Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Pessoas que crescem em cidades têm senso de direção pior

E quanto mais organizada for a cidade, maior é o efeito. Foi o que descobriu um estudo com mais de 440 mil participantes.

Por Bruno Carbinatto 21 fev 2020, 12h43

Viver em uma cidade ou no campo tem diferenças bem definidas em várias coisas, como mercado de trabalho, opções de lazer e transporte. Mas o que um novo estudo descobriu é que o ambiente em que você cresce também tem influência nas suas habilidades de localização – e esse efeito varia de  país para país.

No estudo, os pesquisadores analisaram dados de um jogo de celular chamado Sea Hero Quest, desenvolvido em parceria com a instituição Alzheimer’s Research UK para aferir a habilidade de navegação espacial das pessoas. No game, os jogadores controlam um barco e têm que memorizar um mapa do mar onde há certos locais marcados. Eles então tinham que seguir o caminho guiados apenas pela memória, passando pelos objetivos invisíveis antes de cruzar a linha de chegada. A pesquisa envolveu mais de 440 mil pessoas de 38 países.

  • Além da jogatina, os pesquisadores também aplicaram questionários e coletaram dados sobre os participantes, como idade, gênero, nível educacional e local de origem. Os resultados mostraram que pessoas que haviam crescido em cidades erravam muito mais no game, enquanto quem era de áreas rurais ou vilarejos tinha uma taxa de acerto maior. E isso se manteve independente de correções de outros fatores, como idade ou gênero. Estudos anteriores da mesma equipe mostraram que há correlação entre as habilidades de navegação das pessoas no jogo e também na vida real – como se localizar em uma cidade, por exemplo.

    Em 2018, 45% da população mundial vivia em áreas rurais, segundo dados do Banco Mundial. Mas esse valor varia significativamente de país para país: o Brasil tem apenas 15% da sua população nessas áreas; já na Europa, quase ¼ da população é rural. E em certos países pobres, como Uganda, esse número chega a 76%. Por isso a amostragem da pesquisa incluiu pessoas de muitos países.

  • Os resultados também mostraram que quanto mais “organizado” o formato de uma cidade é, pior são as habilidades de navegação de seus habitantes. A diferença entre moradores urbanos e rurais foi maior nos Estados Unidos, onde as cidades costumam ter formato de grade (com ruas paralelas e perpendiculares). Já na Europa, onde as cidades são mais irregulares, a diferença entre pessoas urbanas e rurais foi menor. (Compare a organização de cidades pelo mundo neste infográfico da Super)

    O estudo não estabeleceu os motivos por trás do resultado, mas dá para teorizar. Embora as cidades possam passar a impressão de serem mais confusas e caóticas do que as tranquilas zonas rurais, elas estão cheias de elementos e recursos de localização (placas, nomes de ruas, normas de trânsito, etc). Também oferecem meios de transporte, como ônibus ou metrô, em que você não precisa memorizar o caminho – somente os pontos inicial e final. Talvez tudo isso, a longo prazo, acabe prejudicando o desenvolvimento da capacidade de se orientar. Já em áreas rurais ou vilarejos, sem essas ajudas, o jeito é aprender na marra mesmo.

    Continua após a publicidade
    Publicidade