GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Sonda japonesa captura amostra de asteroide para trazer à Terra

Hayabusa 2 deve voltar para casa até o final de 2020 com um pedacinho do asteroide Ryugu na bagagem.

Os japoneses conseguiram de novo. A sonda Hayabusa 2 sobreviveu a uma manobra delicadíssima no espaço profundo: na última quinta-feira, realizou o que os especialistas chamam de “touchdown” na superfície do asteroide Ryugu. A pousadora levou 26 horas para percorrer os cerca de 20 quilômetros que a separavam do rocha espacial, altitude de segurança na qual vinha orbitando desde junho do ano passado. Quicou na superfície, disparou um projétil e sugou uma chuva de poeira.

Ao que tudo indica, a missão foi concluída com sucesso. Lançada em dezembro de 2014, a sonda agora deve permanecer na cola do corpo celeste até o final de 2019, quando iniciará a jornada de um ano que a trará de volta à Terra. Na mochila, trará um souvenir que vale ouro para os cientistas: um teco do Ryugu. No melhor estilo kamikaze, a Hayabusa 2 arriscou a própria vida para pousar no asteroide (extremamente traiçoeiro, repleto de pedregulhos pontiagudos perigosos) e clamar uma amostra do material.

Os pedacinhos foram armazenados em uma câmara coletora em formato de chifre. Nos meses anteriores, a Jaxa, agência espacial japonesa, utilizou os instrumentos para mapear detalhadamente a superfície e escolher o local “menos pior” para o pouso. Durante a hora H da manobra, todos no centro de controle prenderam a respiração. “Aquelas pessoas que estavam envolvidas estavam muito tensas, mas então nós vimos sorrisos legais e eles estavam todos se abraçando”, contou em uma transmissão online Satoshi Hasoda, da Jaxa.

Foi a segunda vez que os japoneses conduziram o mesmo feito: já haviam pousado em um asteroide e coletado uma amostra em 2005, na precursora missão Hayabusa. Até hoje, nenhuma outra empresa ou agência espacial alcançou a proeza. Momentos depois de pousar, atirar e coletar, a sonda acionou seus propulsores e retornou para o mesmo ponto de partida, onde deve permanecer até seguir o rumo de casa. Mas a missão não consistiu apenas desse pouso dramático — protagonizou outras façanhas no ano passado.

Em setembro e novembro de 2018, enquanto orbitava o Ryugu, a nave-mãe ejetou três pequenas sondas na superfície. Foram elas que nos mandaram aquelas fotos que deixaram todos bastante impressionados. E ainda tem mais pela frente. Antes de voltar para a Terra, a Hayabusa 2 vai judiar um pouco mais do asteroide. Atirará uma bomba na superfície para criar uma pequena cratera e coletar material subterrâneo. Quando ela trouxer tudo isso de volta, façamos o favor de saudá-la como uma verdadeira heroína da exploração espacial.