GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Konami vai produzir prótese de Metal Gear para fã amputado

A produtora de games vai fazer um modelo de braço estilizado com referência ao mundo dos jogos

Um dos carros-chefes da produtora de games Konami é Metal Gear Solid. O título se consolidou como uma das séries de jogos mais cultuadas das últimas décadas e tem como um de seus protagonistas Venon Snake, agente especial com uma prótese robótica no lugar do braço. O molde do membro mecânico ficou cult. Quem comprava a edição de colecionador do novo jogo da franquia, Metal Gear Solid V: Phanton Pain, pagando 99 dólares (o dobro do preço, em relação à versão comum), ganhava uma réplica em miniatura do membro. Agora, um fã da série não vai ter que se contentar com a versões pequenas, ele vai ganhar um braço inspirado na série, em tamanho real e funcional como prótese.

O escolhido em questão se chama James Young, de 25 anos. Apaixonado pela série Metal Gear, caiu nos trilhos do trem de Londres, em 2012, e acabou perdendo um braço e uma perna. Young não parou de jogar games. O britânico aprendeu a manusear os controles utilizando apenas um braço. A Konami ficou sabendo da história e resolveu começar o Phanton Limb Project, iniciativa que fará a prótese.

LEIA: Uma prótese de braço feita de Lego

Quem cuidará do design da peça é a artista especializada Sophie De Oliviera Barata. Seu nome está longe de ser desconhecido no ramo. Ela é responsável pelo projeto Alternative Limbs, que criou próteses estilizadas para alguns poucos clientes. Entre seus trabalhos mais ilustres, está um modelo feito para a artista inglesa Viktoria Modesta. Foi justamente com uma criação de Barata, que Modesta se apresentou no encerramento das paraolimpíadas de Londres, em 2012. A promessa é que a prótese de Young o ajude a jogar videogames e venha com algumas surpresas a serem anunciadas.

Todo o processo de desenvolvimento será gravado e lançado como documentário de três partes. De acordo com o anúncio da empresa o objetivo é “contar a história inspiradora sobre o que significa ser um amputado, sentir a dor fantasma (Phanton Pain, o nome do game em inglês), superar a perda e como a tecnologia muda nossas percepções sobre deficiência”. Enquanto o filme não sai, partes da evolução do projeto serão divulgadas no blog e no Twitter oficial da inciativa. 

LEIA TAMBÉM: 
Os 30 games mais importantes de todos os tempos
Os maiores espiões de todos os tempos​
Sem paixão, a ciência não anda