GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Os orixás mais populares do Brasil

Conheça a ficha completa das 12 divindades do candomblé brasileiro. Divinizados há 5 mil anos, os orixás representam homens e mulheres com capacidade de alterar o curso da natureza

Atualmente no Brasil são cultuados apenas 12 orixás. Já foram 16: quatro deles (Obá, Logunedé, Ewa e Irôco) há algum tempo só se manifestam em ocasiões bissextas, basicamente em festas e rituais específicos. Um número pequeno, diante dos mais de 200 existentes na África Ocidental, a célula mater dessas divindades.

Reza a tradição que os deuses dos terreiros têm origem nos clãs africanos, divinizados há mais de 5 mil anos. A história que se conta é que eles foram inspirados em homens e mulheres capazes de intervir nas forças da natureza por meio de caça, plantio, uso de ervas na cura de doenças e fabricação de ferramentas. Os orixás têm características humanas, virtudes e defeitos: podem ser vaidosos, temperamentais, ciumentos, maternais. Os atributos, quase sempre, têm um paralelo com o meio ambiente.

A equivalência entre os orixás e os santos da Igreja Católica surgiu no período colonial, com a chegada ao Brasil dos primeiros africanos de origem iorubá, povo que habitava a região atual de Nigéria, Benin e Togo. Adeptos do candomblé, eles eram proibidos de adorar suas divindades porque a religião oficial do País era o catolicismo. Para driblar a censura, os negros criaram a associação e seguiam assim praticando sua fé. Por isso, o sincretismo pode variar de acordo com a região do Brasil.

Assim como o candomblé, a umbanda também cultua os orixás. Mas os umbandistas representam essas divindades com imagens diferentes, além de cultuarem outros três espíritos, o preto velho, o caboclo e a pombagira – nenhum deles aparece no candomblé.

Confira, a seguir, “os doze do candomblé”:

Iemanjá

Considerada a deusa dos mares e oceanos. É a mãe de todos os orixás e representada com seios volumosos, simbolizando a maternidade e a fecundidade.

 (Lambuja/Superinteressante)

Personalidade
Maternal e tranquila

Elemento
Água

Símbolo
Leque, espada e espelho

Colar
Transparente, verde ou azul-claro

Roupas
Branco e azul

No sincretismo
Nossa Senhora, Nossa Senhora dos Navegantes ou Nossa Senhora da Glória

Dia da semana
Sábado

Oferendas
Feijoada, xinxim e inhame

Sacrifícios
Cabra, galinha e porco

 

Xangô

Deus do fogo e do trovão. Diz a tradição que foi rei de Oyó, cidade da Nigéria. É viril, violento e justiceiro. Castiga mentirosos e protege advogados e juízes.

 (Lambuja/Superinteressante)

Personalidade
Atrevido e prepotente

Elemento
Fogo

Símbolo
Machado duplo (oxé)

Colar e roupas
Branco e vermelho

No sincretismo
São Jerônimo, Santo Antônio, São Pedro, São João Batista, São José e São Francisco de Assis

Dia da semana
Quarta

Oferendas
Amalá (quiabo com camarão seco e dendê)

Sacrifícios
Galo, pato, carneiro e cágado

 

Iansã

Deusa dos ventos e das tempestades. É a senhora dos raios e dona da alma dos mortos.

 (Lambuja/Superinteressante)

Personalidade
Impulsiva e imprevisível

Elemento
Fogo

Símbolo
Espada e rabo de cavalo (representando a natureza)

Colar
Vermelho ou marrom-escuro

Roupas
Vermelho

No sincretismo
Santa Bárbara

Dia da semana
Quarta

Oferendas
Milho branco, arroz, feijão e acarajé

Sacrifícios
Cabra e galinha

 

Oxóssi

Deus da caça. É o grande patrono do candomblé brasileiro.

 (Carybé/Superinteressante)

Personalidade
Intuitivo e emotivo

Elemento
Florestas

Símbolo
Rabo de cavalo e chifre de boi

Colar
Branco rajado e verde

Roupas
Azul ou verde-claro

No sincretismo
São Sebastião

Dia da semana
Quinta

Oferendas
Peixe, milho branco e amarelo

Sacrifícios
Galo avermelhado, bode avermelhado e porco

 

Ogum

Deus da guerra, do fogo e da tecnologia. No Brasil é conhecido como deus guerreiro. Sabe trabalhar com metal e, sem sua proteção, o trabalho não pode ser proveitoso.

 (Carybé/Superinteressante)

Personalidade
Tímido e vingativo

Elemento
Terra

Símbolo
Espada

Colar
Azul-marinho

Roupas
Azul (com verde-escuro, vermelho ou amarelo)

No sincretismo
Santo Antônio e São Jorge

Dia da semana
Terça

Oferendas
Farofa com dendê, feijão, inhame, água, mel e aguardente

Sacrifícios
Galo avermelhado e bode avermelhado

 

Oxum

Deusa das águas doces (rios, fontes e lagos). É também deusa do ouro, da fecundidade, do jogo de búzios e do amor.

 (Lambuja/Superinteressante)

Personalidade
Maternal e tranquila

Elemento
Água

Símbolo
Abebê (leque espelhado)

Colar e roupas
Amarelo-ouro

No sincretismo
Nossa Senhora da Conceição, Nossa Senhora Aparecida e Nossa Senhora das Candeias

Dia da semana
Sábado

Oferendas
Milho branco, xinxim de galinha, ovos, peixes de água doce

Sacrifícios
Cabra, galinha e pomba

 

Exu

Mensageiro entre os homens e os deuses, guardião da porta da rua e das encruzilhadas. Só por meio dele é possível invocar os orixás.

