Clique e assine a partir de 5,90/mês
Turma do Fundão Por Blog Grupo de leitores-colaboradores da ME que ajuda a revista sugerindo pautas e alimentando este blog cultural

Os 10 musicais mais estranhos da Broadway

Por turma-do-fundao - Atualizado em 4 jul 2018, 20h33 - Publicado em 30 ago 2016, 16h13

Gabriel_Duarte

Canibalismo, dinossauros e até super-heróis. A Broadway tem o talento único de transformar temas absurdos em grandes musicais. E o pior – ou o melhor – é que, na maioria das vezes, eles fazem sucesso.

1) The Book of Mormon

musicais_bookofmormon

Dos mesmos criadores de South Park, essa sátira religiosa segue a história de dois mórmons em uma ação missionária na Uganda. As músicas são cheias de humor negro, chegando a ter participações de Jesus e de Satã, só que, com certeza, o mais estranho desse musical é o vilão General Bunda Pelada. Baseado em um senhor de guerra real, o personagem tem a intenção de mutilar todas as mulheres da vila, pois acredita que os clitóris têm o poder de destruí-lo.

2) Triassic Parq

musicais_trassiq

Gatos cantando? Que nada, Triassic Parq foi além! Sendo uma espécie de releitura de Jurassic Park, a história segue um grupo de fêmeas de tiranossauros que entra em caos quando uma delas se transforma espontaneamente em um macho.

Apesar do enredo questionável, a pequena peça ganhou boas resenhas por levantar reflexões sobre ciência, fé, sexualidade e identidade de gênero. E, como toda boa história (será?), o musical ainda tinha um narrador que imitava a voz do Morgan Freeman.

3) We Will Rock You

musicais_wewillrockyou

Imagine um futuro distante onde todos se vestem e agem da mesma forma, os instrumentos musicais foram banidos e a Terra foi rebatizada para iPlanet. A distopia We Will Rock You conta a história do grupo rebelde Bohemians em sua missão para libertar a população de uma megacorporação manipuladora.

Com a trilha sonora composta exclusivamente de músicas do Queen, a produção teve até uma versão brasileira. O libreto é cheio de referências: todos os rebeldes que seguem os protagonistas Galileo e Scaramouche têm nomes de grandes artistas, como as Spice Girls, Ozzy Osbourne e até mesmo Britney Spears.

4) Spears, The Musical

musicais_spears

E por falar em Britney Spears, que artista melhor para espalhar a palavra de Deus do que a princesinha do pop? Foi isso que uma trupe universitária pensou ao criar o musical “O Evangelho Segundo Britney Spears”. A peça tinha como objetivo contar a história de Jesus por meio de grandes hits da cantora, sem grandes alterações nas letras originais.

A produção estreou na Universidade de Columbia e, um ano depois, ganhou uma temporada curtíssima em Nova York no circuito off-Broadway (constituído de teatros com menor capacidade de pessoas). Não chegou nem a ter um álbum gravado, mas virou manchete em vários dos principais jornais norte-americanos e deixou os nova-iorquinos curiosos.

5) Avenue Q

Esse musical feito inteiramente de fantoches é quase uma paródia de Vila Sésamo, mas não é nada infantil. A história de Princeton, um recém-formado que sonha em viver na Avenida A e acaba morando na Avenida Q, apresenta várias releituras mais adultas dos personagens do clássico programa infantil. Trekkie, por exemplo, é a versão da peça para o famoso Come-Come, só que, em vez de viciado em cookies, ele é viciado em pornografia.

Continua após a publicidade

O enredo traz alfinetadas pesadas ao comportamento da sociedade norte-americana, abordando assuntos como racismo e sexualidade, tendo até uma cena de sexo (entre fantoches!!!).

6) Little Shop of Horrors

musicais_shophorrors

Essa adaptação de um filme B dos anos 60 virou um clássico da Broadway. Seymour, que trabalha numa floricultura quase falida, encontra uma exótica planta que promete atrair mais clientes para a loja. O único problema: a planta se alimenta de sangue. Essa história de horror e comédia tem um final digno de ficção científica. Ficou curioso? O musical foi levado para as telonas na década de 80 e hoje é um sucesso cult com um possível remake a caminho.

7) Urinetown

musicais_urinetown

“Vamos dizer que é um lugar cheio de simbolismos” era com essa frase que o musical se apresentava à audiência. Nessa distopia pós-apocalíptica bizarra a população é proibida de ter banheiros próprios e tem que pagar taxas altíssimas para poderem fazer suas necessidades com privacidade. A produção surpreendeu ao criar uma sátira inteligente sobre burocracia, capitalismo, irresponsabilidade ambiental e sistemas legais abusivos. Foi indicado a dez Tony Awards, o Oscar da Broadway, e ganhou três.

8) Sweeney Todd

musicais_sweeneytodd

O barbeiro demoníaco da Rua Fleet ganhou um filme em 2007, mas deu as caras nos palcos musicais quase três décadas antes, em 1979. A história trágica e sangrenta de Sweeney Todd em sua busca por vingança é recheada de humor negro, com tortas de carne humana e um dueto quase romântico sobre canibalismo. Engraçado? É melhor não rir. Alguns estudiosos afirmam que essa lenda urbana britânica pode ter sido inspirada em um serial killer de verdade da era vitoriana que nunca foi pego.

9) Silence!

musicais_silence

Canibalismo? Serial killer? Não dá pra falar disso sem nos lembrarmos do nosso eterno doutor canibal Hannibal Lecter, e a Broadway sabe muito bem disso. Mais uma pérola saída do circuito off-Broadway, a peça adaptou o clássico O Silêncio dos Inocentes para os palcos. Sobrou até pro Buffalo Bill, que teve uma música inteira para declamar seu amor próprio.

10) Spider-Man: Turn Off the Dark

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=PomErClAIFk?feature=oembed&w=500&h=281%5D

Nem o teioso da Marvel escapou das jazz hands da Broadway. A produção ousou nas acrobacias e teve até cenas de luta suspensas sobre a plateia. O musical ambicioso é até hoje o mais caro da história, com um investimento de US$ 75 milhões, mas foi um fracasso e quase não saiu do papel. A primeira pré-estreia foi tão criticada que teve que ser reformulada para só então ser aberta ao público.

O enredo conta a história de origem do herói e tem como principal vilão o Duende Verde. O mais surpreendente é que a trilha sonora foi toda composta por Bono e The Edge do U2. Eles inclusive receberam algumas dicas do cantor David Bowie, que foi assistir à primeira estreia com a filha e não gostou nada do que viu. Obviamente, uma das músicas mais emocionantes é relacionada à morte do coitado do Tio Ben. Ela foi lançada como single em parceria com os dois integrantes do U2 e ganhou até esse videoclipe que você pode conferir acima.

Quer conferir a bizarrice desses musicais mais de perto? A gente fez uma playlist pra você ouvir mais um pouco deles.

[spotify id=”spotify%3Auser%3Amundoestranho%3Aplaylist%3A6LAUXsdKX3hVlz0Zgf7iOM” width=”300″ height=”380″ /]

 

Continua após a publicidade
Publicidade