Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

“Homens estão ficando inférteis.” Não é bem assim…

Textos alarmistas têm dito que a taxa de espermatozoides despencou e os homens ocidentais podem ficar estéreis em 2045. Mas a verdade não é bem essa.

Por Bruno Garattoni 15 jul 2021, 10h37

O que a notícia diz: 

A taxa de espermatozoides dos homens ocidentais caiu 60% desde a década de 1970. O motivo seria a exposição a plásticos e agrotóxicos, que interferem com os hormônios. Se o ritmo atual for mantido, os homens estarão inférteis em 2045.

 

Qual é a verdade:

A taxa média de fato despencou (de 99 para 47 milhões de espermatozoides por ml de sêmen), mas esse dado é de 2011. Não se sabe se ela continua caindo. Os possíveis motivos da queda nunca foram comprovados. E ainda há muita folga antes de alcançar um nível crítico: 20 milhões/ml já é suficiente para engravidar.

A redução dos espermatozoides também não é necessariamente a responsável pela queda na fertilidade, que ocorre na maioria dos países e pode estar relacionada a outros fatores: como não querer ter filhos, querê-los em menor número, ou tentar tê-los mais tarde na vida.

Continua após a publicidade
Publicidade