Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

O que é um Exu?

Entenda a divindade, parte do candomblé e da umbanda

Por Bruno Lazaretti Atualizado em 27 abr 2022, 12h07 - Publicado em 7 abr 2016, 12h37

É uma das principais divindades do iorubá e do jejê.

A fusão dessas duas religiões serviu de base para outras crenças nas Américas quando os africanos escravizados trouxeram sua cultura e sua fé, que se misturaram às de indígenas e europeus. Assim, surgiram religiões como o candomblé, no Brasil, a santeria, em Cuba, e o vodu no Haiti.

No candomblé, Exu é um dos maiores orixás (um tipo de divindade). É uma espécie de mensageiro, que faz a ponte entre o humano e o divino e muitas vezes é descrito como sendo travesso, fiel e justo.

O Exu também está presente na umbanda, religião brasileira que tomou forma no século 20 e combina iorubá e jejê com espiritismo, entre outras crenças. A umbanda não tem uma autoridade central nem um livro sagrado como as grandes religiões monoteístas, mas, apesar de cada terreiro interpretar aspectos de Exu à sua maneira, existem alguns fundamentos básicos e universais: para sacerdotes e fiéis iniciados, Exu sempre está ligado à vitalidade, à força, à proteção e à aplicação da lei em seus domínios espirituais.

Exu

As principais características do Exu no candomblé e na umbanda

Encruzilhada

Fiéis geralmente fazem oferendas a Exu em interseções, como cruzamentos em estradas ou portas de cemitério, para representar fronteiras. A ideia é que o orixá faz a ponte entre dois mundos, divino e humano.

Tridente

Há várias interpretações para o artefato, mas nenhuma é ligada ao tridente do capeta. Alguns estudiosos veem nele uma representação simplificada do próprio orixá ou um diagrama de um homem de ponta-cabeça.

Continua após a publicidade

Bom de papo

Enquanto outros orixás se correspondem com “reinos” inteiros (como Iemanjá, rainha dos mares, e Iansã, dos ventos), Exu tem o papel de mediador, tanto entre os próprios orixás quanto entre eles e os humanos.

exu2
Kleber Sales/Mundo Estranho

Caveirinha

Na umbanda, o orixá se manifesta por meio de avatares, como Exu Caveira, uma das entidades mais cultuadas, retratado com uma cabeça de caveira que representa o ser despido de toda sua vaidade.

Xô, Satanás

A conotação negativa de Exu veio dos primeiros contatos dos europeus com o iorubá e com o jejê, no século 16, além do ambiente de repressão às religiões afrobrasileiras.

Pergunta Kaique Rossoni, Colatina, ES

Consultoria Vagner G. da Silva, autor de Exu-O Guardião da Casa do Futuro,e coordenador do Centro de Estudos de Religiosidades Contemporâneas e das Culturas Negras (CERNe)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da Super! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 12,90/mês