GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Videogame

PLAYSTATION 3 – DIVERSÃO PARA POUCOS – Nos EUA R$ 600

Pode apostar. No próximo dia 11, milhares de japoneses devem se amontoar em filas gigantescas em Akihabara, bairro de Tóquio com uma das maiores concentrações de lojas de produtos eletrônicos por metro quadrado do mundo, em busca de um exemplar do PlayStation 3, o novíssimo videogame da Sony. Seis dias depois, será a vez de os fanáticos por jogos dos EUA brigarem pelo aparelho. Não é para menos. O PlayStation 3 é o videogame mais avançado do mundo. Usa um dos processadores mais poderosos de todos os tempos, o Cell, é compatível com TVs comuns e de alta definição e vem com leitor de Blu-ray, um dvd vitaminado que guarda até 50 gigabytes de informação. Além de videogame, ele baixa músicas e filmes e navega na internet. Pena que poucos PlayStations 3 devam aparecer aqui no Brasil. A produção teve atrasos e apenas 500 mil aparelhos chegarão às lojas de todo o mundo neste fim de ano. Os felizardos que conseguirem colocar as mãos no brinquedo, porém, terão um Natal muito feliz.

Você vai querer! – A conexão sem fio, o leitor de Blu-ray e o disco rígido de 60 GB prometem mudar a cara dos jogos atuais.

Fique esperto! – Poucas unidades à venda durante o lançamento, principalmente no Brasil; é o mais caro entre os novos aparelhos.

Guia de compras

Nintendo Wii – CONTROLE SEM APERTOS – US$ 250

Nada de botões. O grande barato do Wii é o joystick em forma de controle remoto de TV. Equipado com sensores de movimento, ele reproduz os movimentos do jogador na telinha. Em um jogo de tênis, por exemplo, você gira o controle no ar para dar uma “raquetada” na bolinha. Quando você acerta, o controle treme e manda a bola de volta pro outro lado da rede. Se o game for de ação, o joystick se transforma em uma espada ou em um revólver – basta mirar na tela e atirar. Outro trunfo do Wii é a possibilidade de comprar clássicos como os títulos da série Super Mario Bros e Zelda pela internet. A Nintendo aposta tanto nessa nova forma de jogar para conquistar o público, que fez do Wii um videogame mais “simples”, em comparação aos outros modelos da nova safra. O suporte à TV de alta definição é limitado, assim como o áudio digital. Menos recursos, no entanto, se traduzem em um console mais barato: o Wii vai custar US$ 250 nas lojas dos EUA.

Você vai querer! – Joystick moderno, preço acessível, é compatível com os jogos do GameCube.

Fique esperto! – A qualidade de imagem e som não é tão boa quanto a de outros aparelhos.

XBOX 360 – LARGANDO NA FRENTE – R$ 2 999

Lançado no fim de 2005, o videogame da Microsoft foi o primeiro representante da nova geração de consoles a chegar às lojas. A seu favor, o aparelho grandalhão conta com o fato de todos os seus jogos já estarem prontos para aproveitar as imagens em alta definição das TVs de plasma e o som dos home theaters. Tem ainda joystick sem fio e conexão com a internet. Mas ele não vem com a conexão sem fio e o leitor de dvd de última geração em sua configuração original – é preciso comprar alguns opcionais para usar esses recursos. Em compensação, o Xbox 360 é mais barato que o rival da Sony (sai por US$ 400 nos EUA) e é o único que já pode ser comprado oficialmente aqui no Brasil. A lista de games ainda não impressiona, mas o cenário deve mudar neste fim de ano. Afinal, vários games estão saindo do forno para combater a chegada dos rivais da Sony e da Nintendo.

Você vai querer! – Suporte à TV de alta definição, áudio com qualidade digital, à venda no Brasil.

Fique esperto! – Jogos são bonitos, mas não impressionam; precisa de acessórios para ter conexão sem fio e dvd de última geração.

