O poder do toque

Você já abraçou alguém hoje? Se não, ainda é tempo. Pesquisas revelam que o contato físico tem o poder de aliviar o estresse, curar doenças e até mesmo diminuir a violência.

Por Redação Super Atualizado em 23/05/2015

Airton Seligman

As terapias de toque são milenares – o texto médico mais antigo da Índia, a Ayurveda (1800 a.C.) já prescrevia massagens como uma forma eficiente de cura. Mas não se deve confundir as terapias de toque com o “toque terapêutico”, método controverso em que não há contato das mãos com a pele. Basicamente, as teorias de toque podem ser divididas em três grupos.

Métodos energéticos – Para os orientais, a energia elétrica passa pelo corpo através de canais (ou meridianos). Cada meridiano tem um ponto de entrada de energia e outro de saída na superfície da pele, num esquema parecido com um mapa rodoviário. Diz-se que a pressão de um ponto no antebraço, por exemplo, reduz dores lombares. Tanto a acupressão (shiatsu, na versão japonesa) quanto a acupuntura (método com agulhas, das tradições chinesa e japonesa) trabalham nesses pontos. No shiatsu, os pontos são pressionados prolongada e fortemente pelos dedos do terapeuta. Há, no Ocidente, várias teorias sobre os efeitos dessa espécie de massagem. Uma sugere que há um aumento na atividade do nervo vago (nervo craniano que abastece o corpo de sensações), o que relaxaria o paciente. Outras defendem que a redução do estresse e dos espasmos musculares seria conseqüência de uma maior liberação de glicose, proporcionada pela potente massagem.

A acupuntura também trabalha nos meridianos, mas em vez da pressão dos polegares espeta agulhas na pele nos pontos correspondentes. O talento do acupuntor está em escolher, entre cerca de 150 pontos, os específicos para tratar o problema do paciente. Muito usada no tratamento de vícios (drogas, álcool e alimentação), essa técnica oriental também é empregada no combate à artrite e à hipertensão. O Instituto Nacional de Saúde do governo norte-americano concluiu um estudo indicando que seria um eficiente recurso contra dores. Há ainda a reflexologia, que se concentra em pressionar pontos nos pés. Esses pontos corresponderiam a vários órgãos e regiões do corpo.

Terapias manipulativas – A massagem, como a conhecemos no Ocidente, foi desenvolvida a partir dos estudos de Peter Lind, atleta e professor sueco do século XIX. Ele criou os fundamentos básicos da massoterapia (também conhecida como massagem sueca), geralmente aplicada com óleo, em pacientes deitados sobre uma mesa, no chão ou sentados numa cadeira especial. O principal efeito da massoterapia, de acordo com os praticantes, é uma sensação de bem- estar. Por que isso acontece? Segundo especialistas, a massagem sueca alivia a tensão muscular e ajuda na eliminação de células mortas e dos restos das secreções das glândulas cutâneas – resultantes de exercícios ou inatividade -–, deixando as camadas superficiais da epiderme mais nutridas e maleáveis. O fato de as glândulas sebáceas e sudoríparas se beneficiarem, por ficarem mais desobstruídas e limpas, não quer dizer, porém, que a massoterapia remova gorduras acumuladas debaixo da epiderme.

Estudos liderados pela própria Tiffany Field dão conta de que a massoterapia aumenta as células chamadas natural killers (assassinas naturais), que combatem a ameaça do câncer e reforçam o sistema imunológico.

Entre outras terapias manipulativas estão a osteopatia e a quiroprática. Os osteopatas buscam o equilíbrio corporal colocando as articulações nas posições corretas, por meio de manipulações e massagem dos tecidos. Assim como a osteopatia, a quiroprática também busca o equilíbrio do sistema musculoesquelético, mas procura trabalhar com o alinhamento das 33 vértebras da coluna, que protegem grande parte do sistema nervoso. Com os nervos “liberados”, dores em várias partes do corpo desapareceriam.

Métodos combinados – Um exemplo da combinação de terapia de toque e técnicas energéticas é a massagem reichiana. William Reich, que foi discípulo de Freud, acreditava que um bloqueio energético estava na fonte de neuroses e problemas físicos e que cada região do corpo estava associada a uma emoção diferente. Usada às vezes em apoio à psicoterapia, a massagem reichiana eventualmente usa murros, pancadas e técnicas de “amassamento” de partes do corpo correspondentes às emoções que estariam bloqueadas.

A técnica Feldenkrais, criada por um físico, busca a melhoria da postura e a percepção do indivíduo sobre seus movimentos e gestos. Na visão do cientista, o corpo reflete o que acontece na mente e vice-versa. De acordo com seu método, a repetição constante de uma postura ou movimento corretos acaba por substituir os modos ruins. Na terapia, são usadas várias técnicas manipulativas e movimentos simples e relaxados.

A cinesiologia aplicada é outra técnica que junta as duas vertentes: propõe-se a equilibrar músculos e meridianos com falta de energia, usando reflexos neurolinfáticos e reflexos neurovasculares.

Independentemente da eficiência de todas essas terapias, a maioria dos pesquisadores concorda num ponto: um simples toque humano é um meio eficiente e barato de melhorar a sua qualidade de vida.

Para saber mais

Na livraria

Touch Tiffany Field, MIT Press, 2001