GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Saúde sem esforço

Hipertensão, colesterol alto, doenças cardíacas,problemas respiratórios... Os perigos que rondam o organismo humano não têm fim. O bom é que, para se manter saudável, basta fazer o básico e se prevenir.

Se alguém lhe pedisse para listar quatro ou cinco hábitos simples para conservar a boa saúde, provavelmente você teria na ponta da língua uma receita. Seria mais ou menos assim: realizar atividades físicas, manter um peso adequado, evitar o estresse, não fumar e não abusar do álcool. Poderíamos acrescentar outras medidas, como fazer visitas periódicas ao médico, vacinar-se mesmo na fase adulta e cultivar bons relacionamentos afetivos com a família e os amigos. Está aí um conjunto de hábitos saudáveis amplamente conhecidos de todos nós. O ponto é que muitas vezes deixamos esse receituário básico de lado. É como se esquecêssemos de que nossa condição de saúde – daqui a cinco, dez, 20 ou 30 anos – está em grande parte em nossas próprias mãos. Os médicos não cansam de repetir: podemos nós mesmos evitar muitos males, dores, problemas crônicos e até enfermidades fatais.

Uma rápida olhada em algumas estatísticas pode ajudar a convencer de que é você quem faz sua saúde: no Brasil há 12 milhões de pessoas hipertensas, mais de 35 milhões têm colesterol alto e 7,5 milhões sofrem de doença pulmonar relacionada ao tabagismo. Claro que as dificuldades e as restrições impostas pela rotina atrapalham muitas vezes a adoção de hábitos saudáveis. Mas o fato é que uma boa parcela do que acontece com nossa saúde depende de nós. Parte importante da população, por exemplo, só recorre ao médico quando sente uma dor persistente ou quando suspeita que possa estar sofrendo de algo grave. Algumas vezes, os sintomas são apenas a conseqüência de um probleminha passageiro qualquer. Outras vezes, são os sinais de um processo avançado e irreversível. É a velha história: com uma prevenção correta, o médico teria detectado a doença precocemente e, em muitos casos, ela nem sequer teria aparecido. Essa é a vantagem da medicina preventiva.

Hábitos que provocam doenças

A medicina do século 21 não se limita a diagnosticar, curar e buscar terapias mais eficazes contra os processos patológicos. Seu novo desafio é evitar que adoeçamos. Como? Mediante uma análise dos grandes fatores que determinam nossa saúde: a herança genética, o meio em que vivemos, nossos hábitos e o nível da assistência à saúde a que temos acesso. Vacinas, exames e conselhos de especialistas são os principais recursos da medicina preventiva. Os programas de vacinação conseguiram erradicar a varíola e reduzir drasticamente os casos de poliomielite, sarampo e difteria, entre outras infecções. Hoje as crianças recebem mais vacinas do que nunca. Existem 19 tipos de vacina para protegê-las de 19 doenças potencialmente mortais.

Além disso, os exames de rotina permitem identificar precocemente desde problemas de visão, cardíacos e metabólicos até câncer e Alzheimer. A mamografia pode adiantar em dois ou três anos a detecção do câncer de mama e reduzir a mortalidade em até 40%. A visita periódica ao ginecologista e o estudo citológico de secreção de colo de útero e vaginal (papanicolau) reduziram em até 60% a incidência de câncer do colo do útero. Os exames de toque retal e a ecografia transretal estão permitindo o diagnóstico do câncer de próstata em seus estágios iniciais. Há também estudos baseados no DNA que possibilitam o diagnóstico prematuro de um número cada vez maior de enfermidades genéticas.

De sua parte, a pesquisa epidemiológica moderna já relacionou uma ampla variedade de hábitos pessoais com o início de diversas doenças. Os exemplos são muitos: o abuso dos banhos de sol como causa do melanoma maligno, o consumo excessivo de álcool como causa de tumores respiratórios e digestivos, cirrose hepática, lesões cerebrais e acidentes de trânsito. O tabagismo é o principal desencadeador do câncer de pulmão, de enfermidades respiratórias crônicas e de cardiopatias coronárias. Uma dieta rica em gorduras saturadas e pobre em frutas e verduras é um dos fatores que influenciam no aparecimento de problemas cardiovasculares e de câncer no intestino, de mama e de pâncreas. Ninguém questiona que uma alimentação excessivamente calórica, aliada ao sedentarismo, se traduz em obesidade, que, por sua vez, é um fator de risco para o surgimento de hipertensão, diabetes, câncer uterino e problemas de articulação. Todos sabem também que o sexo sem proteção é a principal causa das doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), como aids, sífilis e hepatite C.

