GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Clássicos da infância

Desde os mais inocentes sonhos espaciais, como ser um astronauta ou estudar novos mundos, até os mais comuns repentes de espírito de porco, como a produção de uma bomba fedida

Legenda

TEMPO

1. Pá-pum
2. Alguns minutos
3. Uma hora e pouco
4. Mais de 3 horas
5. Espere sentado

MATERIAIS

1. Você deve ter em casa
2. Vai ter de dar uma procurada
3. Precisa comprar coisas fora
4. Tem coisa difícil de achar
5. Prepare-se para bater perna

HABILIDADE

1. Brincadeira de criança
2. Difícil como montar Lego
3. Exige alguma sutileza
4. É bom você ter talento para artesão
5. Prepare-se para virar profissional

 

 

 

Como construir sua própria luneta
Com materiais rudimentares, é possível fazer um instrumento com aumento de 12,5 vezes

Galileu Galilei revolucionou a astronomia ao construir a primeira luneta para observação celeste. Antes dele, o pessoal só estudava o céu a olho nu. A inovação permitiu descobertas incríveis, como as crateras e montanhas da Lua. Mas isso foi em 1609. Hoje, é possível comprar telescópios bem mais poderosos que os de Galileu em lojas especializadas. Ou, se estiver no pique, você pode construir uma luneta improvisada e fazer observações lunares similares às dele. Mas não se anime em espiar os arredores: seu instrumento produzirá imagens invertidas, em que tudo aparece de ponta-cabeça (já que no espaço não há “em cima” ou “embaixo”, para ver o céu não tem galho). Para a objetiva, usaremos uma lente de óculos e, para a ocular, um monóculo de fotografia. O corpo da luneta será feito com tubos de PVC.

FIQUE LIGADO!
Você pode forrar internamente todos os tubos com cartolina preta para evitar a reflexão de luz dentro da luneta e, com isso, preservar a qualidade da imagem obtida.

DIFICULTÔMETRO – Complicou
Tempo – 3
Materiais – 4
Habilidade – 4

VOCÊ VAI PRECISAR DE:

• lente incolor de óculos de +2 graus e 50 mm de diâmetro A
• luva de tubo de esgoto de PVC (50 mm de diâmetro) B
• monóculo de fotografia C
• bucha de redução curta, marrom, de 40 x 32 mm D
• disco de cartolina preta com 50 mm de diâmetro com um furo central de 25 mm de diâmetro E
• tubo de esgoto (50 mm de diâmetro) com 40 cm de comprimento F
• tubo de esgoto (40 mm de diâmetro) com 40 cm de comprimento G
• tubo de esgoto (40 mm de diâmetro) com 0 cm de comprimento H
• rolo de esparadrapo I
• Massinha de modelar J

PAS A PAS:

1. Ao comprar a lente de óculos, solicite ao vendedor que a deixe com 50 mm de diâmetro. Leve a luva de PVC e verifique se a lente se encaixa.

2. Pegue o monóculo e retire o “fundo”, com a fotografia. Em seguida, forre-o por dentro com cartolina preta e encaixe-o dentro da bucha de redução curta marrom. O fundo quadrado deve dar certinho na bucha. Use massa de modelar para preencher os vãos entre o monóculo e a bucha, impedindo que a luz passe por ali.

3. Agora você deve inserir sua ocular dentro do tubo de 0 cm. Como eles têm a mesma largura, será preciso cerrar perpendicularmente o tubo de 0 cm, fazendo uma fenda. A ocular deve ser colocada de forma a deixar um espaço de 4 cm entre a lente do monóculo e a abertura do tubo.

4. Em seguida, encaixe o tubo de 40 cm de comprimento e 40 mm de diâmetro ao tubo de 0 cm, até que cerca de 2 cm estejam dentro dele.

5. Na outra ponta do tubo de 40 cm de comprimento e 40 mm de diâmetro, você colará diversos anéis de esparadrapo, uns por cima dos outros, de forma a fazer com que, quando esse tubo for inserido no mais largo, de 50 mm de diâmetro, ele possa se deslocar sem esforço, mas não o faça sozinho quando a luneta estiver na vertical.

