Clique e assine a partir de 8,90/mês

Netflix está testando botão que escolhe suas séries e filmes aleatoriamente

O recurso está disponível na plataforma de alguns usuários desde julho – e depende da aprovação do público para se manter ou não.

Por Carolina Fioratti - 20 ago 2020, 16h53

Se você faz parte daquele grupo de assinantes da Netflix que sempre abrem a plataforma, mas nunca sabem o que assistir, seus problemas podem estar perto de acabar. Desde julho, a plataforma vem testando um botão de reprodução aleatória, capaz de escolher pelo usuário qual será o filme ou série da vez. 

A escolha, apesar de aleatória, é baseada na lista de interesse do usuário e também em seu histórico: se você gosta de romances, o sistema dificilmente te indicará filmes de terror. Nada impede, inclusive, que a Netflix comece a passar um episódio daquela série que você abandonou há algumas semanas.

A ferramenta, claro, não deixa de ser uma estratégia de marketing, já que o serviço pode apresentar novos programas (com vários episódios) para os assinantes.

Por enquanto, a novidade foi liberada para testes em poucas contas, e apenas para aqueles que têm o streaming liberado diretamente na televisão. Caso você seja um desses sortudos, pode encontrar o botão de aleatório em um desses três lugares: abaixo do nome de usuário na tela inicial ou na página do usuário (no menu lateral ou no topo, próximo aos destaques).

A Netflix ainda não informou se o botão permanecerá após os testes. A empresa deve se basear no feedback dos usuários para bater o martelo. 

Vale lembrar que a plataforma já teve uma experiência anterior com botão de reprodução aleatória – mas as expectativas da marca foram frustradas. Em 2019, algumas séries e programas que não possuem episódios interligados ganharam esse tipo de botão. Na época, o usuário que estivesse acessando o aplicativo via dispositivo Android poderia clicar em sua série favorita e selecionar a opção de deixar o sistema escolher o episódio. Em Friends, por exemplo, em que quase todos os episódios não perdem o sentido se vistos fora de ordem, era possível ver “Aquele em que todos ficamos sabendo” e pular diretamente para “Aquele do Unagi”. Mas a ferramenta não fez sucesso e foi esquecida. 

Tentativas frustradas

A Netflix está sempre buscando aprimorar sua plataforma a fim de aumentar a visualização de seus conteúdos, mas nem todas as mudanças apresentadas agradam ao público. A reprodução automática de trailers, por exemplo, não foi bem recebida pelos usuários. Mas a empresa lidou bem com as críticas e adaptou suas configurações para que os assinantes pudessem escolher ter ou não as prévias automáticas – veja no site da plataforma como desabilitar a extensão

No final de 2019, a Netflix anunciou que iria permitir que o usuário acelerasse ou diminuísse o ritmo das obras, assim como pode ser feito hoje no YouTube. A ideia era otimizar o tempo dos assinantes, que muitas vezes estão assistindo aos programas no transporte público ou em seus momentos de intervalo. Em julho de 2020, a ferramenta finalmente chegou aos dispositivos Android.

A iniciativa tem pontos positivos: quem tem dificuldade em ler legendas rapidamente pode desacelerar o vídeo, por exemplo. Mas profissionais do cinema não reagiram bem à notícia. Para eles, a mudança na velocidade dos filmes e séries altera o conteúdo, que foi pensado para ser visto no formato em que está. Aaron Paul, que atua como Jesse Pinkman em Breaking Bad, disse que a ferramenta “assume completamente o controle da arte dos outros e a destrói”.

Continua após a publicidade
Publicidade