Cuidados na mesa e na cama

O cigarro, o álcool, as relações sexuais sem proteção, o tipo de comida que se ingere e até a forma como se dirige têm importantes conseqüências sobre a saúde. A maioria das pessoas morre por causa de doenças cardíacas e circulatórias em geral (30% dos óbitos), por processos cancerosos (16%) ou por causas externas, como acidentes de trânsito e homicídios (14%). Muitos estudos apontam que quase 70% dos fatores que desencadeiam essas mortes estão relacionados a comportamentos específicos de nosso estilo de vida, algo que se escolhe deliberadamente, mas que também aparece modulado “pela própria subcultura, pela pressão exercida pelos semelhantes, pela propaganda e pelo grau de oportunidade”, segundo afirma o epidemiologista Anthony J. McMichale, da Australian National University, de Canberra.

O tabagismo talvez seja o exemplo mais paradigmático da prevenção: apesar das campanhas de saúde pública, nada menos que um terço da população adulta do mundo (ou seja, 1,3 bilhão de pessoas) tem o hábito de fumar, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, segundo levantamento recente do Ministério da Saúde e do Instituto Nacional do Câncer, 19% da população é fumante. O cigarro está associado a mais de 50 doenças, como câncer de pulmão, de boca e cardiopatias, e mata por ano 4 milhões de pessoas no mundo – o equivalente à população de Salvador e Porto Alegre somada.

Em resumo: corrigindo alguns dos maus hábitos e assimilando as recomendações de saúde, é possível melhorarmos, sim, muito nossa qualidade de vida e chegarmos com boa saúde pelo menos aos 71,5 anos, que é a esperança de vida ao nascer dos brasileiros. Com esse objetivo, convidamos você a fazer um auto-exame. Nas próximas páginas, descubra como anda sua saúde e o que pode ser feito para viver mais e melhor. Para isso, você também deverá contar com a ajuda de seu médico de confiança.

Adaptação Marcos Moura e Souza

Teste

Quantos anos você vai viver?

Este teste foi preparado porespecialistas da Guidance Financial Consultants, do Texas, EUA, e permite estimar sua expectativa de vida

Geneticamente, estamos programados para viver 120 anos, mas a interação dos genes com o meio em que vivemos e com nossos hábitos pode nos tirar alguns anos de vida. Para calcular sua expectativa de vida, comece com 76 anos e vá somando ou subtraindo conforme a resposta que escolher nas 20 frases a seguir.

1. Tem entre 30 e 50 anos [+2]. Tem entre 51 e 70 [+4]

2. É homem [-3] ou mulher [+4]

3. Você vive em uma área urbana com mais de 1 milhão de habitantes [-2] ou em uma pequena cidade [+2]

4. Um de seus avós viveu até os 85 anos [+2] ou dois avós viveram até 80 anos [+6]

5. Um de seus pais morreu de doença cardíaca ou de um infarto cerebral antes dos 50 anos [-4]

6. Algum de seus irmãos tem câncer, sofre de doença cardíaca ou de diabete desde a infância [-3]

7. Você ganha cerca de um salário mínimo por mês [-2]

8. Você estudou até o primário [+1] ou fez o ensino médio e superior [+2]

9. Você já completou 65 anos ou mais e continua em atividade [+3]

10. Vive com sua companheira ou companheiro ou com um amigo [+5]

11. Vive sozinho [-3] ou já viveu sozinho durante muito tempo depois de ter completado 25 anos [-3]

12. Você trabalha em um escritório [-3] ou exerce uma atividade que requer grandes esforços físicos [+3]

13. Faz exercício físico intenso durante 30 minutos cinco vezes [+4] ou duas ou três vezes por semana [+2]

14. Você costuma dormir mais de dez horas por dia [-4]

15. Você se considera uma pessoa tranqüila [+3] ou estressada [-3], feliz [+1] ou infeliz [-2]

16. Você recebeu alguma multa nos últimos anos por excesso de velocidade [-1]

17. Consome álcool uma ou mais vezes por dia [-1]

18. Você fuma mais de dois maços de cigarro por dia [-8], um ou dois [-6] ou meio maço ou menos que isso [-3]

19. Seu sobrepeso é de 5 a 13 kg [-2], de 14 a 49 kg [-4] ou de 50 kg ou mais [-8]

20. Se você tem 40 anos, passou recentemente por uma consulta médica e, se mulher, faz um check-up ginecológico anual [+2]

Resultado

Esta é a sua expectativa de vida: ( ) anos

Teste

Preencha este questionário…

Muitas doenças têm relação com o que você faz. As perguntas a seguir permitem verificar se seus hábitos são saudáveis ou não – e se isso aumenta ou diminui sua expectativa de vida.

1. Você fuma ou convive com fumantes habituais?

Sim [-10]

Não [+10]

2. Vive em uma região com altos níveis de poluição?

Sim [-4]

Não [+1]

3. Come mais de quatro vezes por semana carne vermelha, defumados, produtos embutidos e pratos rápidos (como hambúrgueres, pizzas, pré-cozidos)?

