Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

O álbum The Dark Side of The Moon sincroniza com O Mágico de Oz?

Sim, embora a banda negue a existência de qualquer conexão entre as duas obras

Por Saulo Sobanski
Atualizado em 22 fev 2024, 10h27 - Publicado em 28 mar 2016, 18h11

Sim, embora a banda negue a existência de qualquer conexão entre as duas obras. Lançado em março de 1973, The Dark Side of The Moon, oitavo disco do Pink Floyd, é um dos mais conhecidos e aclamados álbuns de todos os tempos – além de também ser um dos mais vendidos. Em abril de 1995, começou a rolar pela internet o boato de que o álbum, quando tocado junto ao filme O Mágico de Oz, de 1939, traria muitas sincronias entre as músicas e as cenas do longa. Poucos meses depois, o jornalista Charlie Savage passou a investigar as semelhanças entre as duas obras, publicando suas descobertas e incentivando os leitores a tirar suas próprias conclusões. Mesmo que os músicos da banda tenham negado em várias oportunidades que o filme tenha exercido qualquer influência na produção do álbum, o mito ganhou vida própria. E não dá para negar que as coincidências (se é que são coincidências) são muitas.

O LADO NEGRO DE OZ

Pontos comuns entre o filme e o álbum alimentam boatos de que os dois foram sincronizados

dark side magico de oz - 1

Continua após a publicidade

0’08” – Para que a experiência dê certo, o álbum deve começar a tocar exatamente quando o leão da Metro-Goldwyn-Mayer dá seu terceiro rugido no filme

4’01” – Enquanto Dorothy se equilibra na cerca do chiqueiro da fazenda, como se estivesse em uma corda bamba, a música “Breathe” canta “equilibrado(a) na maior onda”

4’09” – Dorothy cai por acidente dentro do chiqueiro depois de tentar caminhar pela cerca. A queda marca o início da música “On The Run”, muito mais tensa e acelerada

Continua após a publicidade

8’02” – Os despertadores no início de “Time” meio que “acordam” Dorothy, que sonhava com um lugar bonito e livre de problemas

dark side magico de oz - 2

11’05” – Ainda na música “Time”, quando a letra diz “ninguém lhe disse quando correr”, a cena muda para Dorothy fugindo de casa com Totó, seu inseparável cachorrinho

Continua após a publicidade

13’54” – “Breathe” se repete no álbum, inserida no final de “Time”, e seus primeiros versos são “Casa, em casa novamente” – no filme, o vidente diz a Dorothy voltar para sua casa

16’11” – Conforme o tornado começa, a música “Great Gig In The Sky” fica mais agitada e ouvimos um gemido – análogo aos gritos de Dorothy no filme, talvez?

19’32” – Quando Dorothy vê a Terra de Oz pela primeira vez, a música “Money” se inicia. Essa é a primeira cena colorida em todo o filme, e “Money” é a primeira faixa do lado B do vinil

Continua após a publicidade

dark side magico de oz - 3

21’13” – Quando Glinda, a Bruxa Boa do Norte, vem flutuando em uma bolha para recepcionar Dorothy na Terra de Oz, a letra de “Money” diz: “não me venha com essa bobagem de que fazer o bem é bom”

33’45” – Dorothy se despede dos munchkins e da Bruxa Boa do Norte para iniciar sua jornada por conta própria. A transição da cena marca o início da música instrumental “Any Colour You Like”

Continua após a publicidade

37’26” – Dorothy encontra o Espantalho. Sem cérebro, ele canta o que faria se tivesse um. Enquanto o Espantalho dança, os versos iniciais da música “Brain Damage” (“dano cerebral”) repetem a frase “o lunático está na grama”

42’38” – No final de “Eclipse”, é possível ouvir batimentos cardíacos – bem no momento em que Dorothy põe os ouvidos no peito do Homem de Lata para descobrir que ele não possui coração

FONTESThe Fort Wayne Journal Gazette, revista VEJA e sites Priceonomics e Know Your Meme

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.