Escolha certa

O essencial e o dispensável para o seu equipamento

DVD DE ÚLTIMA GERAÇÃO

A próxima leva de consoles usa novos tipos de dvds com capacidade para armazenar, pelo menos, 4 vezes mais informação que os dvds atuais. Com o espaço extra, os jogos terão cenários muito maiores, mais personagens e qualidade de imagem superior.

VÍDEO DE ALTA DEFINIÇÃO

Como a qualidade de imagem é maior, os novos aparelhos oferecem suporte à TV de alta definição. Para aproveitar essa tecnologia, porém, é preciso uma TV moderna, como as de plasma. Se você não tem uma dessas, não se procupe: os games funcionarão normalmente, mas sem todos os detalhes.

CONEXÃO À INTERNET

Será possível comprar músicas digitais, filmes e até mesmo jogos inteiros online. Quem conectar uma câmera digital, poderá conversar com outras pessoas como se estivesse usando um videofone.

CONEXÃO SEM FIO

A idéia é dar liberdade às canções e vídeos comprados pela internet. O videogame poderá, por exemplo, transmitir músicas para aparelhos de som de toda a casa. O mesmo poderá ser feito com os filmes.

M

Não foram só as imagens que melhoraram. O som agora é de alta definição e chega nos formatos Dolby TrueHD e DTS, como o dos home theaters mais modernos. Mas a qualidade só vai ser vantajosa para quem tiver um belo equipamento de som em casa.

JOYSTICKS

Os controles dispensam os fios e agora contam com sensores de movimento. Num jogo de tênis, por exemplo, você simula o movimento de bater na bola com a raquete. Em um jogo de tiro, basta mirar na tela e atirar.

EXPANSÃO

Com conexões para teclados e mouses, os consoles poderão ser usados como computadores. Também será possível conectar equipamentos como tocadores de música digital, câmeras fotográficas e praticamente qualquer acessório para pc nos aparelhos.

Eles ainda dão um caldo

Passar o Natal com um dos novos videogames deve ser um luxo para poucos. Poucas unidades devem chegar às lojas brasileiras, por preços nada convidativos, acima dos R$ 1500. Enquanto o preço não cai, dá para se divertir com os consoles da geração passada – o PlayStation 2 e o Xbox, que contam com uma biblioteca gigante de jogos. Ou então partir para um modelo portátil. Nintendo DS e PSP têm games bacanas e um extra: os dois brinquedinhos se comunicam com os “irmãos mais novos”, no caso o Wii e o PlayStation 3, respectivamente.

PlayStation 2 – Cerca de R$ 600

Com uma lista de games enorme (são mais de 7800 títulos), entre eles clássicos como Metal Gear Solid e o politicamente incorreto Grand Theft Auto, o PlayStation 2 é garantia de diversão por um bom tempo. Não é à toa que ele é o console mais vendido de todos os tempos. Mais de 100 milhões de unidades já foram despachadas desde março de 2000. O aparelho ainda toca cds e dvds.

Você vai querer! – Acervo de títulos imenso; jogos exclusivos; boa relação custo/benefício.

fique esperto! – Games são importados e custam caro no Brasil; poucos títulos podem ser jogados online.

Xbox – Cerca de R$ 800

O videogame da Microsoft é perfeito para quem curte a jogatina on-line. Graças à conexão com a rede Xbox Live, os donos do aparelho podem disputar partidas com milhões de outras pessoas. Essa rede também permite baixar novidades exclusivas, como fases extras para os jogos. Tecnicamente, ele é mais poderoso que o PlayStation 2 e traz games com qualidade superior de imagem e som.

Você vai querer! – Para jogar online; qualidade de imagem e som superior.

fique esperto! – Jogos caros; design ultrapassado; o mais caro dos videogames atuais.

PlayStation Portable (psp) – Cerca de R$ 900

O caçula da linha PlayStation faz bem mais coisas que um videogame: ele exibe vídeos e funciona como tocador de mp3. Com a conexão sem fio, você pode disputar partidas com até outros 15 donos de PSPs. O portátil da Sony ainda se integra ao PlayStation 3: em um jogo de corridas para PlayStation 3, por exemplo, o PSP se transforma no “espelho retrovisor” do carro.

Você vai querer! – Exibe vídeos e funciona como tocador de mp3; bons gráficos.

Fique esperto! – Cartão de memória extra é fundamental para aproveitar o PSP.

Nintendo DS Lite – Cerca de R$ 600

A tela sensível ao toque é o grande barato do portátil da Nintendo. Com a ajuda de uma canetinha especial, ela serve para controlar personagens, e atirar, entre outras coisas. A conexão wi-fi serve para as partidas com outros jogadores. O DS, porém, não toca músicas ou exibe vídeos, e seus gráficos não são tão bonitos. Nem por isso deixa de ser divertido.

Você vai querer! – Tela sensível ao toque; jogos inovadores.

Fique esperto! – Não reproduz vídeos ou mp3.

Tendência

Sua sala, com um coração digital

As tecnologias que revolucionarão a diversão doméstica já estão aí. Só falta definir o preço

Carlos Ossamu

Controle total sobre os filmes e os programas de TV que você assiste. Música em todos os cantos da casa. E tudo isso embalado por qualidade de imagem e som nunca experimentados antes. São essas as promessas do entretenimento digital – e é bem provável que essa revolução chegue à sua sala de estar mais rápido do que se pensa.

“Temos hoje boas tecnologias em aparelhos individuais, com imagens em alta definição e áudio de qualidade”, afirma Walter Duran, diretor de tecnologia da Philips do Brasil. “Já estamos vendo a convergência, por exemplo, em sistemas de home theater, pelos quais é possível assistir TV e filmes em dvd, ouvir músicas de cd ou rádio, além de ver fotos.”

Mas isso é só uma prévia do que vem por aí. Os equipamentos estão cada vez mais parecidos com computadores e contam com discos rígidos para guardar músicas e vídeos. Também são inteligentes. Um gravador de vídeo digital pode ser programado, com apenas alguns apertos no controle remoto, e copiar seus seriados preferidos, sempre que eles forem exibidos.

Equipado com tecnologia sem fio, esse gravador também vai funcionar como a central de diversão do lar. Filmes, músicas e fotos poderão ser transmitidos para qualquer cômodo da casa, pois a central será capaz de conversar com qualquer equipamento eletrônico. Seu álbum de fotos, por exemplo, será digital: você provavelmente vai ter em mãos um aparelhinho (talvez um videogame portátil) que pode exibir todas as imagens armazenadas na central de entretenimento.

Os primeiros passos nessa direção já estão sendo dados. A Philips possui um equipamento chamado Wireless Music System, que vem com disco rígido de 40 gigabytes, espaço suficiente para armazenar cerca de 750 cds de música. Com ele, é possível espalhar as canções em até 5 cômodos da residência, transmitidas via tecnologia wi-fi, de comunicação sem fio.

A LG lançou neste fim de ano uma TV de plasma batizada de Time Machine, que vem com um disco de 80 gigabytes capaz de gravar até 33 horas de programação. Videogames como o PlayStation 3 também vêm com um hd para guardar vídeos e música. Sem falar na qualidade de imagem e na potência de som das TVs e home theaters, respectivamente, que a cada ano deverão ter telas maiores e qualidade de áudio mais surpreendente.

Isso tudo, porém, é só um rascunho da sala de estar do futuro. Não existe, ainda, uma central de entretenimento perfeita, capaz de conversar com todos os equipamentos da casa, exibindo imagens e sons de alta definição. Nos EUA, principalmente, já é possível encontrar alguns modelos à venda, mas nada que funcione tão bem quanto o prometido pelas empresas de eletrônicos.

No Brasil, a situação é mais complicada. As TVs de tela fina ainda são caras e não saem por menos de R$ 5 mil. Também são pouquíssimas as pessoas que contam com uma rede sem fio para integrar todos os apare-lhos eletrônicos da casa. Ou seja: na teoria, a diversão do futuro já existe; na prática, vai levar pelo menos uma década para que ela esteja ao alcance das pessoas e mude o conceito da palavra “entretenimento”.