Comportamento

Namoro ou amizade?

A amizade entre homens e mulheres é rara, difícil e frágil. Ainda assim, tem quem tente. Entenda por que essa relação vai se tornar cada vez mais comum e até necessária

por Veridiana Sedeh

Sérgio e Natália formam um belo casal: são jovens, atraentes, adoram estar juntos. Íntimos, conversam sobre tudo, fazem baladas e viagens e, em 10 anos de relação, nunca se beijaram. Sérgio e Natália são um casal de amigos. Natural para os dois, a relação é vista com ceticismo por quem está em volta - homens, principalmente, custam a acreditar que nunca rolou algo a mais. Sempre que conhecem alguém, a pergunta se repete: "Vocês são só amigos mesmo?"

A frequência da dúvida mostra que nossa sociedade hiperconectada e globalizada ainda é bem conservadora com esse assunto. Em nossa defesa, temos milhares de anos em que simpatia entre sexos era sinônimo de atração sexual e algumas décadas em que pode não ser. É um fenômeno novo, mais recente que a TV em cores. Para ter uma ideia, os primeiros estudos sobre esse tipo de relacionamento são do final do século 20, e ainda não ajudam muito a esclarecer todo o emaranhado de dúvidas - naturais - sobre o assunto. E, se o tema é recém-chegado à ciência, ainda é ignorado pela ficção. Em filmes, seriados e novelas, o casal hetero está sempre destinado à cama ou ao altar.

Mas a amizade entre homens e mulheres existe - e acredite, você ainda vai ter uma.

Um mal degenerador. Até o século 19, assim era encarada a amizade entre homens e mulheres. Segundo Rosana Schwartz, pesquisadora de gênero da PUC-SP, a ciência (influenciada pela moral) da época garantia que as moças, criaturas frágeis, próximas de rapazes tenderiam a histeria ou "desvios de comportamento" - apaixonar-se por um estando prometida para outro, ou, Deus o livre, praticar sexo fora do casamento. O lugar delas era em casa. Para sair, deveriam estar acompanhadas por pais, irmãos ou marido. As que estudavam frequentavam escolas femininas, e as que trabalhavam o faziam separadas dos homens - lavavam, costuravam, cozinhavam. Nesse cenário, além de indesejada, a amizade era quase impossível.

As coisas começaram a mudar nas décadas seguintes, quando homens e mulheres se tornaram colegas de trabalho. "Amizades com pessoas do sexo oposto é um novo fenômeno para adultos. À medida que mulheres e homens alcançam maior paridade de salários, eles estão mais aptos para ser amigos", afirma Geoffrey Greif, professor da Universidade de Maryland e autor do livro Buddy System: Understanding Male Friendships ("Sistema dos Caras: Entendendo a Amizade Masculina", ainda sem edição brasileira). O equilíbrio gerado pela independência feminina vai além do campo profissional - quando os salários emparelham, o respeito chega ao dia a dia.

"Passamos por um século inteiro de transformações para chegar ao ponto em que homem e mulher podem ser amigos", destaca Schwartz. E é aí que as coisas começam a se complicar.


Sexo entre amigos

As barreiras sociais ficaram no passado e homens e mulheres conseguiram se tornar amigos. Só faltou avisar os hormônios.

A tensão sexual está presente em mais da metade das amizades com o outro sexo, revela um estudo com mais de 150 homens e mulheres conduzido por Linda Sapadin, psicóloga e consultora de relacionamentos. Aliás, 6% das mulheres e 7% dos homens admitiram que essa tensão era do que eles mais gostavam nessa relação. Mais homens admitiram ter levado amigas para a cama: o sexo amigo aconteceu para 66% deles e 46% delas. Porém, tanto homens (74%) quanto mulheres (82%) admitiram que o sexo prejudicou a relação. Na pesquisa, alguns homens relataram que a atração sexual foi a razão para iniciarem a amizade.

Assim também foi com Sérgio e Natália. Ele queria, mas ela, que já havia perdido um amigo por ter misturado as coisas. Até hoje, Natália diz que não arriscaria ficar com ele, para não correr o risco de arruinar uma amizade que ela valoriza tanto. "A gente brinca que, se um dia a gente vier a ficar, tem que ser para casar."

