Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Ler comentários no Facebook pode tornar você uma pessoa tóxica

Pesquisa envolvendo 2,2 mil pessoas mostra como o maior uso da ferramenta de comentários pode influenciar na linguagem utilizada pelos usuários.

Por Carolina Fioratti Atualizado em 25 nov 2020, 17h36 - Publicado em 25 nov 2020, 17h34

Talvez você tenha chegado até este texto através do Facebook da SUPER. Se for esse o caso, pode ter olhado um ou outro comentário logo abaixo da publicação. Mas, na era das redes sociais, as áreas de comentários também podem ser palco para ofensas – e isso, segundo uma pesquisa feita pela Universidade de Exeter, no Reino Unido, acaba criando um círculo vicioso de comentários tóxicos.

Através de um formulário online, os cientistas analisaram o comportamento online de 2,2 mil americanos. Nas conclusões, conseguiram ver que aqueles que não tinham o hábito de comentar em postagens do Facebook, quando o faziam, usavam linguagem menos tóxica do que os participantes mais ativos. Além disso, notaram que, quando já havia comentários negativos em uma publicação, aumentava a tendência de que outras pessoas também se manifestassem negativamente.

A pesquisa foi realizada da seguinte maneira. Primeiro, os voluntários eram submetidos a algumas questões, como se tinham ou não o hábito de deixar comentários em posts do Facebook. Depois, eram apresentados a algumas notícias publicadas na rede. Nessa parte, eles teriam que responder se, caso vissem aquele post na própria timeline, deixariam um comentário ou não. Se a resposta fosse afirmativa, a pessoa deveria então escrever o tal comentário. Nem todas as pessoas receberam formulários iguais. Metade delas foi exposta a posts com os comentários aparecendo em destaque, enquanto a outra metade recebeu apenas a imagem da manchete.

  • Em seguida, os pesquisadores coletaram os dados e classificaram as respostas com auxílio da ferramenta Perspective API do Google, usada para medir a “toxicidade” de textos na internet. Os comentários foram classificados de 0 (nada tóxico) a 1 (muito tóxico). Termos como “por favor se exploda” e “deveria ser esterilizado” foram classificados como 0,5 no nível de toxicidade, enquanto “cala a boca” e “criminoso” receberam 0,75. Alcançaram o valor de 0,99 as expressões que envolviam palavrões.

    Para aquelas pessoas que não comentavam com frequência no Facebook, o nível médio de toxicidade ficou em 0,18. Já os usuários que tinham o hábito de comentar foram um pouco mais hostis: 0,23. E quando as pessoas viam um post onde já havia comentários, elas eram mais agressivas ainda, utilizando frases e termos que alcançavam 0,33 na escala de grosseria.

    A média geral, considerando ambos os grupos, foi de 0,19, mas os pesquisadores ressaltam que as pessoas podem ter se segurado nas respostas, porque sabiam que elas seriam lidas pelos cientistas. Usando dados reais da internet, fora do ambiente controlado de estudo, os cientistas definiram a escala média de toxicidade nos comentários do Facebook em 0,33 – bem maior do que o valor apresentado no estudo.

    Então, lembre-se: da próxima vez que for comentar na internet, tenha consciência de que as suas atividades podem resultar em práticas negativas tanto para você quanto para os outros que chegarão depois. Seja gentil e educado com as pessoas. 

    Continua após a publicidade
    Publicidade