Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Como se compõe uma sinfonia?

Veja o passo a passo da Quinta Sinfonia de Beethoven.

Por Gabriela Portilho
Atualizado em 22 fev 2024, 11h35 - Publicado em 1 jul 2009, 15h55

Não existe uma regra para compor uma sinfonia, que é a reunião dos sons de vários instrumentos tocados ao mesmo tempo. No entanto, as sinfonias clássicas dos séculos 18 e 19 costumavam seguir um modelo. É o caso da Quinta Sinfonia (aquela do “tchan-tchan-tchan-tchaaaan”), composta por Ludwig van Beethoven entre 1804 e 1808 e, até hoje, uma das mais executadas de todos os tempos.

Primeiro, o compositor desenvolve uma estrutura, ao piano ou teclado, e depois escreve as partituras (representações com as notas musicais) para cada instrumento, do violino à flauta. Hoje, tudo pode ser feito por programas de computador. “O problema é que eles tiram um pouco da espontaneidade da criação”, diz Silvio Ferraz, diretor da Escola de Música do Estado de São Paulo.

QUANTAS NOTAS, MAESTRO?

Toda sinfonia clássica é dividida em quatro partes – os chamados movimentos, o equivalente a capítulos de livros. Eles têm diferentes tempos e emoções, criando uma dinâmica musical que sustenta obras de mais de uma hora – a Quinta Sinfonia dura cerca de 30 minutos (a duração da sinfonia pode variar de acordo com a execução da orquestra).

1º movimento – 0:00 a 6:16

Segue uma forma fixa, a forma-sonata. A música neste movimento é rápida e enérgica. A sonata narra uma história por meio dos sons – na Quinta Sinfonia, dizem que é a narrativa do destino batendo à porta.

2º movimento – 6:17 a 11:03

Geralmente é uma canção, uma música mais lenta e intimista. No caso da Quinta de Beethoven, a melodia deste movimento é mais triste.

Continua após a publicidade

3º movimento – 11:04 a 15:49

Costuma ser uma dança, um tipo musical mais agitado. É a parte musical mais simples da sinfonia. Para alguns estudiosos, na Sinfonia nº 5, o terceiro movimento vem como a esperança diante da tristeza representada no movimento anterior.

4º movimento – 15:50 a 31:05

Também é uma dança, mas ainda mais rápida. Na Quinta Sinfonia, é a parte mais emotiva da composição e tem um tom triunfal. Em outras sinfonias, como a Nona de Beethoven, um coro canta neste trecho.

TOCA AQUI, BEETHOVEN!

Saiba tudo o que rola no primeiro movimento da Quinta Sinfonia

Destino à porta

Nesta primeira parte, a exposição, são apresentados os “personagens” da história, o motivo e os temas. Na Quinta Sinfonia, o motivo é o famoso “tchan-tchan-tchan-tchaaaan”, que seria o destino batendo à porta. Há dois temas, que contrastam entre si: o primeiro é heroico e grandioso, e o segundo, mais lírico e suave.

Hora do duelo

Neste trecho, em que todos os instrumentos participam, o desenvolvimento, Beethoven brinca com os temas, colocando-os para “duelar”. O primeiro tema surge fortíssimo, em um tom de vingança, enquanto o segundo tema, que vai do piano ao fortíssimo, tenta impedi-lo. Por fim, a grandiosidade do primeiro tema se sobrepõe.

Continua após a publicidade

Conciliação

Nesta parte, chamada recapitulação, os dois temas aparecem novamente, mas sem brigar – desta vez, vêm de forma harmônica, quase numa brincadeira. Aqui, Beethoven brinca com os temas que dão as caras em outras tonalidades – como se os personagens musicais vestissem máscaras e ganhassem outra faceta.

Batalha final

Na forma-sonata, a coda é o encerramento do primeiro movimento, o trecho da música em que o compositor diz algo de novo. Na Sinfonia nº 5, a coda é a batalha final entre os dois temas, tão grandiosa que requer todos os instrumentos da orquestra. Beethoven termina a sonata com a vitória do motivo: tchan-tchan- tchan-tchaaann…

INSTRUMENTOS

Quatro categorias de instrumentos se revezam durante a sinfonia

Sopro metais

Trompa – Tocada com a boca e com a mão, controlando a saída do ar e os timbres.

Corneta – Tocada através dos pistões. Tem som brando e penetrante.

Continua após a publicidade

Sopro madeira

Oboé – Tubo com formato ligeiramente cônico, com som mais nasalado.

Fagote – É o mais grave desta família, muito usado em peças líricas.

Flauta – Tubo cilíndrico que produz um som melodioso e doce.

Clarineta – Espécie de flauta, considerada o “violino” do gênero por causa do poder sonoro.

Cordas

Violino – Mais agudo dos instrumentos de corda.

Continua após a publicidade

Viola – Maior e menos aguda que o violino, mas menor que o violoncelo.

Violoncelo – Pelo tamanho, deve ser tocado apoiado no chão.

Contrabaixo – Mais grave dos instrumentos de corda.

Percussão

Tímpano – Espécie de tambor tocado com baquetas.

Intensidade

Piu fortíssimo: gritando
Fortíssimo: falando alto
Forte: mais alto que a voz
Piano: mais baixo que a voz normal
Pianíssimo: quase um sussurro

Continua após a publicidade

Pergunta da leitora Deborah de Macedo, São Paulo, SP

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.