Assine SUPER por R$2,00/semana
Imagem Blog

Se Conselho Fosse Bom

Por Blog
Coluna semanal de perguntas práticas, sentimentais e existenciais enviadas por leitores da SUPER. Por Karin Hueck
Continua após publicidade

Reconheci o meu colega comprometido numa sala de bate-papo. Será que ele pode virar meu namorado?

E spoiler: o colega estava pelado. Será que ele daria um bom namorado? E o que fazer quando você não tem a menor ideia do que fazer da vida?

Por Karin Hueck Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
20 jun 2017, 15h31

Será que um casinho pode virar um namorado? Entrei numa sala de bate-papo, conversei com um cara, o vi pelado, e depois o reconheci. Pasmem! Era o novo contratado da minha empresa – e eu já estava a fim dele antes de pedir demissão do meu emprego! O problema é que ele é comprometido. Será que ele pode virar meu namorado?
– Gostei do que vi
– Cara gostei do que vi.
Por que, por que, POR QUE você quer namorar o colega de trabalho comprometido que você viu pelado numa sala de bate-papo? (Fiquei surpresa com a informação de que ainda usam salas de bate-papo, aliás.) Nenhuma parte desse encontro ~romântico~ indica que ele seria um bom namorado para você. Em vez de pensar “hm, esse cara é comprometido, mas não leva o namoro a sério, eu devo ter chances”, você deveria pensar: “ALERTA VERMELHO, RETIRADA IMEDIATA” Fuja imediatamente do peladão.

 

Tenho 21 anos e curso o primeiro semestre de jornalismo, mas eu simplesmente NÃO FAÇO A MÍNIMA IDEIA do que eu quero da minha vida. Não consigo me imaginar como eu estarei daqui 1 mês ou 10 anos. E eu sei que isso é normal, mas bate um desespero, sabe?! Às vezes eu penso: “E daí? vc nao precisa ser 100% feliz no seu trabalho… vai procurar felicidade em outros lugares. Trabalho é pra ganhar dinheiro e nada mais”, mas no fundo eu queria ser MEGA realizado profissionalmente. Queria ficar felizinho quando chega a segunda-feira. Eu sequer consigo escolher o que comer no almoço, como escolher uma profissão que me fará feliz?!
– Não gosto de NADA.
– Caro não gosto de nada
Fico feliz que você, aos 21 anos, não saiba o que fazer com o resto da sua vida. Sempre suspeito de pessoas que não têm dúvidas. Até hoje eu não sei o que quero fazer da minha vida e não consigo imaginar um momento em que eu esteja 100% segura das minhas escolhas. O segredo é não encarar nenhuma escolha como definitiva. Não tente descobrir qual vai ser a sua carreira inteira – é possível que você faça diversas coisas ao longo dos anos. Você está cursando jornalismo – no momento. Depois, poderá trabalhar com isso – ou não. Em algum momento, poderá ter um emprego que te deixa completamente feliz – e depois priorizar a vida pessoal. E tudo bem também. Com certeza existe algo que você goste muito de fazer. Tome as suas decisões tentando se aproximar desse objetivo. Você tem muito tempo para errar, fazer desvios, acertar e depois começar tudo de novo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.