Clique e Assine SUPER por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Os artigos mais inusitados da Wikipédia

Máquinas de fax que espalhavam fake news. Uma montanha-russa mortal. E um pato-robô capaz de comer – e defecar. Confira um guia com o que há de mais bizarro na enciclopédia (de acordo com ela mesma).

Por Caio César Pereira
Atualizado em 2 out 2023, 23h04 - Publicado em 2 out 2023, 23h01

A Wikipédia possui mais de 60 milhões de verbetes, em 303 idiomas. É sem dúvida o maior acervo de conhecimento compartilhado e de fácil acesso no mundo. A alegria de muitos estudantes – e a tristeza de alguns professores.

Acha-se de tudo por lá – mesmo. Há desde artigos bobos (como um que discute a orientação correta do papel higiênico; fizemos uma lista com esse e outros textos curiosos) até verbetes sérios, relevantes e com curadoria constante: são os chamados “artigos vitais“, que possuem até um núcleo de projeto próprio dentro da Wiki.

E existem também os Unusual articles (ou “artigos peculiares”, em português), considerados os mais estranhos e curiosos dentro da enciclopédia. Segundo a lista que os descrevem, são verbetes de assuntos verificáveis e que trazem valiosas contribuições para a comunidade – mas que, de tão inusitados, dificilmente encontrariam espaço numa enciclopédia convencional (alô, Barsa!).

A lista pode ser esquisita, mas não é bagunçada. Para o artigo entrar na lista de unusuals, ele precisa atender a alguns dos critérios estabelecidos pela página. Dentre eles, ser bem documentado por sua notoriedade inesperada ou ser alvo de um culto; ser uma clara anomalia ao senso comum; ser considerado divertido, embora sério, ou ser algo que uma pessoa razoável não esperaria encontrar em uma enciclopédia-padrão.

Os artigos são separados em diversas categorias, que por sua vez, possuem subcategorias. Os que possuem uma estrela do lado indicam um artigo em destaque, enquanto os com sinal de “+” apontam um bom artigo, segundo os colaboradores da Wiki.

Abaixo, preparamos um pequeno guia dos assuntos que você vai encontrar na lista. Boa leitura 😉

Continua após a publicidade

Um almanaque do futuro

Na categoria de Ciências, vamos começar com o artigo sobre a falta de rodas ou hélices na locomoção de seres vivos. O texto (bem grande, vale dizer), reúne algumas explicações do por quê, apesar de vários organismos serem capaz de “rolar”, não existem mecanismos biológicos similares a rodas (como a que nós, seres humanos, inventaram). Se você nunca tinha parado para pensar nisso, fique tranquilo – a gente também não.

Você por acaso ouve um som parecido com um zumbido baixo e contínuo – mas que ninguém mais ouve? Bom, talvez você não esteja maluco. Existe um artigo sobre isso também, tentando explicar esse fenômeno (que, aparentemente, não é um fenômeno único; há diferentes exemplos, dependendo do local em que ele foi relatado).

Quem não gosta de pensar no futuro deve passar longe do artigo sobre a linha do tempo do futuro distante.  À la Doctor Who, a página é uma espécie de almanaque, que contém algumas previsões que vão desde a conclusão da “Pirâmide do Tempo” até o congelamento do núcleo da Terra, daqui 4 bilhões de anos.

(A Pirâmide do Tempo, diga-se, é um projeto de arte alemão, iniciado em 1993, que vai utilizar 120 blocos de concreto. A ideia do artista Manfred Laber é dar uma noção da passagem do tempo: só um bloco é adicionado por década; a pirâmide, então, só ficará pronta em 3193.)

Continua após a publicidade

 A história fantasma

Nas categorias de História e Linguagem, você poderá entrar em contato com “As Defenestrações de Praga”, uma série de incidentes em que manifestantes jogavam nobres ou políticos pela janela. Um desses episódios, inclusive, foi o estopim para a Guerra dos Trinta Anos, no século 17,  que envolveu vários países europeus.

Em um ótimo exemplo de metalinguagem, a Wikipédia tem um artigo sobre o Codex Seraphinianus, uma enciclopédia com cerca de 400 páginas – e mais de mil desenhoss. Mas só tem um problema: ela fala sobre um mundo fictício, escrito em um idioma indecifrável, que não existe. Vai entender.

Um outro artigo curioso (para dizer o mínimo) é sobre a hipótese do tempo-fantasma. Essa é uma teoria da conspiração criada pelo alemão Heribert Illig em 1991, que defende que todo o sistema de datação da nossa história é, na verdade, uma grande farsa. 

De acordo com Illig, para legitimar a ascensão do Imperador Otão III ao Sacro Império Romano, Otão e os papas Silvestre II e Constantino VII teriam conspirado para criar o famoso sistema Anno Domini (que marca como ano 1 o início da era cristã, ou era comum). A “hipótese” defende que o que ano de 2023, na verdade, seria o ano de 1725.

Continua após a publicidade

1001 utilidades

Quando entramos nas categorias de Tecnologias e Invenções humanas, as coisas ficam realmente peculiares. O artigo Canard Digérateur, (“pato digestivo”), por exemplo, descreve um pato mecânico construído em 1764, pelo francês Jacques de Vaucanson. O objetivo do autômato era simular o processo de um pato comer e defecar (apesar dele não necessariamente conseguir digerir os alimentos).

Outra página fala sobre aquela sensação de raiva ao tentar abrir um pacote – e falhar miseravelmente. Chamada de Wrap rage (algo como “raiva de embalagem”), o artigo mostra as dificuldades de se abrir diferentes tipos de embalagens, as lesões que podem acontecer e até dicas de como abrir presentes da melhor forma.

Convenhamos: um verbete útil.

O artigo Useless machines (“máquinas inúteis”) contém histórias sobre máquinas cujo único objetivo é… se auto-desligar. Pois é: a engenharia a serviço da inutilidade, como no aparelho do vídeo abaixo:

Continua após a publicidade

Beisebol, máquinas de Fax e o funeral da Wikipédia

Na seção de Esportes, há um artigo sobre metáforas sexuais possíveis de se fazer utilizando um jogo de beisebol. Se você nunca entendeu o que um americano quis dizer com “chegar à terceira base” com alguém, eis a resposta (sexo oral e/ou tocar nas genitálias de alguém, caso não queira abrir o verbete).

Extreme ironing descreve um “esporte radical”, que mais parece ter saído diretamente dos Flintstones. Nessa modalidade, você vai levar seu ferro e sua tábua de passar roupa para locais remotos e difíceis de serem acessados, para… passar roupa. Quem nunca pensou em desamassar camisetas na encosta de um penhasco?

Com uma pitada de humor negro, é possível de encontrar na categoria Morte um artigo bem especifico sobre a chamada Montanha-russa da Eutanásia. Sim, é isso mesmo que você está pensando. A Euthanasia Coaster é o conceito (e o design) de uma montanha-russa projetada especialmente para matar todos os seus passageiros. O Jigsaw, de Jogos Mortais, ficaria orgulhoso.

Continua após a publicidade

Máquinas de fax já tiveram os seus dias de glória. Mas se engana quem pensa que elas serviram apenas para trocar documentos. Bom, pelo menos de acordo com o artigo Faxlore, termo criado em 1974 para falar sobre tudo o que as pessoas trocavam por meio dos aparelhos: poesia, arte, fofocas – e spams.

Segundo o verbete, o fax impulsionou notícias falsas e lendas urbanas, como o da tatuagem Blue Star, que falava dizia que o ácido presente em algumas tattoos de estrela azul viciava crianças em LSD. Prova de que as fake news já eram comuns bem antes das correntes de e-mail e de WhatsApp.

E, como tudo que é bom tem seu fim, a própria Wikipédia possui um artigo falando sobre o fim dela mesma. Em Predictions of the end of Wikipedia, o artigo reúne informações e previsões sobre quando a plataforma vai morrer.

Dentre as possibilidades, as previsões sugerem uma falta de controle do conteúdo e dos editores da página, que poderia levar a uma crise. Outras apontam que o surgimento de outras enciclopédias online ou projetos de inteligência artificial (alô, ChatGPT) poderiam representar a ruína da Enciclopédia Livre. Nós da redação da Super, fãs assumidos da comunidade da Wiki, torcemos para esse artigo esteja errado.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.