Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Covid-19: Moderna começa testes de sua vacina em crianças

Farmacêutica é a primeira a aplicar doses em pessoas entre seis meses e 11 anos, grupo ainda não contemplado por nenhuma outra vacina aprovada no mundo.

Por Bruno Carbinatto Atualizado em 16 mar 2021, 19h27 - Publicado em 16 mar 2021, 19h09

A farmacêutica norte-americana Moderna anunciou nessa terça-feira (16) que começaram os testes de sua vacina contra a Covid-19 em crianças de seis meses a 11 anos. Os estudos envolverão, ao todo, 6.750 participantes saudáveis nos Estados Unidos e no Canadá, e prevê um tempo de acompanhamento de até um ano dos voluntários.

De acordo com um comunicado da farmacêutica, os testes ocorrerão em duas etapas. Na primeira, os pesquisadores verificarão como cada faixa etária responderá a diferentes doses da vacina; crianças com mais de 2 anos de idade receberão 50 ou 100 microgramas de vacina por dose, enquanto bebês com menos de 2 anos receberão 25, 50 ou 100 microgramas em cada aplicação. A dose padrão para adultos é de 100 microgramas. Cada participante tomará duas doses no total, com um intervalo de 28 dias entre elas (o mesmo período usado em adultos).

  • Segundo relatou o jornal americano The New York Times, os voluntários de cada grupo começarão recebendo apenas a menor dose testada, para que a equipe consiga verificar os efeitos colaterais com cautela. Quando o padrão de segurança for comprovado, as doses maiores começarão a serem testadas.

    Na segunda etapa, a dose ideal para cada idade já terá sido definida por meio da análise interina da fase anterior, e mais crianças receberão a vacina para testar sua eficácia. Ao mesmo tempo, haverá um grupo que tomará placebo para que haja comparação entre os resultados.

    Os participantes serão monitorados por um ano após a vacinação, e serão registrados possíveis efeitos colaterais, seus níveis de anticorpos e os casos de Covid-19 em cada grupo. A partir disso, os resultados serão calculados para as crianças.

    Continua após a publicidade

    Uma das preocupações dos testes é que efeitos colaterais leves observados em adultos, como dor no local da aplicação, dores de cabeça e no corpo e febre podem ser mais intensos em crianças pequenas, e por isso a dose deve ser menor e ajustada para cada faixa etária.

    A vacina da Moderna já foi aprovada e amplamente utilizada em adultos em países como Estados Unidos, Canadá, nações da União Europeia, Reino Unido, Israel e Cingapura.

    Atualmente, nenhuma vacina foi aprovada para bebês, crianças e adolescentes – principalmente porque os testes feitos até agora não cobriram essas populações. Mas os primeiros estudos já começaram.

    Em um outro ensaio clínico separado, a Moderna está aplicando doses em pré-adolescentes e adolescentes entre 12 e 17 anos; a também norte-americana Pfizer está testando sua vacina em jovens de 12 a 15 anos, enquanto a AstraZeneca começou a aplicar doses em crianças com mais de seis anos no Reino Unido. A Moderna, porém, é pioneira nos testes com crianças e bebês muito novos – a única outra farmacêutica que testará sua vacina em crianças e bebês menores que seis anos é a Johnson & Johnson, mas os ensaios ainda não começaram.

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade