Clique e assine a partir de 5,90/mês

Veja como usar o WhatsApp Pay sem correr riscos

Novo recurso permite enviar e receber dinheiro pelo aplicativo - mas também pode ser alvo de golpes.

Por Carolina Fioratti - 17 jun 2020, 16h11

No início desta semana, o presidente do Facebook, Mark Zuckerberg, anunciou uma nova ferramenta do WhatsApp que permite o envio de quantias em dinheiro diretamente pelo aplicativo de mensagens. O WhatsApp Pay, como foi chamado, está sendo testado na Índia desde o início do ano, mas foi lançado oficialmente no Brasil nesta segunda-feira (15). 

O recurso já começou a ser implantado nos dispositivos Android e iOS sem necessidade de nenhuma nova instalação. Basta ficar de olho que, em breve, aparecerá o novo atalho na tela de seu aplicativo. Veja no vídeo abaixo, publicado pelo WhatsApp, como funcionam as transações:

Para usar o WhatsApp Pay, é necessário ser maior de 18 anos e ter cartão de crédito ou débito do Banco do Brasil, do Nubank ou do Sicredi (únicas instituições bancárias atualmente aceitas pelo serviço). O WhatsApp não cobra nenhuma taxa – mas o banco do usuário pode fazer isso. Caso você esteja utilizando o WhatsApp Business (app voltado para empresas), a história é outra – há uma taxa fixa de 3,99% sobre o valor transferido. 

Apesar da ferramenta surgir como um facilitador, muitos brasileiros ficaram receosos quanto à segurança do WhatsApp Pay, afinal, não é raro ouvir por aí sobre golpes envolvendo o aplicativo e clonagem de números. Mas há algumas precauções oferecidas pelo próprio app e outras que os usuários podem tomar para usufruir da ferramenta sem cair em armadilhas. 

Primeiro, é importante ressaltar que há um limite de atividade. A pessoa pode realizar, no máximo, 20 transações por dia, sem ultrapassar o valor total de R$ 1 mil. O limite mensal de transferências é de R$ 5 mil. Mas essas cifras valem só para pessoas físicas; para empresas, que trabalham com o WhatsApp Business, não há limites. 

Não é só digitar um valor e dar enter para enviar dinheiro para outra pessoa. O app solicita um PIN de seis dígitos ou a biometria do usuário antes de finalizar a transação (ambos têm de ser previamente cadastrados). Para evitar fraudes, não compartilhe esse PIN com ninguém. Além disso, caso receba mensagens estranhas de pessoas próximas pedindo dinheiro, desconfie e alerte seu conhecido. Se a mensagem suspeita vier de desconhecidos, bloqueie na hora. 

Também é recomendado a autenticação de duas etapas, que reforça a segurança do WhatsApp. Você pode encontrar esse tópico nas configurações do aplicativo, localizadas no topo direito da tela. Você deverá definir uma senha e informar o seu e-mail (para caso esqueça essa senha). O código será solicitado sempre que você mudar de aparelho e tentar acessar o app. Dessa forma, mesmo se alguém clonar o seu número de telefone, não conseguirá clonar o seu WhatsApp. 

Também é essencial ativar os dispositivos de segurança do próprio celular, como senha (com números, códigos ou reconhecimento biométrico e facial). Seguindo esses passos simples, você poderá usar o WhatsApp Pay sem dores de cabeça.

Continua após a publicidade
Publicidade