Sim [-3]

Não [0]

4. Você prepara com freqüência carnes e peixes na brasa, na grelha ou fritos e doura bastante a superfície dos alimentos?

Sim [-2]

Não [0]

5. Consome derivados de leite de vaca, doces, pastéis e produtos que contêm gorduras animais ou vegetais saturadas, como manteiga ou gordura bovina?

Sim [-7]

Não [+3]

6. Ingere diariamente de duas a quatro porções de fruta e/ou hortaliças e verduras frescas, além de incluir alimentos com grãos inteiros, como aveia, pão de trigo ou cevada, arroz integral, massas e legumes?

Sim [+5]

Não [-4]

7. Consome peixe cozido ou no vapor duas ou mais vezes por semana?

Sim [+3]

Não [-3]

8. Tem o hábito de temperar suas saladas com azeite de oliva virgem ou com óleo de canola?

Sim [+2]

Não [-2]

9. Bebe mais de duas doses de álcool por dia, ou seja, mais de meio litro de cerveja, mais de dois copos de vinho ou mais de 0,5 mililitro de bebidas destiladas com alta graduação alcoólica, como o uísque?

Sim [-6]

Não [0]

10. Bebe mais de 1 litro de café ou mais de 1 litro de refrigerante por dia?

Sim [-3]

Não [0]

11. Costuma tomar banchá, ou chá verde, pelas manhãs?

Sim [+3]

Não [0]

12. Usa como tempero diário ervas como orégano, alecrim, sálvia, louro e tomilho? E toma pelo menos três vezes por semana chá de hortelã, erva-doce, cidreira ou boldo?

Sim [+1]

Não [-1]

13. Bebe muitos copos de água durante as refeições ou durante o dia até completar 1,5 litro no inverno e 2,5 litros no verão?

Sim [+2]

Não [-2]

14. Calcule seu índice de massa corpórea (IMC): divida seu peso em quilos pelo quadrado de sua altura em metros. Por exemplo, quem tem 60 kg e 1,60 m tem um IMC de 60/(1,6 x 1,6) = 23,4. IMC abaixo de 18 [-7], 18 a 26 [+2], 27 a 29 [-7], 30 a 34 [-10], 35 a 39 [-15], 40 ou mais [-25]

15. Durante a semana, você pratica algum esporte que lhe faça suar ou algum exercício diário durante pelo menos 20 minutos?

Sim [+7]

Não [-7]

16. Está exposto ao risco de infecção pelo vírus da aids ou da hepatite C por manter relações sexuais sem proteção, por mudar muito de parceiro(a) ou por usar drogas injetáveis?

Sim [-8]

Não [0]

17. Vive perto de pessoas que o visitam com freqüência?

Sim [+5]

Não [-4]

18. Vai ao banheiro pelo menos a cada dois dias?

Sim [0]

Não [-4]

19. À noite, você se levanta mais de uma vez para fazer xixi e a urina é escura ou malcheirosa?

Sim [-2]

Não [+2]

20. Com qual destas frases você se identifica mais: a) “O estresse me devora”; b) “Combato meu estresse com a ajuda do humor, do esporte ou de outra atividade”?

A [-7]

B [+7]

21. Periodicamente você se bronzeia intensamente ao sol?

Sim [-4]

Não [+3]

22. Tem dificuldades para dormir ou toma soníferos, antidepressivos ou ansiolíticos?

Sim [-3]

Não [+3]

23. Seus pais ou irmãos são diabéticos?

Sim [-4]

Não [0]

24. Seus pais morreram antes dos 75 anos por uma causa não acidental?

Sim [-10]

Não [0]

25. Se seus pais têm mais de 75 anos (ou viveram até essa idade) e precisam (ou precisaram) de assistência diária?

Sim [-6]

Não [+6]

26. Você tem menos de 50 anos e faz algum tratamento contra o câncer?

Sim [-5]

Não [+5]

27. Tem mais de 50 anos e faz algum tratamento contra o câncer?

Sim [-3]

Não [+3]

28. Está se tratando contra alguma doença reumática?

Sim [-1]

Não [+1]

29. Faz tratamento contra alguma enfermidade neurológica crônica (como esclerose múltipla)?

Sim [-2]

Não [+2]

30. Sofre de alguma doença intestinal crônica?

Sim [-2]

Não [+2]

As perguntas deste questionário foram elaboradas por uma equipe médica e revisadas pelo coordenador do Departamento de Clínica Médica do Hospital das Clínicas de são paulo, Milton de Arruda, pelas nutricionistas Cláudia Teixeira e Vanderli Marchiori e pela médica especializada em medicina preventiva Ana Cláudia Camargo Gonçalves Ferreira.