Já os universitários americanos não têm essa frescura. Segundo uma pesquisa que ouviu 315 estudantes, metade das suas amizades com o sexo oposto envolve sexo. Dos que transaram com o amigo ou a amiga, 55% afirmaram que o álcool foi decisivo e 60% nunca o/a tiveram como parceiro exclusivo. E, contrariando os resultados da pesquisa citada na outra página, dois terços disseram que o sexo aprofundou a amizade.

Um primeiro olhar nesses números pode até levar a concluir que não, a amizade não existe - é sempre um romance fracassado ou dormente. Mas especialistas dizem que é justamente por causa dessa atração que a amizade pode surgir. Na verdade, mesmo quando não há envolvimento se-xual, pode haver atração. "Eu diria que, num número muito grande de situações de amizade entre homem e mulher que duram bastante tempo, se você for pesquisar a fundo, vai descobrir que no mínimo um deles gostaria de ter alguma coisa a mais com outro", diz o professor e supervisor da Clínica Psicológica da PUC-SP, Ari Rehfeld. Alguns pesquisadores acreditam que a energia sexual, sem ser levada às vias de fato, pode contribuir para uma maior produtividade, à medida que adiciona energia e interesse ao trabalho. Tudo bem. Agora, vá explicar isso em casa.


Outras alianças

"Amor, vou sair para tomar uma cerveja com um amigo da faculdade" é uma frase que um marido dificilmente vai gostar de ouvir. Com esposas, não é diferente. Por consumirem a maior parte do tempo livre dos envolvidos, relações estáveis e casamento são considerados obstáculos para a manutenção e surgimento de amizades. Também é comum que pessoas comprometidas achem inapropriado ter um amigo próximo do outro sexo. Assim, uma mulher casada que tenha um grande amigo, ou o contrário, tornou-se uma raridade, como comprova um trabalho de Lillian Rubin, autora de Just Friends: The Role of Friendship in Our Lives ("Apenas Amigos: O Papel da Amizade em Nossa Vida", sem publicação no Brasil). Em entrevistas com mais de 300 pessoas, ela descobriu que apenas 16% das casadas e 22% dos casados tinham amizades do outro sexo.

Alguns pesquisadores dizem que, embora haja pessoas casadas que têm amigos do sexo oposto, a relação acontece dentro das restrições do casamento ou do trabalho e costuma envolver interações mais superficiais. O pesquisador Greif, por exemplo, é bem realista. Ele tem suas amigas, mas com moderação: "Elas [amizades] normalmente são feitas por meio do trabalho e não de outras atividades. Eu sou casado há 35 anos e não desejo complicar a minha vida".

Michael Monsour, professor do departamento de comunicação da Univerisidade do Colorado e autor de Women and Men as Friends ("Mulheres e Homens Como Amigos", ainda não publicado no Brasil), acredita que fazer um amigo do outro sexo quando se é casado ou se tem uma relação estável é muito mais difícil do que continuar se relacionando com os antigos amigos. Na prática, essa nova amizade só tem chance de ir para a frente se o outro membro do casal se aproxima da pessoa. Se não, há uma barreira muito grande.

Sérgio conta que sua relação com Natália não costuma lhe causar dor de cabeça. "Deixo claro para as minhas namoradas a minha relação com ela. No começo, sempre rola um estranhamento, mas se resolve quando elas a conhecem", diz. Ele conta que geralmente elas se tornam amigas. Já com os namorados de Natália, é comum haver uma resistência maior e já rolou ciúme.


Amiga é pra essas coisas

Mas nem só de complicações vive a amizade entre homens e mulheres: ela também tem suas vantagens. Os benefícios vão desde evitar a solidão a conseguir dicas para conquistar alguém. No estudo de Linda Sapadin, as mulheres listaram como algumas das principais vantagens de sua amizade com homens ter atividades e discussões "interessantes" e uma outra perspectiva do sexo oposto. Já os homens citaram como pontos positivos poder falar sobre praticamente tudo e ser confortado quando se sentem mal ou solitários. Elas são imbatíveis para dar apoio emocional.

De acordo com Monsour, uma pesquisa mostrou que 73% dos homens e 82% das mulheres recebem suporte emocional de suas amigas, enquanto apenas 27% delas e 56% deles disseram receber o apoio de seus amigos. "Eu penso que homens estão acostumados a ser cuidados por mulheres, suas mães e professoras, e gostam delas como pessoas com quem possam conversar. Mulheres gostam dos homens como amigos porque eles permitem acesso a diferentes atividades e não existe competição", diz Greif.

