Clique e assine a partir de 8,90/mês

O que esperar de “Cursed – A Lenda do Lago”, nova série da Netflix

Baseada em uma HQ de Tom Wheeler e Frank Miller, a história é uma releitura da lenda do Rei Arthur. Veja o que os autores nos contaram sobre ela.

Por Rafael Battaglia - Atualizado em 22 jun 2020, 19h33 - Publicado em 22 jun 2020, 19h29

Na última quinta (18), a Netflix divulgou (mais) uma nova série: Cursed – a Lenda do Lago. A história é uma releitura das lendas do Rei Arthur. Os elementos clássicos estão lá (o mago Merlin, a espada Excalibur e o próprio Arthur), mas com uma diferença: Cursed é uma aventura jovem adulta, contada sob a perspectiva de Nimue, interpretada por Katherine Langford – a Hannah Baker de 13 Reasons Why, outra série da Netflix.

Na lenda original, Nimue é a Dama do Lago, uma fada que entrega a Excalibur à Arthur e que possui uma complexa relação com Merlin (o mago era apaixonado por ela).

Em Cursed, Nimue recebe a espada de sua mãe. Prestes a morrer, ela dá à filha a tarefa de levar a arma até Merlin (Gustaf Skarsgård). No caminho, conhece o mercenário Arthur (Devon Terrell) e, em meio a isso, precisa se desvencilhar dos Paladinos Vermelhos, um grupo de fanáticos religiosos, e do Rei Uther Pendragon (Sebastian Armesto).

Veja o trailer:

Continua após a publicidade

A série é baseada em um quadrinho homônimo escrito por Tom Wheeler e ilustrado por Frank Miller (autor de grandes clássicos como Batman – O Cavaleiro das Trevas300Sin City). A dupla também cuidou da produção executiva da série. Na última semana, a SUPER participou de um bate-papo com eles (à distância, claro), em que conversaram sobre a inspiração para a história e o desenvolvimento da produção.

Revisitando o Rei Arthur

Se Miller é uma figura consagrada no mundo dos quadrinhos, a outra metade da dupla por trás de Cursed tem uma carreira mais modesta. Wheeler é um roteirista de Hollywood, e já criou histórias como a de Lego Ninjago: O FilmeO Gato de Botas, o longa solo do personagem de Shrek.

Continua após a publicidade

A ideia para a série surgiu no meio do processo de escrita da HQ. “Eu estava trabalhado com Frank quando recebi uma ligação da Netflix, perguntando se não gostaríamos de adaptar o que estávamos fazendo para a tela”, conta Wheeler. No fim das contas, tudo foi feito ao mesmo tempo: meses depois, Wheeler preparou um roteiro para uma série de dez episódios; a HQ saiu em 2019, quando Cursed já estava em produção.

Merlin (Gustaf Skarsgård) Netflix/Reprodução

Em 2018, quando o projeto foi anunciado, Miller disse que sempre foi fascinado pelas histórias do Rei Arthur. “Elas podem ser interpretadas de várias maneiras – desde uma história para crianças, como [no filme da Disney] A Espada Era a Lei, até uma interpretação aterrorizante como o filme Excalibur”, disse.

Sobre a longevidade da lenda (e de suas inúmeras adaptações), Miller diz que, para ele, uma boa história é aquela que consegue ser universalmente aplicável às pessoas. “O mundo de Nimue e Arthur é meio maluco, quase sem ciência, e tudo parece funcionar por magia. Os reis são horríveis, há escravos e os cavaleiros não passam de mercenários”, explica. “Mas, mesmo assim, quando lemos a história de alguém que convence os cavaleiros a lutar por um futuro melhor, ela nos desperta um desejo interior de mudar as coisas.”

As filmagens aconteceram em locações em países como Inglaterra e País de Gales. “Esses castelos antigos, florestas e encostas parecem tiradas de algum sonho”, brinca Miller, que disse ter se inspirado em dezenas de fotos e ilustrações para criar o desenho da HQ – que, por sua vez, foram usados pela produção da série.

Continua após a publicidade
Nimue (Katherine Langford) Netflix/Reprodução

Uma nova protagonista

Wheeler criou um novo olhar, o de Nimue, baseado em sua filha. “Quis dar à ela uma heroína dentro dessa mitologia com quem ela pudesse se identificar, da mesma fora que eu, na idade dela, me inspirava em Arthur e Merlin”, conta. “Devo minha criação à mulheres incríveis, e acho importante honrá-las.”

Wheeler e Frank disseram que diversas outras mulheres da equipe ajudaram a construir a narrativa de Nimue da melhor forma, da sala dos roteiristas ao departamento de figurino. Além dos dois, a produção executiva também está a cargo de Leila Gerstein, que já trabalhou em séries como Gossip GirlThe Handmaid`s Tale.

Além de colocar uma mulher como protagonista, Cursed promete abrir espaço também para discutir outros assuntos, como a perseguição à minorias (com os Paladinos Vermelhos) e a busca por justiça, com os personagens mais jovens do elenco. “Nimue representa essa juventude rebelde, que se opõe às forças opressivas”, disse Wheeler, que traçou um paralelo com os protestos atuais. “O que vemos nos EUA e no resto do mundo é um grande exemplo dessa juventude se rebelando e propondo mudanças.”

Continua após a publicidade

Cursed chega à Netflix no dia 17 de julho.

Publicidade