GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Vênus e Júpiter vão se encontrar no céu no final da tarde desta terça

Por Luiz Augusto L. da Silva*

No mês dos namorados, um longo e sinuoso “cortejo amoroso” tem acontecido no céu nas últimas semanas, protagonizado pelos dois planetas mais brilhantes do firmamento: Vênus e Júpiter. O ponto culminante desse cortejo será às 18 horas desta terça, dia 30, cerca de meia hora depois do pôr do sol, quando os planetas vão estar tão próximos que irão brilhar intensamente.

Talvez você já tenha percebido algo de diferente no céu desde o começo do mês, quando parou pra ver algum pôr do sol. Sempre na direção noroeste, esses planetas vinham lentamente se aproximando. No dia 20, o par “virou” um trio quando a Lua crescente se juntou aos dois astros, formando com eles um triângulo retângulo. Romântico, não?

Nas noites seguintes, a Lua abandonou os dois e foi subindo, em relação ao horizonte, mas Vênus e Júpiter continuaram se aproximando um do outro. Claro que essa proximidade é apenas aparente porque, na realidade, Vênus e Júpiter se encontram a uma distância muito, mas muito grande entre si. Em relação à Terra, a distância de Vênus será de 77 milhões de quilômetros, enquanto Júpiter estará afastado 909 milhões de quilômetros.

Às 18 horas, o par brilhará a 31 graus de altura sobre a linha do horizonte, e a 43 graus de elongação do Sol, permanecendo visível até às 20h53min. Quem olhar através de um telescópio poderá enxergar a fase minguante de Vênus, e vai perceber que o planeta está apenas 34% iluminado pelo Sol. Também vai dar pra ver as quatro maiores luas de Júpiter (Io, Europa, e Calisto, de um lado do disco do planeta, e Ganimedes, do outro).

A NASA publicou um vídeo que simula o fenômeno:

 

Ainda vai dar pra ver os dois planetas em julho, apesar de não tão juntinhos. Uma segunda aproximação da Lua acontece no início da noite de 18 de julho,  formando de novo um triângulo com os dois planetas. Por perto, estará ainda a estrela Regulus, branco-azulada, a mais brilhante da constelação de Leão (Leo), distanciada de 79 anos-luz.

A partir de 5 de agosto, Vênus vai ficar de novo mais baixo no céu do que Júpiter, até que não será mais possível ver os dois planetas.

* É professor de física e astronomia da Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS.