GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Star Wars, Marvel e Pixar: as novidades do Disney+, o streaming da Disney

A empresa anunciou seus lançamentos para os próximos dois anos e a data de estreia da nova plataforma: 12 de novembro. No Brasil, só em 2020.

Não é de hoje que anda difícil acompanhar tudo o que sai nos serviços de streaming: Netflix, Amazon Prime Video, HBO Go… Haja bolso para assinar tudo isso.

E o que já era complicado vai ficar mais ainda com o Disney Plus (ou Disney+), futuro serviço de streaming que vai reunir o conteúdo de Disney Pixar, Star Wars, Marvel e National Geographic. E que, assim como os seus concorrentes, vai apostar em produções originais.

No último fim de semana, a Disney promoveu em Anaheim, na Califórnia, a D23 Expo, evento no qual a empresa mostra suas novidades ao público, de parques temáticos a futuros lançamentos do cinema. O nome vem do ano de fundação do estúdio, 1923.

Na edição de 2019, boa parte das apresentações giraram em torno do Disney+, que ganhou um trailer de divulgação:

Pelo vídeo, dá para ver que a plataforma terá um extenso catálogo de produções, reunindo filmes, séries e animações feitos pela empresa ao longo de quase 90 anos: Branca de Neve, Cinderela, Mary Poppins, Vingadores… Até Os Simpsons estarão por lá – no ano passado, a Disney concluiu a compra da divisão de entretenimento da Fox por US$ 71 bilhões. Pois é, Mickey Mouse não brinca em serviço.

O Disney+ será lançado no dia 12 de novembro, mas não em todo mundo. Aqui na América Latina, a previsão de chegada é 2020, sem uma data precisa de estreia. Também não há informações se haverá, nesse meio tempo, outros meios de assistir as novas produções. O jeito vai ser esperar.

Na lista abaixo, reunimos os principais anúncios da D23:

1) Expansão do universo Star Wars

A galáxia tão, tão distante de Star Wars ganhará novas histórias no Disney+, a começar por The Mandalorian, série derivada que se passará após O Retorno de Jedi e abordará a história de um mandaloriano, a raça de caçadores de recompensa (como o Boba Fett da trilogia original).

A série foi criada por Jon Favreau (diretor de Homem de Ferro e das adaptações live-action de MogliRei Leão) e será estrelada por Pedro Pascal (o Oberyn Martell de Game of Thrones). Exibiram o primeiro trailer da produção na D23:

Além disso, houve o anúncio oficial de que o ator Ewan McGregor voltará a viver Obi-wan Kenobi em uma nova série, ainda sem título oficial. Outro derivado vai contar uma história paralela a de Rogue One: Uma História Star Wars e será estrelada pelos atores Diego Luna e Alan Tudyk, que estiveram no filme de 2016. E em fevereiro de 2020, a prestigiada animação Star Wars: The Clone Wars terá uma nova temporada.

Quer mais? Star Wars Episódio IX: A Ascensão Skywalker, que estreia em dezembro, ganhou um cartaz oficial, acompanhado de um novo trailer.

2) Novas séries da Marvel

Em julho, durante a San Diego Comic-Con, a Marvel anunciou uma dezena de lançamentos para a chamada Fase Quatro do seu universo cinematográfico, o UCM.

Na D23, o estúdio completou o que faltava: oficializou a continuação de Pantera Negra, que estreará em maio de 2022; deu detalhes sobre produções anteriormente anunciadas, como o filme solo da Viúva Negra e a série WandaVision e, de quebra, anunciou três novas séries para o Disney +.

Os personagens que estrelarão essas produções serão: Miss Marvel (não confundir com a Capitã Marvel), Cavaleiro da Lua e a Mulher-Hulk:

No ano passado, Kevin Feige, presidente do Marvel Studios, disse durante uma entrevista que a Miss Marvel (alterego da jovem muçulmana Kamala Khan) estava nos planos do estúdio. Já o Cavaleiro da Lua era cotado para ganhar uma série da Netflix, a exemplo do que acontecia com outros heróis urbanos da editora, como Demolidor e Jessica Jones – antes claro, de elas serem canceladas.

A Marvel ainda anunciou o elenco completo de Os Eternos, a principal aposta após a era Vingadores. O filme vai introduzir a raça de seres superpoderosos que dá nome ao longa, expandindo a mitologia cósmica da UCM. No elenco, como Angelina Jolie, Salma Hayek, Kit Harrington e Richard Madden. A estreia será em novembro de 2020.

3) Mais live-actions dos desenhos clássicos

Os cachorrinhos fofos da imagem acima são velhos conhecidos. Seguindo a onda de adaptar os desenhos clássicos, A Dama e o Vagabundo terá uma versão live-action no Disney+, com atores (e animais) em carne e osso. O trailer foi apresentado ao público durante a D23:

 

O casal de dogs será dublado por Tessa Thompson e Justin Theroux. A Disney exibiu também um cartaz de Malévola: Dona do Mal, que estreia em 17 de outubro, além de mostrar cenas do live-action de Mulan. Mas o que mais chamou atenção foi a primeira imagem de Emma Stone como Cruella de Vil, a vilã de 101 Dálmatas que ganhará um filme solo –  cuja estreia está marcada para 2021.

4) Animações da Disney e da Pixar

 (Divulgação/Disney)

O estúdio aproveitou a D23 para falar de suas futuras animações. Do lado da Disney, as estrelas do show foram Frozen II, que estreia em novembro, e Raya e o Último Dragão, que contará a história de Raya, um guerreiro solitário que, como o título sugere, está em busca do último dragão para trazer luz e união de volta ao mundo.

Já do lado da Pixar, duas novas animações foram detalhadas ao público. A primeira, Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica, já tem trailer. A segunda, Soul, terá uma pegada ao estilo Divertida Mente, mesclando personagens humanos e suas versões em uma realidade alternativa. O diretor, aliás, é o mesmo: Pete Docter, que também dirigiu Up – Altas Aventuras. As duas animações estreiam em 2020.

5) Séries teen: a volta dos que não foram

 (Divulgação/Disney)

    O Disney+ contará com duas séries voltadas ao público infanto-juvenil e que fizeram sucesso anos atrás. Ao estilo mockumentary (falso documentário), High School Musical: The Musical: The Series vai revisitar o universo da série teen mais famosa da Disney. O tema? Um musical de colégio inspirado nos filmes de High School Musical – haja metalinguagem.

    A segunda produção do gênero é a nova temporada de Lizzie McGuire, série estrelada por Hillary Duff no início dos anos 2000. A atriz voltará a interpretar a personagem – só que agora em versão adulta.

    6) Aposta em reality shows e documentários

     (Divulgação/Disney)

      Das coisas mais interessantes anunciadas na D23, estão as produções originais do Disney+ que fogem dos formatos convencionais. Do National Geographic, The World According to Jeff Goldblum será uma série-documentário em doze episódios sobre as origens e a ciência por trás de diversas coisas do nosso dia-dia: bicicletas, tênis, sorvetes, tatuagens e até churrasco coreano.

      Pelo trailer, dá para perceber qual será um dos pontos altos do programa: o carisma do ator Jeff Goldblum (Jurassic Park, Thor: O Mundo Sombrio), que rodará o mundo apresentando a série.

      Já Encore! será um reality show musical que, ao que tudo indica, foge do convencional formato “show de talento”. Apresentado por Kristen Bell (a Anna de Frozen), o programa irá atrás de antigas turmas de teatro de colégios dos EUA. A ideia é reunir ex-alunos para que eles voltem aos palcos em uma super produção digna da Broadway. E já tem trailer:

      7) Muppets, Toy Story e conteúdo infantil

      O Disney+ também trará produções exclusivas voltadas ao público infantil. Garfinho, personagem que deu as caras em Toy Story 4, caiu nas graças do público e vai ganhar uma série com 10 curtas animados. O formato também será usado para um novo programa dos Muppets. Kermit, Miss Piggy e cia. chegam ao streaming em 2020.

      Quanto vai custar?

      De acordo com a Variety, o plano mensal do Disney+ custará, inicialmente, US$6,99. É uma estratégia agressiva para entrar no mercado de streaming: nos EUA, o pacote mais popular da Netflix custa duas vezes isso por lá.

      Ainda não se sabe qual será o valor da mensalidade no Brasil, nem se as produções Disney que hoje integram o catálogo das concorrentes sairão de onde estão. Resta acompanhar para saber os próximos movimentos da empresa do rato de luvas.