Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Entenda de uma vez por todas o que são os alimentos ultraprocessados

Os processos garantem a segurança, textura e sabor do produto, mas é importante ir além do termo e saber mais sobre a qualidade dos ingredientes usados

Por Abril Branded Content Atualizado em 18 mar 2022, 11h53 - Publicado em 18 mar 2022, 12h00

Sabe aquela verdade (teoricamente) absoluta de que todo alimento industrializado não é lá muito bom? Então, e se a gente disser que a história nem sempre é assim?

De uns tempos para cá, os ultraprocessados se popularizaram como alimentos “não saudáveis”, ricos em gorduras, açúcares e sal. Mas, especificamente nesses casos, estamos nos referindo aos ingredientes que compõem o produto, e não aos processos em si.

Confuso, né? Calma que vamos esclarecer tudo, tintim por tintim!

O que é processamento de alimentos?
Estúdio Siamo/Divulgação

Um pouco de história

Os alimentos processados têm feito parte da dieta humana desde tempos antigos. Cientistas da Universidade de Harvard relatam que a primeira técnica foi criada há cerca de 2 milhões de anos, com a descoberta da cocção. Mais tarde, surgiram outros métodos, tais como a fermentação, secagem e salga. Tais técnicas permitiram a formação e a sobrevivência de diversos grupos e comunidades.

Exemplos de processamento

Exemplos de processos dos alimentos ultraprocessados
Estúdio Siamo/Divulgação

Precisamos falar sobre a produção da NotMayo

Afinal, os produtos da linha são ou não ultraprocessados? Sim, de acordo com as definições estabelecidas, os produtos da linha NotMayo são considerados ultraprocessados. 

Entretanto, em sua composição são utilizados ingredientes de altíssima qualidade e cuidadosamente selecionados. Além de processos que conferem um importante valor nutricional ao produto – sem glúten, colesterol e gordura trans. 

Outro diferencial positivo, é que a produção da NotMayo dispensa as etapas de cativeiro e abate de animais. A seguir, conheça os detalhes desse processo, que é bem semelhante ao feito em casa, mas em nível industrial.  

Produção da NotMayo
Estúdio Siamo/Divulgação

Pelo bem do planeta e das pessoas

Cinco fatores confirmam: ao consumir a NotMayo, você não perde nada em relação à experiência e ainda consome um produto com uma cadeia de produção consciente.

  • Segurança e sustentabilidade alimentar

A produção industrial garante a oferta de grande variedade de alimentos, em quantidade suficiente para o atendimento das demandas. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), a produção de alimentos terá que crescer 70% até 2050 para suprir as crescentes necessidades da população mundial – e a produção industrial será essencial nesse cenário.

  • Menor custo de produção

O processo de produção da NotMayo democratiza e populariza o acesso aos produtos plant-based, contribuindo para a revolução na alimentação dos brasileiros.

  • Segurança e qualidade dos alimentos

A NotCo conta com um time de qualidade que faz toda a homologação de seus fornecedores parceiros. O objetivo é garantir uma cadeia livre de transgênicos e de produtos de origem animal, em qualquer etapa da produção.

  • Eficiência no uso de recursos

Em relação aos acompanhamentos de origem animal, a cadeia de produção da NotMayo consegue economizar aproximadamente:

83% no consumo de água

37% menos CO2

31,5% de energia

  • Conveniência e experiência completa

As inovações da NotCo resultam em sabores fiéis aos produtos tradicionais. No caso da NotMayo, o resultado é tão saboroso e cremoso quanto os produtos a que os brasileiros já estão acostumados.

Continua após a publicidade

Tecnologia de ponta, produção inteligente

Diante de consumidores muito mais exigentes, a indústria de alimentos tem enfrentado uma série de desafios para transformar a sua maneira de produzir.

O uso de tecnologia na nuvem, internet das coisas, inteligência artificial e big data tem proporcionado uma série de inovações que ajudam a combater o desperdício, tornam os processos mais sustentáveis e os produtos cada vez mais seguros e de alta qualidade.

O segredo por trás da NotMayo, ou de qualquer outro produto da NotCo, por exemplo, é a inteligência artificial Giuseppe. O algoritmo estuda, diariamente, combinações infinitas de ingredientes vegetais que podem replicar o sabor de produtos de origem animal e tornar a comida, além de saborosa, mais sustentável.

Mudança de hábito

Mudança de hábito na alimentação dos brasileiros
Estúdio Siamo/Divulgação

Alimentos deliciosos, plant-based e processos mais sustentáveis

A NotCo nasceu a partir do entendimento do quanto se alimentar de produtos feitos a partir de animais pode prejudicar o meio ambiente. Por isso, tem uma missão simples: deixar os animais de fora da cadeia de produção, fabricando alimentos vegetais, sem jamais comprometer o gosto original do hambúrguer, frango ou sorvete, por exemplo. 

O impacto do uso de animais na alimentação
Estúdio Siamo/Divulgação

O mundo evoluiu. As pessoas evoluíram. O que você cozinha e come também evoluiu.

Assim é a #NotMayo. Cremosa igual, balanceada e feita de plantas. É por isso que a gente convida você a conhecer a evolução da maionese. Criada nos dias de hoje, para as pessoas de hoje.

A partir de agora, maionese é NotMayo!

Siga o perfil @notcobr, no Instagram, para fazer parte da revolução da alimentação no Brasil.

Fontes de pesquisa:

Good Food Institute. O Consumidor Brasileiro e o Mercado Plant-based. https://gfi.org.br/wp-content/uploads/2021/02/O-consumidor-brasileiro-e-o-mercado-plant-based.pdf

Ministério da Saúde. Guia Alimentar da População Brasileira. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_alimentar_populacao_brasileira_2ed.pdf

NotCo. https://notco.com/br/

Plataforma de Inovação Tecnológica da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Governo do Estado de São Paulo. https://alimentosprocessados.com.br/index.php

Sociedade Vegetariana Brasileira. Impactos sobre o meio ambiente do uso de animais para alimentação. https://www.svb.org.br/livros/impactos-alimentacao.pdf

The NOVA classification system: A critical perspective in food science. https://www.cambridge.org/core/journals/public-health-nutrition/article/ultraprocessed-foods-what-they-are-and-how-to-identify-them/E6D744D714B1FF09D5BCA3E74D53A185

Ultra-processed foods: what they are and how to identify them

UNICAMP. Direto na Fonte. https://www.unicamp.br/unicamp/tv/direto-na-fonte/2020/10/20/alimento-ultraprocessado-e-um-termo-inadequado-afirma-professora

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da Super. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)