…E calcule seu capital de saúde

Cada resposta às perguntas da página anterior tem um valor estimado em unidades de saúde. Some todos os pontos (positivos e negativos) e leia o texto abaixo, em que você vai receber pontos extras ou penalizações. Some esses pontos aos da primeira contagem e divida o resultado por 5. As mulheres devem adicionar 87 pontos à cifra. Os homens devem acrescentar 84. A pontuação que você obtiver é o seu capital de saúde, expresso em anos de vida. Se o total ultrapassar sua idade atual, significa que você tem uma constituição fora de série.

O porquê de cada pergunta

1. O tabagismo favorece os acidentes cardiovasculares, as doenças respiratórias e os cânceres de bexiga, estômago e rins. Se você fuma menos de cinco cigarros por dia, subtraia 1 ponto em vez de 10.

2. Os poluentes atmosféricos são um dos fatores que levam ao aparecimento de numerosos tipos de câncer e ao agravamento de certas doenças.

3. A ingestão excessiva de carnes vermelhas e embutidos é prejudicial ao coração e aumenta o risco do surgimento de câncer de cólon. Se a fonte principal de proteínas em sua dieta vem de carnes brancas – frango e outras aves – ou da associação de cereais e leguminosas, some 3 pontos.

4. O cozimento em temperaturas muito altas gera moléculas tóxicas ou cancerígenas. Se você costuma cozinhar no vapor (95º C), ganha 3 pontos.

5. Os derivados de leite de vaca são muito ricos em gorduras saturadas, que aumentam o risco de câncer, obesidade, diabetes e doenças cardiovasculares. Os alimentos industrializados contêm gordura animal em excesso. Se você consome queijos de leite de ovelha e cabra, bem como azeite cru, adicione 3 pontos.

6. O consumo de frutas, legumes e cereais integrais só traz benefícios.

7. O atum, a sardinha e outros peixes gordurosos são ricos em ácidos graxos ômega-3, que têm o comprovado efeito cardioprotetor.

8. O azeite de oliva é rico em ácidos oléico e linoléico, mas não é tão rico em outros ácidos também saudáveis, o ômega-3 e o ômega-6, presentes no óleo de girassol e em peixes como sardinha e atum. O ideal é combiná-los.

9. O consumo de um ou dois copos de vinho por dia é recomendado, mas o abuso do álcool aumenta o risco de câncer de mama e cirrose.

10. A cafeína é um bom diurético, mas em excesso favorece o estresse e a insônia. O aspartame dos refrigerantes pode provocar dores de cabeça, insônia e alteração de humor.

11. Alguns estudos apontam que o chá verde diminui o risco do surgimento de diversos tipos de câncer, do mal de Parkinson, do infarto, da artrite reumatóide, de alergias e de infecções.

12. Essas plantas aceleram o processo de digestão, promovem a desintoxicação e são excelentes antioxidantes.

13. Beber água é extremamente benéfico à saúde. Acredita-se que isso amenize os problemas de memória.

14. O excesso de peso e a obesidade estão relacionados com uma longa lista de patologias: diabete, hipertensão, cardiopatias, artrose, câncer…

15. A atividade física regular melhora o sono, combate a osteoporose, ajuda a manter o peso e potencializa o funcionamento de todos os órgãos.

16. Sexo sem proteção e promiscuidade aumentam o risco de contrair doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), incluindo aids e hepatite C.

17. Os relacionamentos afetivos, principalmente com família e amigos, desempenham um papel protetor contra o estresse social e psicológico.

18. Os riscos de câncer intestinal diminuem se o alimento não permanecer no organismo por mais de 20 horas.

19. Urinar com freqüência durante a noite pode ser um sinal de diabetes. A urina escura pode indicar que você não está bebendo água em quantidade suficiente. A urina transparente e da cor de chá forte é característica de hepatite viral aguda ou de cirrose. E um cheiro anormal pode indicar insuficiência hepática ou fístula retal.

20. O estresse e a depressão fazem com que nossas defesas baixem a guarda. Pense positivo.

21. O excesso de raios ultravioleta causa câncer de pele e aumenta o risco do surgimento de catarata e degeneração muscular.

22. Somente um sono de qualidade é realmente renovador para o organismo. E mais: evite a automedicação.

23. A diabete tem um forte componente hereditário. A detecção precoce é fundamental para conter as complicações diabéticas.

24 e 25. Um bom patrimônio genético é igualmente determinante. Se seus pais ou irmãos gozam de boa saúde, sua expectativa de vida aumenta consideravelmente.

26 e 27. O câncer é mais rebelde entre os jovens. A cura e a sobrevida a longo prazo de crianças tratadas por câncer nos Estados Unidos oscila de 50 a 90% dos casos, de maneira geral.

28, 29 e 30. O tratamento desses problemas crônicos tem um impacto negativo sério na qualidade de vida.