GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Veja as outras referências ao nazismo no discurso de Alvim

Não foi só o trecho copiado de Goebbels. Há mais do Terceiro Reich ali.

“A arte alemã desta década será heróica, objetiva e livre de sentimentalismo. Será nacional, e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada”.

Como você já sabe, o ex-Secretário da Cultura copiou a frase acima de Joseph Goebbels, só trocando a menção à Alemanha por uma ao Brasil.

Só que há mais ícones da propaganda nazista no resto discurso. Ele fala, por exemplo, que a arte deve glorificar a “harmonia dos brasileiros com a sua terra, assim como enfatizar a elevação da nação e do povo, acima de mesquinhos interesses particulares”.

Na Alemanha nazista, afinal, a arte era uma ferramenta de Estado. Tinha como função engrandecer o nazismo. E nada mais. Daí o “acima de mesquinhos interesses particulares”.

Alvim também cita “as virtudes da fé, da lealdade, do autossacrifício e da luta contra o mal”. O “mal”, num regime nazista, é qualquer coisa que não esteja completamente alinhada aos interesses do Estado. A menção a “lealdade e autossacrifício” é, obviamente, um chamado à guerra. Remete a Mein Kampf (Minha Luta), o livro de propaganda nazista escrito por Hitler, que chamava os alemães a lutar contra “o mal” – no caso, contra os judeus e os comunistas.

Outra menção com ranço nazista é aquela que fala em enaltecer os “mitos fundadores” da pátria. A ideologia nazista glorificava os deuses e as lendas nórdicas, entendendo que o folclore nacionalista deveria guiar as artes. É basicamente o que Alvim falou.

Ele ainda diz que uma “arte nacional” que “terá o poder de nos conferir, a todos, energia e impulso para avançarmos na direção da construção de uma nova e pujante civilização brasileira”.

“Criar uma nova civilização alemã” era um dos motes do Terceiro Reich. De novo, Alvim só trocou os países.

Não tivesse citado Goebbels ipsis litteris, o discurso de propaganda nazista de Alvim talvez tivesse passado batido. Bom ele ter citado, já que aí não restam mais dúvidas sobre de onde vem sua inspiração.

Alvim, no fim das contas, cometeu o disparate não apenas de citar Goebbels, mas de fantasiar que realmente vive num regime nazista, num totalitarismo orwelliano em que uma ditadura diz o que é arte e o que não é; o que você pode pensar e o que não pode.

Trata-se de um constrangimento descomunal às nossas instituições democráticas. Que ao nazismo só reste o lixo da história. E que só nos lembremos dele para não repeti-lo.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. I’m amazed, I must say. Seldom do I encounter a blog that’s both educative and entertaining,
    and let me tell you, you have hit the nail
    on the head. The issue is an issue that too few people
    are speaking intelligently about. I am very happy I came across this during my search for something relating to this.

    Curtir

  2. Washington Jorge Parente de Oliveira

    Não sendo Hipócrita, mas ao assistir e analisar o Discurso em si, mesmo tendo sentidos de retoricas de palavras de Joseph Goebbels, não vj nada de mais, isso é uma Ideia uma forma do que vc tem de desejo de tratar a Cultura, cultura essa hj em nosso País que está um Lixo em muitos quesitos em não todos, principalmente na Musica um verdadeiro Lixo , os nossos Grandes compositores Musicos Cantores , se foram perderam espaço para ignorância baixeza de letras e musica não existe letras inteligentes melodias lindas, só sómente puro lixo aos ouvidos que destroem os neurônios, sem falar da arte televisiva q tbm é um lixo uma mediocridade só, a Globo como ao q me parece se privilegia das camadas mais pobres para estarem na posição em q estão na TV, puxam o saco como que dando valores a essas camadas para explorar deles o sofrimento na mídia para dar IBOPE do que ter no q falar. Bom não compactuo com nd desse Atual Governo mas não posso deixar de dar o braço a torcer a esse Discurso do Sr. Alvin, eu concordo com suas palavras mesmo sendo ela criadas de uma época que hj estamos preconceituando uma Boa Ideia para podermos incentivar e dar valor a Real boas coisas que muitos de Nós brasileiros poderiamos Criar e Fazer para a Nossa Cultura de Raiz como Entoa o Sr. Alvin, a mim ele está certo em todas as palavras e ideias mesmo não sendo as suas, mas q são verdadeiras para incentivar e desabrochar oq possa haver de melhor em cada ou algum BRASILEIRO nesse País Gigantesco, quero parabenizar pela Ideia e Incentivo mesmo que sendo um Discurso Novamente Repito Copiado de uma Ideia Nazista, a mim nada importa q seja assim e sim o Resultado Positivo que isso possa trazer ao Meu País.

    Curtir