GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Monumentos milenares

Algumas das construções mais antigas do mundo continuam de pé para maravilhar seus visitantes e contar histórias de muitos séculos atrás

Rafael Kenski

Quase infinita

A Muralha da China é o maior e um dos mais antigos monumentos já construídos pelo homem. Sua história começa no século VII a.C., quando os muitos reinos que compunham a China protegiam suas fronteiras com altos muros. Eles foram finalmente unidos, em 223 a.C., pelo imperador Shih huang-ti, que conquistou toda a região. Nos séculos seguintes, diversas dinastias esticaram a muralha e suas ramificações até a distância de 7 300 quilômetros, equivalente ao total da costa brasileira

Bela e indestrutível

Poucas edificações do mundo resistiram a tantos ataques quanto Hagia Sofia, em Istambul, Turquia. Desde 532 – ano em que começaram a ser trazidos materiais de todo o Oriente para construí-la – Hagia Sofia já enfrentou incêndios, terremotos, saques e depredações. Ela foi a maior igreja do mundo durante muitos séculos. Em 1453 viu-se transformada em mesquita e, em 1934, em museu

Jóia germânica

A Catedral de Aachen é considerada pela Unesco o principal conjunto histórico e arquitetônico da Alemanha. Foi construída sobre as ruínas de uma terma romana, em 786, pelo imperador Carlos Magno, que, na época, dominava quase todas as regiões cristãs da Europa. Entre 936 e 1531, lá foram coroados 30 reis germânicos, que doaram ao grandioso templo muitos de seus objetos de ouro e marfim

Resta um

A dinastia Pallava, que dominou o litoral sul da Índia entre os séculos IV e IX, tornou-se famosa pelos diversos monumentos que construiu. O único que permanece intacto até hoje, no entanto, é o Shore Temple, erguido no início do século VIII. Ele possui duas pirâmides em seu topo que reverenciam Vishnu e Shiva, dois dos principais deuses do hinduísmo

Sagrada para todos

A Mesquita de Omayyad, em Damasco, Síria, é a mais antiga do mundo. Ela foi erguida entre 705 e 715 sobre um templo grego do século I, que, 400 anos mais tarde, acabou transformado em igreja católica. Segundo a lenda, durante as obras de construção a cabeça de São João Batista foi ali encontrada e permanece guardada nessa mesquita – uma relíquia venerada por cristãos e muçulmanos

rkekski@abril.com.br