GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Quais símbolos têm ligação com o divino e o sobrenatural?

A conexão entre as coisas mundanas e o universo sobrenatural é uma rica fonte de simbologia

monad_crescente_triquetra_triplice

 (/)

 

1) Monad

Criado por John Dee, ocultista e astrólogo famoso por aconselhar a rainha Isabel I, no ano de 1583, o Monad é uma junção de quatro símbolos que representam o Sol, a Lua e os elementos da natureza. Em sua essência, a verticalidade refere-se ao único, a deus e ao intelecto. A raiz da palavra monad é grega, com a mesma origem da palavra mosteiro. Por ser um símbolo que carrega um significado lógico muito determinado, foi bastante utilizado pelos alquimistas e pelos rosacruzes.

 

2) Lua crescente

Como todo tipo de lua, esse símbolo está relacionado ao feminino e à virgindade. Deusas como Ártemis (da mitologia grega) e Diana (romana) sempre são retratadas com uma lua crescente por perto, assim como a Virgem Maria, no cristianismo. A lua crescente junto de uma estrela é o símbolo mais forte do islamismo (os muçulmanos seguem o calendário lunar, em que os meses se iniciam na lua crescente). A origem dessa relação remonta ao Império Otomano, que seguia o Islã e tinha a lua e a estrela como principais ícones.

 

+ Dicionário de Simbologia: qual o significado do pentagrama e dos outros símbolos de estrela?

+ Dicionário de Simbologia: O que significam os símbolos com espirais ou padrões complexos?

 

3) Triquetra

Formada por uma linha contínua em formato triplo de peixes, em meio a um círculo, a Triquetra é um símbolo antigo, encontrado em runas de mais de 2 mil anos. Em latim, Triquetra significa “três pontas”. Ela traz o sentido de proteção, na mesma linha que o Valknut nórdico. E, mesmo sendo anterior ao cristianismo, esse desenho tem sido usado como sinal da Santíssima Trindade, além de outras ocasiões em que seja preciso conectar três itens ou três conceitos.

 

4) Deusa tríplice

Na Wicca, a Lua está sempre relacionada à deusa, divindade feminina das religiões pagãs. Nesse símbolo, o círculo central representa a lua cheia e os semicírculos laterais são as luas minguante e crescente, sinalizando as mudanças naturais em três momentos da vida da mulher: donzela (que representa a pureza), mãe (que seria a proteção) e anciã (que significa sabedoria).

 

+ Dicionário de Simbologia: que outras religiões, antes e depois de Cristo, também usaram a cruz como símbolo?

+ Dicionário de Simbologia: quais símbolos são considerados “do mal”? O que significam?

 

Marcas ancestrais

5) Infinito

O símbolo do infinito, o número 8 e a curva algébrica lemniscata têm o mesmo formato e vários significados em suas linhas fluidas. Com origem nos numerais arábicos, o infinito pode ser desenhado com apenas uma linha em movimento de gangorra no sentido horário e anti-horário. O laço formado reflete o balanço dos opostos, como feminino e masculino, dia e noite, claridade e escuridão… E, como os dois lados são iguais, também remete à igualdade entre essas dualidades. O ponto convergente no centro representa a ideia de união sexual, dois que se tornam um.

 

6) Cruz de troll

Esse símbolo está presente em amuletos que trariam proteção contra trolls, ogros imaginários do folclore escandinavo. Na maioria das vezes, o amuleto é feito de ferro, que reforça o aspecto de proteção do símbolo, pois se acredita que esse metal é evitado por entidades maléficas. Apesar de seu nome, não é exatamente uma cruz, mas sim um círculo com a base em curva.

 

+ Dicionário de Simbologia: Qual o significado dos símbolos com olhos?

+ Dicionário de Simbologia: Quais símbolos inspiraram a suástica? O que significam?

 

7) Indalo

Encontrado em cavernas na região de Almeria, na Espanha, esse emblema pré-histórico (há indícios de que tenha sido criado há mais de 5 mil anos) traz significados simbólicos, que lembram doutrinas de religiões contemporâneas. O desenho representa um homem segurando um arco sobre a cabeça. A imagem seria o arco-íris (ou uma abóboda dos céus) e funcionaria como uma ponte entre o divino e o homem. Desenhado de maneira muito simples, ele contrastaria a complexidade entre os aspectos micro (do ser humano) e macro (do cosmo).

 

8) Khanda

Formado pela união de quatro armas sagradas, esse símbolo pertence ao siquismo, uma religião monoteísta criada na região entre o Afeganistão e a Índia no século 15. O Khanda representa os quatro aspectos simbólicos da fé sikh. A espada de dois gumes no centro do desenho simboliza o poder de Deus e a sabedoria da divindade. O círculo ao redor é chamado chakkar, uma arma medieval, que, assim como outros sinais circulares, significa eternidade e unidade. Já as adagas nas laterais são conhecidas como kirpans, que simbolizam o equilíbrio entre espírito e matéria.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Como eu faço para pedir mais símbolos aqui?

    Curtir