6. Sobre a ponta do tubo mais largo, coloque o disco de cartolina preta. Esse é um passo fundamental para que a luneta funcione porque reduz um fenômeno óptico que distorce a imagem (aberração cromática). Sobre o disco, coloque a lente de óculos de 2 graus, com o lado convexo (gordinho) para cima. Por cima de tudo, encaixe a luva de PVC, que fixará a lente objetiva.

7. Sua luneta com aumento de 2,5 vezes está pronta! Procure o melhor foco deslocando suavemente o tubo mais fino por dentro do mais grosso e aponte-a para a Lua com o objetivo de perceber com clareza os acidentes de sua superfície.

Fonte: Astronomia. Coleção Explorando o Ensino, Volume 11. Salvador Nogueira e João Batista Canalle. MEC, 2009.

 

 

 

Tinta invisível
Mensagens secretas facilmente reveláveis com um pouquinho de calor – ou suco – aplicado pelos iniciados

O segredo da técnica que descrevemos aqui, usada no passado para a espionagem de verdade, é a diferença no nível de acidez (o chamado pH) que a “tinta invisível”, de início incolor, produz no papel. As regiões com a substância, quando aquecidas, degradam-se num ritmo diferente do resto, revelando o texto secreto.

DIFICULTÔMETRO – Só alegria
Tempo – 1
Materiais – 1
Habilidade – 1

VOCÊ VAI PRECISAR DE:

• 50 g de bicarbonato de sódio
• 00 ml de água
• Copo graduado (para medir a água)
• Papel
• Pincel ou cotonete
• Fonte de calor (lâmpadas)
• Suco de uva (se for concentrado, é melhor)

PAS A PAS:

1. Dilua bem o bicarbonato na água.

2. Use a solução como tinta, molhando o pincel ou o cotonete nela e escrevendo a mensagem desejada no papel.

3. Espere até o papel secar.

4. Para revelar a mensagem, aproxime cuidadosamente o papel da lâmpada – cuidado para não pôr fogo no papel!

5. Se quiser evitar risco de incêndio, pode salpicar o suco de uva sobre o papel. A reação química entre o suco (ácido) e o bicarbonato (básico) faz a mensagem aparecer.

Fonte: About.com

 

 

 

Bomba de efeito nasal
Uma maneira (relativamente) segura de incomodar o olfato de seus inimigos

Amadores podem usar ovos ou cabelo queimado para infernizar o mundo. Você, porém, pode conseguir efeitos malcheirosos muito mais sofisticados apenas com um pouquinho de trabalho extra. Combinando cabeças de fósforo (que fornecerão sulfeto de hidrogênio, o gás do ovo podre) e amônia, o resultado é um gás fedorento que deixará qualquer um no mínimo desesperado para sair fora. 

DIFICULTÔMETRO – Factível
Tempo – 5
Materiais – 1
Habilidade – 2

VOCÊ VAI PRECISAR DE:

• Caixa de fósforos (20 fósforos no total) A
• Amônia (que você pode comprar em drogarias) B
• Uma colher (das de sopa) C
• Garrafa plástica de 600 ml D
• Tesoura E

PAS A PAS:

1. Com muito cuidado, corte os 20 fósforos de modo a deixar apenas a cabeça (ponta) deles.

2. Coloque as pontas dos fósforos dentro da garrafa plástica.

3. Adicione 2 colheres de sopa de amônia.

4. Tampe e chacoalhe o recipiente. Espere alguns dias – três ou quatro – para abrir a garrafa, quando a alquimia fedida estará pronta.

FIQUE LIGADO!
O gás resultante desse experimento é inflamável. Nas quantidades produzidas, não oferece perigo. Mas, como todo material inflamável, convém usá-lo só onde não houver risco de contato com fogo.

Fonte: About.com

 

 

 

Foguete de papel movido a comprimido efervescente
Misture o artesanato à química e faça seus primeiros ensaios de incursão ao espaço sideral

Faz mais ou menos meio século que aprendemos a levar coisas ao espaço. Mas a tecnologia por trás dos foguetes capazes de realizar essa proeza na verdade se baseia num princípio físico desvendado pelo bom e velho Isaac Newton, no século 17. Trata-se de uma de suas gloriosas leis do movimento: a toda ação, corresponde uma reação de mesma intensidade e sentido contrário. Em bom português, se você empurra uma coisa, ela também o empurra com a mesma força para o outro lado. Um foguete, quando queima seu combustível, está ejetando o resultado da combustão para trás, pela tubeira. Resultado: o material ejetado empurra-o para a frente com a mesma intensidade. E assim ele sobe. Confira um jeito legal de colocar isso em prática.

