Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Manual: como declarar o Imposto de Renda?

A declaração deve ser entregue até 31 de maio. Veja algumas dicas para fazê-la sem estresse e vencer o leão.

Por Rafael Battaglia Atualizado em 6 Maio 2021, 16h35 - Publicado em 24 abr 2019, 16h58

O programa para fazer a declaração da edição 2021 do Imposto de Renda está disponível já faz algum tempo no site da Receita Federal. E fique atento ao prazo de 31 de maio: a multa para os atrasados é de, no mínimo, R$ 165,74. Abaixo, você confere as principais dicas de especialistas em finanças para fazer uma declaração certeira.

1) Saiba se você precisa

O Imposto de Renda é uma cobrança anual sobre os ganhos de pessoas e empresas. Mas só se eles forem consideráveis: quem acumula no máximo R$ 28.559,70 por ano fica livre de declarar suas contas para o governo.

2) O que declarar?

Além de salário, poupança e patrimônio (casa, carro, etc.), também é preciso declarar as principais despesas com saúde e educação, além de dizer quem são os seus dependentes – pessoas que dependem da sua renda, como os seus filhos.

Fique atento a erros bobos em números como o CPF do dentista e o CNPJ do colégio podem te colocar na “malha fina”, termo usado quando a sua declaração apresenta alguma inconsistência, e a Receita Federal parte para uma análise mais minuciosa.

  • 3) Junte seus recibos

    Não espere o começo do ano para se preocupar com o Imposto de Renda. Separe com antecedência os informes de rendimento e recibos de médicos e psicólogos, que diminuem o valor final do imposto. É preciso guardá-los por cinco anos após a declaração. Neste período, a Receita pode pedir para que você os apresente, caso haja um problema.

    4) Simples ou completa?

    Há dois tipos de declaração. A “simples” (ou “simplificada”) infere uma média para as suas despesas, enquanto a “completa” utiliza como base de cálculo todos os gastos que você listou.

    Continua após a publicidade

    No programa da Receita Federal, há um mostrador em tempo real do do valor do seu imposto. Nele, é possível alternar entre as duas modalidades de declaração para ver o que mais vale a pena. Em alguns casos, escolher entre uma e outra garante uma restituição (que é quando você recebe ao invés de pagar).

    5) Salve sua declaração

    Guarde os arquivos gerados após a declaração no seu computador, além de uma cópia em um pendrive, HD externo ou na nuvem. No ano seguinte, eles servem de modelo para a próxima declaração, e você reaproveita alguns dos dados inseridos.

    6) Não exagere

    Remédios, nutricionista e estética não contam como despesas médicas. Além disso, os gastos com saúde devem ser feitos separadamente, e não todos juntos de uma vez, somados. Para cada tipo de especialidade (como os dentistas), há uma opção específica.

    7) E os casados?

    Basta um dos cônjuges declarar os patrimônios. O outro precisa apenas fazer uma menção de que eles constam na declaração do parceiro. Para isso, basta procurar pelo código 99 no campo destinado a isso.

    8) Ficou com dúvida em algo?

    Pressione a tecla F1 e o programa abrirá a seção de ajuda, com explicações detalhadas sobre cada seção.

    Fontes: Gisele Galilea, vice-coordenadora do curso de graduação em administração da FGV; Roberto Silva, sócio da Mazars, auditoria e consultoria empresarial.

    Continua após a publicidade
    Publicidade