 (Lambuja/Superinteressante)

Personalidade
Atrevido e agressivo

Elemento
Fogo

Símbolo
Ogó (um bastão adornado com cabaças e búzios)

Colar e roupas
Vermelho e preto

No sincretismo
Santo Antônio

Dia da semana
Segunda

Oferendas
Farofa com dendê, feijão, inhame, água, mel e aguardente

Sacrifícios
Bode e galo preto

 

Omulu (ou Obaluiaiê)

Deus da peste das doenças da pele. É o médico dos pobres.

 (Carybé/Superinteressante)

Personalidade
Tímido e vingativo

Elemento
Terra

Símbolo
Xaxará (feixe de palha e búzios)

Colar
Preto, branco e vermelho

Roupas
Vermelho e preto (tudo coberto de palha)

No sincretismo
São Lázaro e São Roque

Dia da semana
Segunda

Oferendas
Pipoca, feijão preto, farofa e milho – tudo regado a dendê

Sacrifícios
Galo, pato, bode e porco

 

Nanã

Deusa da lama e do fundo dos rios, associada à fertilidade, à doença e à morte. É a orixá mais velha de todos e por isso muito respeitada.

 (Carybé/Superinteressante)

Personalidade
Vingativa e mascarada

Elemento
Terra

Símbolo
Ibiri (cetro de palha e búzios)

Colar
Branco, azul e vermelho

Roupas
Branco e azul

No sincretismo
Sant’Ana

Dia da semana
Sábado

Oferendas
Milho branco, arroz, feijão, mel e dendê

Sacrifícios
Cabra e galinha

 

Ossaim

Deus das folhas e ervas medicinais. Conhece seus usos e as palavras mágicas (ofós) que despertam seus poderes.

 (Carybé/Superinteressante)

Personalidade
Instável e emotivo

Elemento
Matas

Símbolo
Lança com pássaros na forma de leque e feixe de folhas

Colar
Branco rajado e verde

Roupas
Branco e verde-claro

No sincretismo
São Roque

Dia da semana
Quinta

Oferendas
Feijão, arroz, milho vermelho e farofa de dendê

Sacrifícios
Galo e carneiro

 

Oxumaré

Deus da chuva e do arco-íris. É, ao mesmo tempo, de natureza masculina e feminina. Transporta a água entre o céu e a terra.

 (Carybé/Superinteressante)

Personalidade
Sensível e tranquilo

Elemento
Água

Símbolo
Cobra de metal

Colar
Amarelo e verde

Roupas
Azul-claro e verde-claro

No sincretismo
São Bartolomeu

Dia da semana
Quinta

Oferendas
Milho branco, acarajé, coco, mel, inhame e feijão com ovos

Sacrifícios
Bode, galo e tatu

 

Oxalá

Deus da criação. É o orixá que criou os homens. Obstinado e independente, é representado de duas maneiras: Oxaguiã, jovem, e Oxulafã, velho.

 (Lambuja/Superinteressante)

Personalidade
Equilibrado e tolerante

Elemento
Ar

Símbolo
Oparoxó (cajado de alumínio com adornos)

Colar e roupas
Branco

No sincretismo
Jesus Cristo

Dia da semana
Sexta

Oferendas
Milho branco, xinxim de galinha, ovos e peixes de água doce

Sacrifícios
Cabra, galinha, pomba, pata e caracol

 

Calendário de festas

Janeiro
Festa de Oxalá (coincide com a festa do Bonfim, em Salvador), no segundo domingo depois do Dia de Reis, 6 de janeiro.

Abril
Feijoada de Ogum e festa de Oxóssi (associado a São Sebastião), em qualquer dia.

Junho
Fogueiras de Xangô (associado a São João e São Pedro), dias 25 e 29.

Agosto
Festa para Obaluaiê (associado a São Lázaro e São Roque) e festa de Oxumaré (associado a São Bartolomeu), em qualquer dia.

Setembro
Começa um ciclo de festas chamado Águas de Oxalá, que pode seguir até dezembro. Festa de Erê, em homenagem aos espíritos infantis (associados a São Cosme e Damião). Festa das iabás (esposas de orixás) e festa de Xangô (associado a São Jerônimo), em qualquer dia.

Dezembro
Festas das iabás Iansã (Santa Bárbara), dia 4, Oxum e Iemanjá (associadas a Nossa Senhora da Conceição), dia 8. Iemanjá também é homenageada na passagem de ano.

Quaresma
O encerramento do ano litúrgico acontece durante os 40 dias que antecedem a Páscoa, com o Lorogun, em homenagem a Oxalá.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Uma das coisas mais desreipeitosas que já li sobre as religiões afro brasileiras, isso por que não seria necessário um grande aprofundamento no assunto para não falar tantas besteira. Uma vergonha tratarem com tanto desleixo o assunto

    Curtir

  2. salim zaidam mila pergoli

    Completamente errônea a matéria. ….com um tanto quanto desrespeitosa e absurdamente errada……..em um contexto geral ,poderíamos dizer que foi feita essa matéria com um tanto de falta da real história afro descendente. ….cuju o assunto foi completamente ecvocado. ………não daria para levar em conta a matéria…..
    .

    Eu como sou candomblé. …raspado,catulado é adoxado. …..me sinto ofendido com essa matéria……..

    Curtir