Clique e assine com até 75% de desconto
Ciência Maluca Por Blog As pesquisas mais importantes para você compreender a sua vida - e as mais inusitadas para você entender todo o resto. Por Tiago Jokura

Crianças que mentem viram adultos bem-sucedidos

Por Thiago Perin Atualizado em 21 dez 2016, 09h54 - Publicado em 18 Maio 2010, 14h07

Oops!

Seu filho pequeno anda contando mentiras? Não fique bravo, fique feliz! É o que aconselham pesquisadores do Instituto de Estudos Infantis da Universidade de Toronto, no Canadá.

Depois de testar 1.200 crianças com idades entre dois e 16 anos, eles afirmam que os pequenos que mentem com pouca idade mostram um desenvolvimento mental especialmente rápido – o que indica que eles crescerão para se tornar adultos mais desenvoltos e perspicazes.

E quanto mais novos eles começam a mentir, melhor!

“Os pais não devem ficar alarmados caso os filhos contem ‘mentirinhas’”, diz o Dr. Kang Lee, líder do estudo. “Quanto mais bem construída for a mentira, melhor é o desenvolvimento cognitivo da criança. Eles podem se tornar grandes banqueiros no futuro”, conta.

Mas mentir não é ruim? Meu filho não vai crescer um mentiroso inveterado, um fraudista?! Para alegria geral, o Dr. Lee garante que não há qualquer indício de que alguém que minta na infância venha a desenvolver tendências criminosas no futuro.

Ou seja: pode sim ficar feliz ao ouvir aquela mentirinha precoce.

Em tempo: de acordo com o Dr. Lee, aos dois anos, 20% das crianças mentem. O número sobe para 50% aos três e quase 90% aos quatro anos. A idade mais ‘mentirosa’, de acordo com ele, é aos 12 anos, quando praticamente toda criança mente.

Continua após a publicidade
Publicidade