Clique e assine a partir de 8,90/mês

Este vídeo mostra todos os incêndios que aconteceram no mundo em 2019

A Amazônia foi um dos principais focos, mas grandes queimadas atingiram também a África, Ásia e o Círculo Polar Ártico.

Por Maria Clara Rossini - 19 dez 2019, 18h15

Se tem um tema que dominou as notícias de 2019, foram as queimadas. Neste ano, grandes incêndios florestais aconteceram na Califórnia, Austrália, Indonésia, Sibéria, África Subsaariana e, é claro, na Amazônia.

Para se ter uma ideia da proporção do problema, o programa europeu Copernicus criou um vídeo de um minuto e meio para mostrar os maiores focos de incêndio no mundo ao longo dos 12 meses do ano. Confira o resultado abaixo:

Os dados foram obtidos por meio de imageamento e sensores de satélite. O Serviço Copernicus de Monitoramento da Atmosfera é uma iniciativa para ajudar países e empresas a visualizar dados de incêndios e pensar em estratégias para combatê-los.

Pelo vídeo, é possível ver que as queimadas se intensificam no Brasil a partir de agosto. Foi justamente nessa época que a Amazônia entrou com força nos noticiários de todo o mundo. São Paulo virou noite por conta das queimadas e até a NASA chegou a liberar imagens de satélites da fumaça atravessando o país.

Continua após a publicidade

Fogo por todo lado

Mas o Brasil não foi o único que passou por grandes incêndios em 2019. Outros locais que se destacam no vídeo são o continente africano, ilhas asiáticas e o ártico. Segundo uma checagem de dados da BBC, os incêndios deste ano causaram danos significativos ao meio ambiente, mas não chegam a quebrar recordes.

Os incêndios na África Subsaariana se concentraram em Angola, República Democrática do Congo e Zâmbia. Nesses dois últimos, as queimadas foram um pouco maiores do que a média, mas na Angola elas atingiram níveis recordes. De acordo com a ministra do Ambiente do país, as queimadas ocorrem em comunidades locais para a preparação do solo agrícola.

A Indonésia viralizou na internet após circularem vídeos que mostravam o céu completamente vermelho no país. O estranho fenômeno é resultado dos incêndios florestais do país, que liberam PM10, um poluente específico com partículas de 10 micrômetros de diâmetro que alteram a trajetória da luz (vale lembrar que o céu muda de cor quando a radiação solar entra em contato com a atmosfera). Por lá, as queimadas são causadas por empresas e agricultores para limpar a área de plantio de palma e árvores para a produção de papel.

Continua após a publicidade

Um dos focos de incêndio mais inusitados foi a Sibéria, região com temperaturas anuais na casa dos 5,4 ºC. Os incêndios florestais são comuns no verão, mas os ventos fortes deste ano levaram a fumaça para outras partes da Rússia. Geralmente eles são causados por raios, mas o aumento das temperaturas no ártico em decorrência do aquecimento global também agravaram a situação.

Publicidade