O companheirismo entre homens e mulheres solteiros pode muitas vezes assumir contornos de um casamento. "Ela o ajuda a se vestir, a se comportar em determinados lugares ou faz companhia quando ele precisa se apresentar como casal. Ele, por sua vez, conserta o carro dela. Assim, eles vão ocupando papéis que tradicionalmente ou culturalmente são do homem e da mulher, enquanto casal", relata Rehfeld. A ajuda também é muito comum na hora de arrumar um par. Segundo o autor, algumas mulheres relatam que os homens dão conselhos mais objetivos. É o caso de Natália. "É diferente conversar com o Sérgio e com minhas amigas. Ele tem uma visão de homem, mais racional. Mulher é muito sentimental", diz ela. "Acho positivo ter uma amiga, tanto porque ela vai me apresentar para as amigas dela quanto para saber como as mulheres pensam. Acho que vale a pena. Todo cara deveria ter uma amiga", diz Sérgio.


Mais e mais amigos

Se, mesmo com tantas complicações, muitos homens e mulheres já são amigos, tudo leva a crer que mais amizades surgirão. As razões vão do aumento da presença feminina no mercado de trabalho à valorização dos relacionamentos virtuais - pesquisas indicam que as amizades entre homens e mulheres costumam ser mais frequentes na internet do que fora dela.

Os estudos ainda são insuficientes, mas tudo indica que a amizade entre homens e mullheres vai se tornar não só uma possibilidade mas uma necessidade. Em tempos que exigem que os gêneros trabalhem e convivam, aqueles que conseguem entender e se comunicar com o sexo oposto têm uma vantagem competitiva.


Amizade é... ...O que não é namoro.

Não confunda os relacionamentos

Muitas vezes, a simpatia à primeira vista tem, no fundo, segundas intenções. Os homens, principalmente, precisam aprender a baixar a bola e aceitar que aquela não vai ser mais uma conquista, mas uma amizade.


Amizade é... ...ser confidente e palpiteiro.

É preciso saber ouvir

Conscientemente ou não, homens e mulheres buscam as amizades do outro sexo para terem uma ideia de como é "o outro lado". Com frequência, amigos buscam amigas (e vice-versa) para contar seus atropelos amorosos e tentar chegar a um diagnóstico. Essa troca de experiências, se não for um enredo de comédia romântica em que o confidente se apaixona, acaba sendo vantajosa para ambos.


Amizade é... ...entender maridos e esposas.

Entre os outros e vocês

Então tá combinado, vocês são maduros o suficiente para ser um casal de amigos. O problema é quando já existem outros casais - você e sua namorada e ela e o namorado dela. Se entre dois solteiros a amizade entre sexos já é complicada, entre casados ela é muito mais rara e difícil de lidar. "Ainda precisamos evoluir", diz Lillian Rubin.


Amizade é... ...não criar hierarquias.

Ninguém manda em ninguém

Uma amizade deve ser entre iguais. Mas o que muitos estudiosos observam é que, em uma cultura em que homens sempre foram mais iguais que as mulheres, a dominância masculina e a submissão feminina são bagagens que ainda pesam. Isso, como tudo, vai mudando aos poucos - e serve para relações que vão além da amizade, claro.


Amizade é... ...aturar a desconfiança.

"Nunca rolou nada?"

A dúvida vive atingindo casais de amigos de longa data. A curiosidade é natural: na natureza, a aproximação entre sexos sempre visa a reprodução, e é duro tirar da nossa programação uma lição de milhões de anos.


Para saber mais

Women and Men as Friends

Michael Monsour, Psychology Press, 2001.


Buddy System: Understanding Male Friendship

Geoffrey Greif, Oxford University Press, 2008.


Just Friends: The Role of Friendship in Our Lives

Lilian Rubin, Harper Perennial, 1986.

publicidade

anuncie

Super 337 - Foco - organize sua vida agora Os métodos comprovados, a tecnologia que ajuda, a ciência antienrolação. Assine a Super Compre a Super

Superinteressante ed. 337
setembro/2014

Foco - organize sua vida agora
Os métodos comprovados, a tecnologia que ajuda, a ciência antienrolação.

- sumário da edição 337
- folheie a Superinteressante

Você está na área: Cotidiano

publicidade

anuncie