Clique e assine a partir de 5,90/mês

Filmes liderados por elencos femininos tendem a ganhar notas piores de usuários e críticos homens

Levantamento indica um desequilíbrio nas avaliações feitas no agregador de críticas Rotten Tomatoes

Por Jessica Soares - Atualizado em 31 out 2016, 19h03 - Publicado em 15 jul 2016, 15h15

Quando tem algo estranho na vizinhança, há um novo time que você pode chamar – e, por aqui, a gente está bem feliz com a notícia. Caça-Fantasmas, filme que dá nova vida à franquia iniciada na década de 1980 com um novo quarteto de especialistas do paranormal (formado pelas atrizes Melissa McCarthy, Kristen Wiig, Kate McKinnon e Leslie Jones), chegou aos cinemas brasileiros na quinta (14). E, apesar de ter recebido críticas favoráveis e contar atualmente com 73% de aprovação no Rotten Tomatoes, um levantamento feito pelo portal Salon indica um desequilíbrio nas avaliações do longa no agregador de críticas cinematográficas e televisivas e um dos principais termômetros da recepção de produções audiovisuais. Até 12 de julho, 77% dos críticos que avaliaram mal o filme eram homens. Por outro lado, 84% das mulheres fizeram avaliações positivas do longa-metragem liderado pelo novo time de caça-fantasmas.

Na data, havia uma diferença de 10 pontos percentuais entre as avaliações de críticos homens e mulheres. No IMDb, principal base de dados de informações de produções audiovisuais, o desequilíbrio é ainda maior: o longa-metragem apresenta, em 15 de julho, a baixíssima nota 4,3 em uma escala de 1 a 10 – e quem está jogando para baixo a nota do filme são os usuários homens. Segundo dados do site, enquanto mulheres de todas as idades avaliaram o filme com nota média de 7,7, homens deram uma nota média de 3,7 para o longa. Comparativamente, a nota atual do filme no portal IMDb é a mesma que tem a bomba Quarteto Fantástico, que recebeu a Framboesa de Ouro em 2015, prêmio que “homenageia” as piores produções do ano.

A pontuação (ainda que subjetiva e uma medida incerta para a qualidade do filme) é injusta – e não se trata de um caso isolado. “As mulheres estão acostumadas a se identificarem ativamente com o protagonista de um filme liderado por homens. É isso que nós fizemos durante todas as nossas vidas. Você leu os livros de história, você leu a grande literatura, Shakespeare – são todos caras. Mas eles nunca tiveram que fazer o contrário. E a coisa mais difícil para mim, como atriz, é ter uma história em que os homens do público sintam que entendem o que está se passando. É coisa muito difícil para eles se colocar no lugar da protagonista feminina”, afirmou, em um painel realizado no ano passado, a premiadíssima atriz Meryl Streep. 

Por o “cara comum” ser tratado muitas vezes como o modelo padrão de protagonista em produtos visuais, isso afeta não apenas como os filmes liderados por mulheres são recebidos, mas também como são avaliados. E não ajuda que, como dita o jogo em Hollywood, no campo da crítica cinematográfica especializada as mulheres também sejam minoria – já falamos por aqui, mas não custa repetir: há menos oportunidades para mulheres e para artistas negras e negros no cinema, e esta é uma realidade também na TV.

O estudo Thumbs Down 2016: Top Film Critics and Gender, desenvolvido pelo grupo de pesquisa da San Diego State University (EUA) e que investiga a presença e a representação da mulher na televisão e no cinema, apontou que os principais críticos do Rotten Tomatoes são homens. O estudo considerou um total de 5.776 críticas escritas por 247 dos chamados “top critics” – nata de escritores e escritoras influentes que trabalham em publicações impressas que estão entre os 10% veículos de maior circulação dos Estados Unidos, emissoras nacionais ou em veículos online com mais de 1,5 milhões de visitantes únicos mensais. No primeiro semestre de 2016, homens representavam 73% dos “top critics” do site, enquanto as mulheres eram apenas 27%.

Os números gerais do agregador de críticas seguem o mesmo descompasso: dos críticos cinematográficos empregados por veículos da imprensa, homens representam 74% e as mulheres são apenas 26%. Entre autônomos, eles são 75%; elas, 25%. Homens escrevem mais resenhas de filmes em todos os gêneros do que as mulheres e são elas que resenham mais longas-metragens estrelados por atrizes – 34% das críticas assinadas por mulheres tratavam de filmes com protagonistas femininas, enquanto apenas 24% dos longas avaliados por homens tinham mulheres à frente do elenco (um dado que o estudo não consegue identificar se está relacionado a gostos pessoais dos profissionais ou decisões editoriais dos veículos que os empregam).

A pesquisa aponta que, ainda que a avaliação feita por homens e mulheres sobre longas-metragens com protagonistas femininas não seja discrepante em todos casos (a pontuação média conferida aos filmes por ambos sexos foi de 66% de Tomates Frescos), homens têm espaço desproporcional nesses campos. Além disso, analisando individualmente outras produções audiovisuais, é possível notar que profissionais homens e mulheres receberam de forma bem diferente produções lideradas por nomes femininos – e não apenas em casos em que atrizes assumem uma franquia com elenco previamente masculino, como no caso de Caça-Fantasmas.

O portal Salon também lançou um olhar sobre alguns dos filmes liderados por elencos femininos lançados na última década e são poucos o que receberam avaliações equilibradas de homens e mulheres. A Espiã Que Sabia de Menos (2015), filme também dirigido por Paul Feig e estrelado por Melissa McCarthy, é a produção em que essa diferença é mais gritante – neste caso, todos os críticos agregados pelo Rotten Tomatoes que não gostaram do filme eram homens. Confira abaixo:

Continua após a publicidade

Meninas Malvadas (2004) 
Nota no Rotten Tomatoes: 83
Críticas negativas assinadas por homens: 75%
Mulheres que escreveram críticas positivas: 82%

Quatro Amigas e um Jeans Viajante (2005)
Nota no Rotten Tomatoes: 77
Críticas negativas assinadas por homens: 77%
Mulheres que escreveram críticas positivas: 83%

Em Seu Lugar (2005)
Nota no Rotten Tomatoes: 75
Críticas negativas assinadas por homens: 78%
Mulheres que escreveram críticas positivas: 76%

Missão Madrinha de Casamento (2011)
Nota no Rotten Tomatoes: 90
Críticas negativas assinadas por homens: 78%
Mulheres que escreveram críticas positivas: 88%

A Escolha Perfeita (2012)
Nota no Rotten Tomatoes: 80
Críticas negativas assinadas por homens: 93%
Mulheres que escreveram críticas positivas: 94%

A Escolha Perfeita 2 (2015)
Nota no Rotten Tomatoes:  66
Críticas negativas assinadas por homens: 75%
Mulheres que escreveram críticas positivas: 66%

A Espiã Que Sabia de Menos (2015)
Nota no Rotten Tomatoes: 94
Críticas negativas assinadas por homens: 100%
Mulheres que escreveram críticas positivas: 100%

Um Senhor Estagiário (2015)
Nota no Rotten Tomatoes: 61
Críticas negativas assinadas por homens: 81%
Mulheres que escreveram críticas positivas: 70%

Nos filmes analisados pelo portal, avaliações negativas masculinas foram responsáveis por uma queda média de 5,25 pontos na avaliação geral do filme – um número que provavelmente só vai diminuir quando mais mulheres tiverem voz no campo da crítica especializada e mais filmes protagonizados por mulheres chegarem às telonas.

Continua após a publicidade
Publicidade