Clique e Assine por apenas 6,90/mês

Como o novo coronavírus se compara ao vírus da gripe

Ambas as doenças causam sintomas parecidos, mas existem algumas diferenças importantes, como a taxa de mortalidade.

Por Bruno Carbinatto - Atualizado em 25 mar 2020, 12h24 - Publicado em 5 mar 2020, 18h11

Tosse, febre e falta de ar: esses três sintomas podem te lembrar aquela gripe que todo ano insiste em voltar para nos incomodar. Mas, se eles aparecerem agora, pode significar que você tem Covid-19, a doença respiratória causada por um novo coronavírus que vem se espalhando rapidamente pelo mundo – e causando pânico.

Já são quase 98 mil casos confirmados no mundo e mais de 3300 mortes. Nesse cenário, e dada as semelhanças, é natural que se compare as duas doenças. Mas é preciso tomar alguns cuidados na hora de interpretar os dados.

Primeiramente, é preciso entender a diferença entre Covid-19, gripe e resfriado. Quando uma pessoa diz que está gripada, é possível que ela esteja com um simples resfriado. Os sintomas do resfriado são coriza, dor de cabeça, febre baixa e tosse, e diversos vírus podem causar a doença. Em geral, os resfriados são leves e somem em pouco mais de uma semana, sem necessidade de remédios ou intervenções médicas.

A gripe é uma doença mais séria, causada por variações do vírus Influenza. Ela causa febre alta, dores no corpo, tosse, coriza, síndromes respiratórias e pode ser letal, especialmente para pessoas mais velhas ou baixa imunidade. Anualmente, há vacinas que protegem contra as diferentes versões dos vírus que causam a gripe (H1N1, H3N2, etc…).

Continua após a publicidade

A Covid-19 lembra a gripe em muitos aspectos, mas é causada por um outro vírus, o SARS-cov-2, da família dos coronavírus – um grupo totalmente diferente do Influenza. Alguns coronavírus circulam pela população causando resfriados comuns, sem muitas complicações. Outros resultam em doenças mais sérias, como a MERS (Síndrome Respiratória do Oriente Médio), a SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e a própria Covid-19. E não há vacina nem tratamento conhecidos para ela.

Covid-19 x Gripe: qual é a mais letal?

Como a gripe está por aí há muitos anos (e é bem conhecida pelos cientistas), sabe-se que sua taxa de mortalidade fica em torno de 0,1% – o número varia um pouco todo ano dependendo dos diferentes vírus presentes naquele ano. Apesar da porcentagem baixa, o valor em números brutos surpreende: só nos Estados Unidos, 56 mil pessoas morrem todos os anos por conta da doença.

Já os dados da Covid-19 ainda são preliminares, mas a doença é claramente mais perigosa que a gripe. A taxa de mortalidade geral é estimada em 3,4% por enquanto, variando muito em diferentes faixas etárias – em idosos acima de 80 anos, por exemplo, a mortalidade chega a quase 15%; entre jovens com idade entre 10 e 39 anos, só 0,2% morrem. Mas há um porém: a mortalidade da Covid-19 pode estar sendo superestimada se considerarmos que há casos assintomáticos da doença, que não entram na conta se não forem identificados.

Continua após a publicidade

Em relação à transmissão, a gripe também parece ser menos potente que a Covid-19. Para chegar a essa conclusão, é preciso analisar um número conhecido como “número básico de reprodução”, ou apenas R0.

Essa medida mostra a quantidade de outras pessoas que um único indivíduo doente consegue infectar. A gripe tem um R0 estimado de 1,2 – ou seja, cada pessoa pode passar a doença para até 1,2 outras pessoas, em média. O R0 da Covid-19 ainda não está certo, mas as estimativas variam entre 2,2 e 4. Bem mais transmissível que a gripe.

Apesar disso, a gripe está por aí mais tempo, por isso têm mais casos confirmados do que a nova doença.

Ambos os vírus se transmitem por gotículas de fluídos como saliva, mas a gripe parece ser mais eficiente em entrar no organismo pelo ar. Até agora, a Covid-19 parece se transmitir mais pelo contato (ou seja, encostar em uma pessoa ou objeto infectado e depois levar a mão à boca ou ao nariz).

Publicidade