajantes saibam da existência desses encontros (assim como nós sabemos da existência do encontro Rio 1992, por exemplo, ou das Copas do Mundo) e viagem para eles, provando a existência de viagens no tempo. Infelizmente, nenhum (fu)turista apareceu ainda pra contar sobre sua jornada.

2. Teoria da relatividade

Mesmo sem saber exatamente o que significa, todo mundo sabe que E=mc². Bem. Essa fórmula explica quanta energia existe em qualquer pedaço de matéria. Por outro lado, explica também o que acontece com a massa quando essa viaja mais rápido (o “c” da fórmula equivale à velocidade da luz). Quanto mais rápido algo se locomove, mais energia é necessária para manter a viagem. Quando um objeto se aproxima da velocidade da luz, ele se aproxima também de uma massa infinita – e, consequentemente, requer energia infinita para continuar viajando. Diz a teoria que, se um corpo rompe a barreira da luz, ele consegue voltar no espaço (e, para isso, ele precisará de energia infinita e mais um pouco). O único probleminha é que “energia infinita” é, hoje, algo impossível de ser conseguido – agora, imagine “energia infinita mais um chorinho”? 

1. Paradoxo temporal

No filme “Loopers – Assassinos do futuro”, os personagens são matadores de aluguel muito hi-tech, que viajam no tempo para encontrar suas vítimas. Assim eles vivem até o momento em que eles viajam para o futuro para matarem a si mesmos. Mas também seria possível que eles viajassem para o passado e matassem uma versão mais jovem de si mesmos, correto? Porém, se você morre, como terá existido para viajar no tempo e matar a si mesmo? Com nossos conhecimentos atuais de física, a única chance de isso acontecer seria se a mesma coisa acontecesse em várias realidades paralelas. Em uma delas, você é esfaqueado em um bar aos 100 anos, na outra, é atropelado enquanto ainda criança e, na outra pode estar lendo neste exato momento este texto. Porém, ninguém ainda formulou completamente a teoria das realidades paralelas. Até lá, o paradoxo temporal ainda permanece.

* Um adendo: todas essas considerações foram feitas tendo em vista o que nós sabemos sobre ciência hoje e os mistérios que já deciframos atualmente. Porém, cada descoberta científica abre diante de nós milhares de caminhos não previstos nem esperados. Então, pode ser que amanhã o rompimento de uma nova fronteira científica faça cair por terra todos esses argumentos. 

E você, se pudesse voltar no tempo, para onde iria?

Leia mais
15 curiosidades divertidas sobre o filme De Volta Para o Futuro
12 fatos importantes sobre a saga De Volta Para o Futuro
7 filmes e séries que escorregaram feio na ciência