Clique e Assine SUPER por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

O que faz um coordenador de intimidade no set de filmagens?

De House of the Dragon a Bridgerton, as séries estão cheias de cenas de sexo. Mas você já se perguntou o que os atores fazem para se sentirem confortáveis?

Por Maria Clara Rossini
Atualizado em 25 out 2022, 09h13 - Publicado em 14 set 2022, 15h54

Se você já era fã de Game of Thrones, não ficou chocado com as cenas de sexo no quarto episódio de House of the Dragon. As séries baseadas nos livros de George R. R. Martin não hesitam em incluir takes íntimos quando necessários. E para garantir que os atores não fiquem (tão) desconfortáveis durante as gravações, os filmes e séries de TV costumam contratar coordenadores de intimidade para o set.

Esses profissionais trabalham em séries como Sex Education, Bridgerton e Game of Thrones. Além de garantir que os atores estão confortáveis com a nudez ou um momento de vulnerabilidade, os coordenadores de intimidade também fazem com que a cena fique mais realista. Eles mantém contato constante com diferentes figuras do set, como atores, diretores, roteiristas e até figurinistas. (Nas cenas de sexo, os homens costumam usar uma “meia” para cobrir a genital. Para a câmera, parece que estão totalmente despidos).

Mas o que é uma cena íntima? As definições variam. Nudez e cenas de sexo se encaixam aí, mas há quem defenda que até beijos e toques precisam de um coordenador de intimidade. Por mais que a situação pareça natural e espontânea, os movimentos de uma cena de intimidade são coreografados e ensaiados antes. 

Continua após a publicidade

“[Durante um beijo], se há penetração da língua por acidente, a pessoa pode se sentir assediada” diz a coordenadora britânica Yarit Dor à Refinery29. Segundo ela, alguns atores preferem que cada detalhe seja coreografado, enquanto outros só precisam de orientações gerais de como seguir com a cena. 

Em agosto deste ano, o ator Sean Bean (Ned Stark, de Game of Thrones) disse em entrevista que os coordenadores de intimidade “estragam a espontaneidade” das cenas de sexo, reduzindo a gravação a um “exercício técnico”. Atrizes como Rachel Zegler (Amor, Sublime, Amor) e Jameela Jamil (The Good Place; Mulher-Hulk) defenderam, no Twitter, a presença dos profissionais no set para garantir a segurança dos atores – principalmente mulheres.

A atriz Emily Carey (Alicent Hightower, em House of the Dragon), de apenas 19 anos, disse em entrevista que o trabalho do coordenador de intimidade foi essencial para que ela se sentisse confortável em aceitar o papel na série.

Continua após a publicidade

“Somos essencialmente um especialista terceirizado, parecido com um coordenador de dublê”, disse Yarit Dor à Refinery29. “Lemos o roteiro e temos diversas reuniões – inclusive com o diretor, para entender qual é sua visão e como ele quer gravar a cena. Quais são os níveis de nudez e qual é o tipo de sexo simulado que ele tem em mente. Então, conversamos individualmente com os atores para entender como eles vêem a cena e qual é seu nível de conforto. Só depois analisamos as diferenças entre a visão do diretor e do ator”.

A situação é mais complicada quando a trama envolve cenas de abuso. O ator pode ter passado por algum trauma pessoal que o impeça de realizar certos movimentos – por exemplo, ser tocado no cabelo ou agarrado pelo pulso. Qualquer história ou informação sensível que o ator conte ao coordenador de intimidade deve ficar entre eles – e o papel do confidente é evitar que o trauma venha à tona durante a cena. Apesar de não ser formada em psicologia, Yarit Dor fez um curso de primeiros-socorros em cuidados mentais.

Compartilhe essa matéria via:

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.