DIFICULTÔMETRO – Moleza
Tempo – 3
Materiais – 1
Habilidade – 2

VOCÊ VAI PRECISAR DE:

• Rolha de cortiça A
• Papel ou cartolina B
• Cola C
• Fita adesiva D
• Tesoura E
• Guardanapos F
• Garrafa PET de 250 ml G
• Garrafa PET de 2 litros H
• Comprimido efervescente I
• Água J

PAS A PAS:

1. Para construir o foguete em si, use papel ou cartolina (materiais leves). Um corte em forma de três quartos de círculo (como se fosse uma torta que teve um pedaço comido) pode ser curvado para produzir a coifa (o topo do foguete, um cone) e um retângulo pode ser enrolado para virar o corpo, um cilindro. No pé, você pode colar algumas empenas (pequenas asas). Use cola ou fita adesiva para emendar as partes.

2. Calibre a largura do corpo do foguete para que você possa colar uma rolha dentro dele, com uma parte dela para fora.

3. Corte a garrafa PET de 2 litros no meio e fique com a metade de baixo. Ali recorte um retângulo na lateral, de forma que você possa apoiar dentro dela, na diagonal, a garrafa de 250 ml. Sua plataforma de lançamento está pronta.

4. Para lançar o foguete, encha de água a garrafa de 250 ml até 3 dedos do bucal. A partir desse momento, siga as recomendações de segurança antes do lançamento: interrompa o fluxo no “espaço aéreo” que compreenda a trajetória do seu veículo.

5. Contagem regressiva: embrulhe o comprimido num guardanapo e insira-o na garrafa. Em seguida, tampe-a com a rolha embutida no foguete e siga o voo do seu veículo quase espacial.

FIQUE LIGADO!
Faça essa atividade num ambiente aberto. Jamais coloque qualquer peça metálica no foguete e tome o cuidado de não apontá-lo para onde possa atingir alguém

Fonte: About.com Astronáutica. Coleção Explorando o Ensino, Volume 12. Salvador Nogueira, Petrônio Noronha de Souza e José Bezerra Pessoa Filho. MEC, 2009.

 

 

 

Gêiser de refrigerante com bala de menta
Físicos e químicos estão apenas começando a compreender a sensacional combinação de refrigerante com balas

Se você ainda não fez ou, melhor ainda, nem chegou a ver no YouTube, está na hora de fazer: é o experimento físico-químico mais baba de realizar e mais espetacular ao alcance de um leigo. Jogar balas Mentos dentro de uma garrafa de Coca-Cola Light ou Zero e ver o resultado jorrando é praticamente uma epifania. Alguns pesquisadores já exploraram a questão metafísica de por que a reação é tão explosiva, mas a solução do enigma, pasme, ainda escapa aos cientistas. Parece haver vários elementos envolvidos, entre eles o fato de que a superfície do Mentos, no nível microscópico, é tão rugosa e cheia de buracos que ele ajuda a semear uma enorme quantidade de bolhas no líquido. O fato de o Mentos ser denso e afundar rápido também estimula bolhas. E o aspartame também cria condições para que a água da Coca jorre mais facilmente – daí o efeito com bebidas com açúcar ser menos poderoso. Se você for anti-Coca-Cola por alguma razão, pode trocá-la por outros refrigerantes, em especial os que são diet. 

DIFICULTÔMETRO – Só alegria
Tempo – 1
Materiais – 1
Habilidade – 1

VOCÊ VAI PRECISAR DE:

• Coca-Cola Zero 2 litros
• Pacote de bala Mentos
• Tubo de cola branca
• Local que possa ser emporcalhado sem repercussões letais para você

PAS A PAS:

1. Para obter efeitos mais fortes, é bom jogar vários Mentos ao mesmo tempo, colandoos com a cola branca e esperando secar direitinho antes de enfi á-los na garrafa de Coca.

2. Abra a garrafa (só na hora do truque, senão o gás escapa e o efeito é menos legal).

3. Lance os Mentos lá dentro e fuja para não se sujar. A altura do jato pode chegar a 0 m!

Fonte: About.com