Clique e assine a partir de 8,90/mês

Clara visão de um monstro cósmico

O telescópio espacial Hubble obteve a mais reveladora imagem já feita de um buraco negro na galáxia M 87.

Por Da Redação - Atualizado em 31 out 2016, 18h50 - Publicado em 29 fev 1992, 22h00

O Telescópio Espacial Hubble obteve agora a mais reveladora imagem já feita de um buraco negro, objeto cósmico tão denso que, a partir de certa distância, nada escapa à sua gravidade, nem mesmo a luz (veja poster à pagina 41). Invisíveis em si mesmos, os buracos negros podem ser denunciados por sua própria força. É o que se vê no coração da galáxia M87, onde o Hubble flagrou um foco de gás e poeira que parece conter a incrível massa de 2,6 bilhões de sóis. As imagens têm sabor histórico, já que a galáxia M87, desde 1978, tornou-se uma das primeiras evidências de que os buracos negros realmente existem. Um dos sinais disso é o imenso jato de matéria que espirra do núcleo da galáxia. Importante, porém, é a tremenda concentração e velocidade das estrelas na direção do núcleo — possivelmente arrastadas pelo monstro cósmico. Foi isso que o Hubble permitiu avaliar agora ao ampliar uma região relativamente pequena e confirmar observações anteriores da M87, bem próxima, em termos astronômicos. Ela se situa na direção da Constelação de Virgem e dista 70 milhões de anos-luz (um ano-luz mede 9,5 trilhões de quilômetros). “É a primeira vez que temos evidência de um buraco negro influenciando toda a estrutura de uma galáxia”, diz o astrônomo americano Todd Lauer, co-autor da proeza junto com Sandra Faber, também americana.

Publicidade