Clique e assine a partir de 8,90/mês

O poema dos anos 1920 que avalia o domínio da língua inglesa

Se você pronunciar direitinho todas as palavras desse poema, parabéns: seu inglês está afiado mesmo.

Por Rafael Battaglia - Atualizado em 20 jan 2020, 17h30 - Publicado em 4 jan 2019, 19h12

O idioma da Rainha reserva mais armadilhas de pronúncia do que parece. Inclusive para os nativos da língua. Prova disso é o poema The Chaos, que compila praticamente todas as nuances do inglês. O título da obra não poderia ser outro: são 146 versos cheios de trava-línguas e palavras com ortografia similar, mas pronúncia diferente.

Veja abaixo uma transcrição dos primeiros oito versos, os mais simples:

Dearest creature in creation,

Study English pronunciation.

I will teach you in my verse

Sounds like corpse, corps, horse, and worse.

I will keep you, Suzy, busy,

Make your head with heat grow dizzy.

Tear in eye, your dress will tear.

So shall I! Oh hear my prayer.

Continua após a publicidade

Dever de casa

O responsável por esse “intensivão” de inglês é o escritor e educador holandês Gerard Nolst Trenité. Em 1920, ele publicou o poema no livro Drop Your Foreign Accent (“Abandone o Seu Sotaque Estrangeiro”), um caderno de exercícios de gramática elaborado por ele, que chegou a trabalhar na Califórnia dando aulas particulares.

The Chaos, com uma boa tarefa escolar, começa “fácil” e vai complicando. Trenité, que assinava sob o pseudônimo de Charivarius, escreveu-o para mostrar as particularidades (por vezes problemáticas) da língua inglesa. E ele não estava sozinho nessa luta.

A questão dos problemas da língua inglesa é algo sabido por boa parte dos linguistas e acadêmicos dos países em que ela é o idioma oficial. Tanto que há uma organização voltada especificamente para isso. A English Spelling Society é uma sociedade fundada em 1908 e tem como missão conscientizar as pessoas sobre os problemas causados pelas irregularidades da ortografia inglesa.

Continua após a publicidade

Além disso, a organização propõe com frequência reformas ortográficas. Ela defende que medidas do tipo podem melhorar a alfabetização. Ao simplificar problemas vindos de gramáticas arcaicas, acredita-se que a aprendizagem ficará mais fácil (e barata), tanto para estrangeiros quanto para nativos.

Nos anos 1990, a Spelling Society resolveu incrementar a versão original do poema de Trenité. A versão estendida, com 274 linhas, está disponível em PDF para quem quiser encarar o desafio.

Publicidade